Avô cantigas


“A imaginação fértil de um agente local do Ministério Público conseguiu ver numas conversas telefónicas (aliás ilegalmente registadas) um execrando plano de controlo de uma estação de televisão por parte do primeiro-ministro, apesar de ele nem sequer participar em tais conversas”.
Vital Moreira

O facto de ser doutor de Coimbra, na expressão de Almeida Santos, não o devia inibir de saber o mínimo da sua área de estudo. O que são ‘conversas telefónicas ilegalmente registadas’? São aquelas que não são autorizadas por um juiz. Estas foram. Já sabemos que tem uma relação complicada com a verdade, escusava de ter abandonado a inteligência quando entrou no PS. É um caso de corrupção neuronal pelo poder. O que é pena.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Avô cantigas

  1. 'Idi na Hui' diz:

    Bene trovato

  2. Justiniano diz:

    Caro NRA!
    Comentar as tentativas de discutir o assunto no plano jurídico é ceder ao plano socrático de emaranhar o problema na discussão jurídico processual.

Os comentários estão fechados.