Prof. Karamba ao poder

Há um ou outro blogue que leio pelo sórdido prazer de ver disparates e alarvidades. Nesse exclusivo grupo de blogues não está o AspirinaB, do qual já fui leitor diário quando alguns dos autores do 5dias lá escreviam. Hoje, através do Mar Salgado, redescobri esta prosa visionária escrita há pouco mais de dois meses:

E, contudo, já nada tem a ver com a realidade onde 90% da população tem mais dinheiro no bolso hoje do que há um ano. Muito mais, em resultado da baixa de juros, da estagnação ou deflação dos preços, dos combustíveis sem altas e do aumento de salários. Por isso, o consumo interno disparou e há planos de investimento em crescendo, tanto para particulares como para empresas. Ao mesmo tempo, o tecido empresarial vive uma fase de completa alteração de competências e perfis, fruto da entrada dos licenciados e da sua contínua educação académica. Nascem novas empresas, oferecendo novos produtos e serviços, pela simples razão de que há novas ideias. Estas pessoas não têm tempo a perder com os tenores do clima de profunda crise económica.
Pergunte-se ao Mundo: quantos gostariam de viver num país onde 9 em 10 trabalhadores estão empregados, vivem em algomerados servidos por água, electricidade, gás, redes viárias, redes de transportes públicos, medicina, escolas, polícia, bombeiros, diversão, cultura, desporto e podem escolher livremente os seus governantes? Depois, é só pesar a resposta para nos descobrirmos num clima de altíssimo sucesso económico.

Sem comentários.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to Prof. Karamba ao poder

  1. isto é a prova provada que o Berkeley tinha razão e a realidade não existe

  2. As últimas notícias apenas confirmam que o falso engenheiro é alguém indigno de continuar à frente do Governo de Portugal.
    Ao longo de séculos, milhares de pessoas sacrificaram-se e deram mesmo a vida por este País.
    É em nome desses heróis e também dos nossos filhos e netos que não podemos consentir que os destinos de Portugal estejam nas mãos de um escroque.

  3. Helder diz:

    Eu gostava.
    Possibilidade de saber de que País esse sr. fala, há ?

  4. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Grande Ana Cristina Leonardo!

  5. carlos graça diz:

    ih ih ih…. simulacros e simulações Baudrillardeanas…

  6. A aspirina é para a dor de cabeça de tanto puxar pela moleirinha no elogio à “grande obra” do chefe: é que ser assim tão intensamente socrático deve dar uma dor de cabeça do caraças.

Os comentários estão fechados.