30.000 empregos

No Jornal da Tarde da RTP1 de ontem, passava incessantemente a mensagem: Parque Escolar cria 30.000 empregos e Parque Escolar recupera cem novas escolas. Ao ver a notícia que o governo procurava passar, esperei que a mensagem se transformasse: Parque Escolar é bom, Parque Escolar é plusbom, Parque Escolar é dupliplusbom ou Criticar a Parque Escolar é estar contra as escolas.
Mas vamos aos números. Sócrates anunciou a criação de 30.000 empregos que decorrem do processo da Parque Escolar. Pensei em termos corporativos, e comecei a fazer as contas de quantos seriam os novos postos de trabalho em arquitectura.
A fazer fé nos números de Sócrates, que a RTP nunca procurará escrutinar, cada escola, em média, criará 300 novos postos de trabalho. Fantástico!
Tendo em conta que o valor de todos os projectos para obras desta escala anda a volta de 8% a 10% do valor de obra, do qual à arquitectura corresponde metade, temos que às empresas de arquitectura abençoadas pela Parque Escolar cumpre criar 4% a 5% do trabalho por escola. Ou seja, cada projecto de escola, criará 12 a 20 postos de trabalho. Empresas de arquitectura com 5, 6 ou 10 projectos deverão criar, respectivamente, 60/100, 72/120 ou 120/200 postos de trabalho.
Amanhã prometo regressar às adjudicações.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

9 respostas a 30.000 empregos

  1. Diogo diz:

    Sócrates formou-se por fax na Independente.

  2. Aristes diz:

    E quanto tempo vão durar esses 30 000 postos de trabalho? Para arranjar 100 escolas seriam em média 300 trabalhadores por escola. Isto daria o quê? 2, 3 meses de trabalho?

    Está-me a falhar alguma coisa?

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Aristes, concordo. Outra das questões é, de facto, a qualidade do emprego criado.

  4. Pingback: cinco dias » 30.000 empregos – escolar

  5. Jorge Paulo diz:

    O Governo, debaixo da ideia que reconstruir escolas é boa politica, até inatacavel, está a patrocinar a maior negociata de que há memoria em Portugal. Tem servido para tudo: encher os amigos de dinheiro publico atraves das adjudicações sem concurso publico. Desde os projectos, até à construção propriamente dita. Um autentico escandalo. Agora, quando se perdem 100 mil empregos por ano, veem os pantomineiros do costume dizer que esta história criou 30 mil postos de trabalho. Isto quereria dizer que as empresas que estão envolvidas neste negocio da china não existiam, pois não tinham empregados, e que foram criadas especificamente para isto. E se calhar algumas até foram.

  6. Ui….empregozinho do bom! Pedreiros a ganhar o salário mínimo…e é quando recebem!

  7. Donatien diz:

    Bom,já se sabe que é trabalho pouco qualificado, provavelmente de qualidade inferior ao da Expo.
    Do género, empresário com um carrinho de mão,pá e balde…mas amigo,claro.

  8. anah diz:

    Parque Escolar é o novo magalhães com uma diferença – as verbas envolvidas são bem superiores e envolvem as corporações do regime!

  9. Carlos Costa Rodrigues diz:

    De facto, o Jorge Paulo tocou na ferida…

Os comentários estão fechados.