Acabou o “tempo de antena” do Clube de Jornalistas

Nunca gostei do programa. É dos exemplos de conteúdos televisivos que mais reforçaram a ideia do pensamento único em torno da questão dos meios de comunicação social e do jornalismo. Não era um programa de debate era um panfleto, de qualidade muito dúvidosa, em defesa do jornalismo pé-de-microfone, da defesa da suposta neutralidade jornalística que mais não serve do que as opiniões da patronal. Não se lamenta e não atenta contra a liberdade de imprensa uma vez que nunca a defendeu.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Acabou o “tempo de antena” do Clube de Jornalistas

  1. Renato Teixeira diz:

    ver editorial da Time Out sobre o tema. Muito bom.

  2. Pingback: Coligação negativa de perigosos radicais corajosamente denunciada por abrantes « O Insurgente

  3. Esloveno diz:

    Como jovem jornalista, nunca me revi nesse programa, aborrecido exercício de vaidade de gente que não escreve há anos uma linha de jornal e que está desligada dos dramas e das alegrias de quem hoje trabalha numa redacção.

    Infelizmente, são os mesmos que trocam de cadeiras no Cenjor, na faculdade e nos júris dos prémios de jornalismo, desgastando o bom das instituições e da classe.

    Não vamos sentir a sua falta.

  4. Renato Teixeira diz:

    Esloveno… com essa é que tocou na ferida. Há anos que não se lhes conhece uma linha (e as poucas que se lhes conhecem são de qualidade duvidosa), e o pior que tudo, como na política, estão em todo o lado e promovem sempre os mesmos boys e girls. Eram exemplos desses que estavam escondidos atrás do que queria dizer com os responsáveis pelo pensamento único na profissão. Não vamos sentir não… até porque daquele poleiro hão-de partir para outro.

Os comentários estão fechados.