Estou incomodado

O meu filho, que tem 13 anos, é sócio do Sporting. Porquê? Não é certamente pela mística (horror!), nem tão só pela hereditariedade (eu próprio sou sportinguista desde miúdo, como o meu pai e os meus tios afectivamente mais significativos e o pai deles o foram antes de mim); descontando o leão e as riscas verdes, que são de facto muito bonitos, mais a lenda dos Stromps, o que conta no Sporting é o estado de espírito: um clube clean, esforço, devoção, dedicação & glória: não queremos apenas ganhar ao Benfica (ao Porto também, mas não conta tanto, fica muito longe), queremos ser diferentes: não há mística, não há catedral: há sportsmanship, civilidade, desportivismo: antes o desporto que o clube, porque o clube é o desporto. Acontece que o actual rumo do futebol do Sporting parece ser o contrário de tudo isto, e eu (que fui avisado da contratação do João Pereira por um sms fora de horas do meu filho) não sei o que hei-de responder-lhe agora se ele me perguntar por que razão somos nós sportinguistas: é que eu ando há anos a tentar explicar ao Nuno Ramos de Almeida que os partidos também têm o seu quê de clubes desportivos, que, para além das pessoas e das políticas do momento, há identidades duradouras, us against them, cores, símbolos, afectos, que é preciso aceitar e respeitar, na longa duração, mas também penso o contrário disso, que os clubes não são só cores, os verdes contra os encarnados da bandeira, mas também têm, se não programas, pelo menos princípios, sem os quais perdem o sentido. Gostava muitíssimo que alguém na actual direcção do meu querido SCP percebesse isto.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Respostas a Estou incomodado

  1. Algarviu diz:

    …e as riscas verdes, que são de facto muito bonitos…

    O Carlos Vidal pode explicar melhor do que eu mas creio que o actual equipamento do seu Sporting fica a perder em comparação com as barracas de praia e toldos da Costa da Caparica.

  2. António Figueira diz:

    Algarviu,
    Apreciei muito o seu comentário, risonho e simples.
    V. precisa mesmo de usar esse guê a meio do nome?
    Saudações desportivas, AF

  3. Só mostra ser um rapaz com um gosto excelente!!! Para todos um Feliz Natal. Vamos la ver se sobrevivemos a 2010!

  4. Algarviu diz:

    Uma resposta à Sporting! O seu desportivismo, prolongamento do desportivismo que o visconde fundador logo soube imprimir ao seu clube, revela-se ao responder a um comentário “risonho e simples”, nas suas palavras, com uma ofensa velada, mas ofensa. Ora porra, António Figueira! É essa a sua sporstmanship? Ou além de adepto do
    Sporting também é adepto da sportsmanship (gosto da palavra…) do Dâmaso Salcedo, ele sim um brilhante sportsman que seria seguramente membro da Juventude Leonina?

  5. António Figueira diz:

    Velada?! Aqui não se vela nada, amigo Algarviu. Folgo em sabê-lo queirosiano, dá outro chic à sua algarvidade.
    Re-saudações, AF
    PS: Não haverá tri-saudações hoje, pq vou dormir.

  6. ezequiel diz:

    Eu tb estou incomodado, António.
    Não conheço bem o JPereira. Só vi um jogo do gajo. Tenho andado alienado da realidade footie.

    Quanto ao resto, ao “us against them”, devo confessar que estes apelos Schmittianos me mexem com os nerven mas, pelo SCP, pela bola, que se lixe o carl, a democracia representativa, a teo-política, o PCP, o PSD , o PS e todos os partidos políticos do mundo ocidental & beyond.

    a minha postura é mais: ” (against) them, who?” (no need for “against”, esta foi a manobra daquele senhor mafioso com as meninas e tal…não quero esta merda no meu Clube!! perdoa-me a sinceridade ringobell natalícia)

    them, who??

    eu preferia a coisa assim:

    ganhar-lhes, superlativamente, sem termos que fazer deles nossos inimigos. ganhando-os com um sorriso na cara. a rir. o Leão tem inimigos mas não precisa de fazer inimigos. o gajo coça as bolas e lambe a bocarra enquanto olha para a puta da zebra. já viste um Leão fervoroso?? um leão histérico? capisci? (tony soprano moment) LOL ganhar-lhes como se eles não estivessem no campo. ultimate humilliation. i achieved your defeat effortlessly. no need for “against.” too much consideration for your enemy. is it not this supreme indifference that makes the lion so fascinating????? just be good at what you do. love the game. and do not hate the enemy. (isto faz parte de um livro de receitas que eu li no Verão de 1992)

    hating the enemy is a bad bad bad bad idea. é uma versão do nippon (lol) “love thy enemy” ou do sicilian “keep your friends close and your enemies closer.” :)

    um grande abraço Leonino, caro Compa Figueira.

    como n celebro o Natal, vou olhar pas luzinhas e pensar no Adorno, na conversa imaginária que teve com o seu filho (aquela sobre a lua) e imaginar o meu SCP a bater os seus inimigos com a maior das alegrias. (a dash of Nietzsche in the end, for good measure)

    abraço,
    z

  7. ezequiel diz:

    chek it out…

  8. António Figueira diz:

    Não celebras o Natal?!
    Não gostas de caras de bacalhau?!
    Nem sabes o que perdes!!
    Abraço, AF

  9. Depois de uma certa idade, talvez 12/15, ninguém muda de Clube. De mulher, de cidade, de casa, de partido, de tudo se pode trocar – do amor ao Clube, não!

  10. ezequiel diz:

    Sou Ateu, António.

  11. António Figueira diz:

    E então? Achas que o bacalhau se importa?

  12. ezequiel diz:

    não. LOL :)
    queres uma receita fantástica de soufflé de bacalhau (podes meter cogumelos mágicos à vontade)??? a receita é da minha avozinha infernal, no less. era má como as cobras (just kidding) mas fazia um soufflé de lamber os beiços. desfiava aquela aquele peixe mal cheiroso em mil pedaços, misturava 300 kilos de manteiga com farinha e ovos e tal …badapim…soufflé…eu papava um sozinho. menino burguês mimado. LOL no dia seguinte, ainda melhor. a acompanhar, cortado às tirinhas, repolho roxo. no dressing. rien plus excepto o vinho, claro.

    boa noite de Natal.
    Amanhã passo-te a receita do soufflé “Nasty Grandma”
    dip I go.
    z

  13. ezequiel diz:

    Vou dar um dip agora.
    Espero n me deparar com um bacalhau.

    ah, quase que me esquecia, porra.
    onde ando eu com a cabeça?

    aquilo fica mesmo bom é quando se mistura o soufflé com a comida de coelho. bem misturadito. o soufflé, solo, fica muito franciu: a puxar po enjoativo. pior mesmo, só um frankfurter. mas se levar repolhinho fica fresh and cranky…

    Oferece um bacalhau ao Niklas. Nas trombas. eh eheh eh e :)

  14. Pingback: O Casal Ventoso chegou a Alvalade | Aventar

Os comentários estão fechados