Meu querido e europeísta Bloco de Esquerda,

a viagem é por concurso ou adjudicação directa?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

25 respostas a Meu querido e europeísta Bloco de Esquerda,

  1. Esta gente não tem mesmo vergonha na cara.

  2. Carlos Vidal diz:

    É, parece-me que o Bloco está muito, muito democrático.
    E abrangente também.

  3. Unidade, unidade, unidade.

  4. Ora diz-me quem convida quem, dir-te-ei quem és…

  5. ALEX. diz:

    ISTO NÃO É UM COMENTÁRIO A ESTE POST.
    1-Vocês não têm um mail para um indivíduo pudesse tecer algum comentário ou dar qualquer informação que saia fora do comentário tipo;que é o presente caso, como se verá.

    No dia 1.DEZ.09,teci dois comentários ao “Para que serve o voto útil no PSII”(ironizando: nos centro direitistas que conseguiram–e não foi por acaso– tomar o poder daquela maneira e mantê-lo:NADA).
    Aconteceu que o Bernardo Sardinha veio a” terreiro” e fêz várias perguntas interligadas.Como as respostas,dalgum modo,se enlaçam precisamente no que fiz profissionalmente, em mais de metade da minha carreira profissional,não quiz cair no imediatismo e espontaneismo.Já me aconteceu fazê-lo com um intelectual que acabou por não perceber a ideia e tratou-me mal.Temos bons intelectuais mas,como todas as coisas que nos possibilitariam colocar-mo-nos em dia,são escassos.Se eles percebessem fácilmente o sentido do fazer não estávamos no estado desgraçado em que estamos
    .As respostas interligadas teriam que ter um âmbito demasiado abrangente.

    Acontece que no caso do Bernardo Sardinha é diferente.Aquilo que me “cheirou” é tratar-se dum trabalhador com conhecimentos que os vai procurando cada vêz mais alargar sobretudo devido aos momentos conturbados e complexos que experiênciamos.E “cheirou-me”porque ao todo durante a minha vida profissional conheci ás centenas–várias.
    Lembrei-me de “entrar” e marcar dois ou três dias depois para ele lá ir.Acabei por não o fazer.
    Pedia-vos o grande favor de comunicarem ao Bernardo Sardinha que não houve da minha parte a menor falta de respeito;pelo contrário.

    Aproveito para dizer que pressupostamente tenho divergências substantivas da linha média do Blog.A referência que tinha, sob a forma de apontamento em papel, onde tenho muitos outros ,era de uma pessoa que já esteve no 5 dias,bastante conhecida.
    Vim aqui por acaso.Apercebi-me que fomentam o debate e a participação o que só por si,para mim,é muitissimo importante.

    NUNCA fui do Bloco de Esquerda.Tenho ido a algumas realizações deles, quando me cheira que posso aprender alguma coisa.Tenho lá alguns amigos que individualmente prezo bastante.Comprei dois jornais em papel hoje e dei uma boa vista de olhos nos outros.Não encontrei alusão “á viagem”.Se for de ironizar também me quero sorrir ou rir,conforme o caso.

  6. ALEX. diz:

    Agradecia,portanto,que explicassem o que é isso da “viagem”.

  7. zé neves diz:

    Tiago, acho o teu comentário-pergunta bastante…digamos…dispensável. Se é só uma piada, como eu quero acreditar, devias ter em atenção que se presta a equívocos vários de interpretação. Se não é, peço desculpa, mas deverias aprofundar a acusação.
    abç

  8. Pelo contrário, o comentário-pergunta do Tiago é completamente indispensavel. O que ele quer saber, penso eu, é quem pagou uma viagem a alguém cujo interesse é completamente nulo para Portugal no contexto do Parlamento Europeu.
    Já agora, fica-te mal – e desculpa dar a minha opinião – atacar publicamente um colega. Não vês isso noutros blogues, falam todos a uma só voz, pelo menos publicamente.

  9. ALEX. diz:

    1-Palavra que não sei mesmo, neste preciso momento,do que viagem se trata,para além da explicação que é adiantada agora por Ricardo Santos Pinto.
    2-Aquilo que vi foi outra referência igualmente critica noutro blog, mas não especificando nada não dá para entender.
    3-Quando refiro sorrir ou rir conforme o caso estou a ser sincero.O que,aliás,sou sempre.Tenho uma idade vetusta; não tenho paciência sequer para colocar a hipótese de poder ser de outra maneira.
    4-Isto implica ainda duas outras condições:
    4.1-Tenho posições criticas face ao Bloco de Esquerda.
    4.2-Penso pela minha própria cabeça e assumo tudo aquilo que penso.

  10. quinta do infantado diz:

    Porque não pede o Tiago ao seu partido o PCP que o convide….

    Aliás a que titulo e quem foi convidado, por acaso o sr Tiago preocupou-se em saber….

    Já agora tambem gostava de saber…

    E para um melhor esclarecimento do assunto quais os convites que o PCP o CDS, o PS e o PSD já fizeram este ano para visitas ao PE, e com que objectivos, assim poderemos ficar todos melhor esclarecidos….

  11. Tiago Mota Saraiva diz:

    Zé, politicamente, teria muito a dizer sobre o assunto, mas não me apetece fazê-lo. Não te preocupes pois o comentário é informado. Apenas esclareço que não se trata de uma acusação, mas de uma constatação.

  12. Tiago Mota Saraiva diz:

    Ricardo, este post não pretende atingir a Maria João Pires que, por sinal, é das pessoas que gosto de ler no Jugular.

  13. Tiago Mota Saraiva diz:

    Alex, lamento mas não vou explicar muito melhor este post. É irrelevante para a maioria dos mortais embora, para mim, seja revelador.

  14. zé neves diz:

    ricardo santos pinto,
    eu falo a uma só voz, que é a minha. era só o que me faltava não poder discordar de um colega de blogue. estou cá, não só, mas também, para isso mesmo.
    quanto ao resto, parece-me, depois de reler, que o Tiago está preocupado com o facto do Bloco-europeu estar interessado em dialogar com determinadas pessoas-ideias. É uma preocupação e uma crítica que percebo e que é de ordem política. O meu comentário tinha que ver com o facto do comentário do Tiago poder ser interpretado da forma que você, Ricardo, interpretou: colocar em dúvida a legalidade-eticidade da decisão do Bloco convidar determinadas pessoas-ideias para um debate político.
    quanto ao interesse de portugal no parlamento europeu, espero que o bloco não o defenda. o meu internacionalismo é proletário.
    abç

  15. Renato Teixeira diz:

    Revelador. Esta e muitas outras visitas e despesas.
    O PE, na versão BE mas também nas versões afins, é uma pândega insuportável. Não se trata deste ou daquele convite em particular. Trata-se de um verdadeiro bordel em auto-gestão mas gerido com o dinheiro de todos os nós.
    Sobre a pândega do bordel do PE apenas uma sugestão livresca de David Craig e Matthew Elliott: The Great European Rip-off – “Este livro revela o que os nossos governantes europeus estão realmente começando a fazer. Ele apresenta uma história de burocracia, hipocrisia e cleptocracia de Bruxelas”.

    http://images.portoeditora.pt/getresourcesservlet/image?EBbDj3QnkSUjgBOkfaUbsI8xBp%2F033q5Xpv56y8baM4GoaRb2b0tbjeh9aPm5%2FOj&width=150

  16. Paulo Pena diz:

    Tiago,
    Estou como o Zé Neves. Não percebo onde queres chegar. À primeira vista parece que me estás a acusar, a mim que também estive nesse debate em Bruxelas, de lá ter ido participar num esquema obscuro. Ou numa falcatrua. O que lá fui fazer é simples e público: fui ouvir os eurodeputados do BE prestar contas do seu trabalho e debater com eles, e gente de várias proveniências profissionais e políticas, assuntos como a Cimeira de Copenhaga, políticas europeias de emigração, cultura e a crise económica. Falei sobre o futuro dos media e o valor da informação. Se discordas da composição do grupo, ou da ideia em si, estás no teu direito. Mas esperava de ti que expressasses a tua divergência com argumentos e não com insinuações. E esclareço desde já o teu colega de blogue Ricardo Santos Pinto que o meu interesse para Portugal também é nulo. E que tento, quando posso, pagar na mesma moeda.

  17. Caro Zé Neves, não sei o que o Tiago pretendia dizer, deduzi que era aquilo que eu disse no comentário anterior: não percebo a razão pela qual um Partido político, seja ele qual for, há-de estar a pagar viagens a bloggers, sejam eles quais forem, para visitarem o Parlamento Europeu. Nada contra os bloggers que aceitaram o convite, eu faria o mesmo. Quanto à discordância entre os autores de um blogue colectivo como o «5 Dias», é uma questão de fundo que não vale a pena estar a aprofundar, até porque quando andei por aí já tive as minhas chatices por causa disso.
    Caro Paulo, como poderás compreender, nada me move contra os blogers que participaram na iniciativa, a questão não é essa. Só uma pequena correcção: eu não faço parte do «5 Dias», sou apenas um comentador.

  18. Paulo Pena diz:

    Ricardo, vocês desatam a comentar uma coisa, em termos desagradáveis, e nem sequer sabem do que estão a falar. Eu não sou blogger (porque não quero), nunca tive um blogue. Aquilo não foi um encontro de bloggers. Presumia eu que quando alguém argumenta nestes termos – «vergonha na cara», expressão sua; «bordel em auto-gestão», «pândega insuportável», expressões de Renato Teixeira- ao menos tivesse tido a curiosidade intelectual de saber do que falava. E, se me permite, essa ideia de que fomos todos veranear para Bruxelas em Dezembro, gastar à tripa forra do dinheiro dos contribuintes europeus é um pouco demagógica. E se acredita nesse seu argumento (pagar uma viagem a Bruxelas é vergonhoso) não percebo porque absolve quem aceitou a viagem. Eu garanto-lhe, se pensasse assim nunca aceitaria um convite destes.

  19. zé neves diz:

    um partido político tem direito a convidar pessoas para debater com ele e pode pagar as despesas de deslocação e estadia inerentes ao convite. a pândega é o quê?

  20. Caro Paulo, limitei-me a comentar o post. E o post linkava para um outro post, de uma blogger, onde era abordado o assunto. Presumi, erradamente, que os outros participantes na passeata também eram bloggers, porque agora é moda convidar os bloggers para isto e para aquilo. Pela generalização, peço desculpa.
    Quanto à «vergonha na cara», e como já disse no comentário anterior, é a atitude do Partido que está em causa, gastar o dinheiro dos contribuintes desta forma.

  21. Tiago Mota Saraiva diz:

    Caros todos, o BE tem todo o direito de organizar o que bem entenda com quem bem entenda. Um dos partidos que o fundou – o PSR, tem na sua história política algumas das melhores frases políticas e tiradas irónicas de que me lembro. Partilho da ideia que também se pode fazer política ironizando.
    Lendo e relendo o meu post, não encontro razão para que se possa subentender que tenha havido algo de menos sério ou ilegal e julgo que grande parte dos mal entendidos decorrem do texto para o qual faço ligação.

  22. ana Matos Pires diz:

    Uóte? Não acredito no que acabei de ler: “grande parte dos mal entendidos decorrem do texto para o qual faço ligação”…

  23. Ó Tiago, se o «post» não é para a Maria João Pires, que gostas muito de ler, nem para o Bloco de Esquerda, que tem todo o direito de convidar quem quiser, então é para quem?

  24. Renato Teixeira diz:

    “Bordel em auto-gestão” e “pândega insuportável” são adjectivos que atribuo ao PE. Pretendia partir do exemplo do Tiago, que não me choca particularmente, para a questão geral do que faz Bruxelas. O livro que cito explica com números o que tentei resumir com as duas expressões. Há temas em que não é possível manter elevação dialéctica. As minhas desculpas ainda que não o meu arrependimento.

  25. Maria** diz:

    Ora muito bem,
    fundamentalmente o que eu gostava era de ouvir o que tem o Francisco louçã a dizer sobre esta cena triste dos apoios para Jardim e para os cofres da Madeira,

    http://apombalivre.blogspot.com/2010/02/louca-e-o-bloco-de-esquerda-decepcao.html

Os comentários estão fechados.