“… como pode um partido comunista (!) votar ao lado da direita conservadora, e neoliberal? A favor de uma medida neoliberal? COmo pode, reparem bem, um partido que acredita na luta da casses, votar contra a opinião de uma central sindical”

O Carlos Santos consegue sempre ver o que ninguém vê. Na proposta de Código contributivo do PS consegue ver um incentivo a contratos de trabalho sem termo e um combate ao trabalho precário, que o próprio governo afirma querer estimular com a recuperada flexibilidade e polivalência. Que o Carlos Santos sinta que sob a pedra da calçada socialista está sempre uma praia revolucionária e progressista é lá com ele, nem precisa de nos explicar, que nós também gostamos muito de poesia.
Respondendo directamente ao “Como pode”, levantando o braço.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a “… como pode um partido comunista (!) votar ao lado da direita conservadora, e neoliberal? A favor de uma medida neoliberal? COmo pode, reparem bem, um partido que acredita na luta da casses, votar contra a opinião de uma central sindical”

  1. Carlos Vidal diz:

    O tipo ainda por cima escreve mal p’ra caraças.

  2. Ana Costa diz:

    Mas já agora se a proposta do PS não resolve o problema do trabalho precário,o que é que o Tiago propunha?Faço-lhe esta pergunta porque tenho um filho com 30 anos,com o 12ºano,que ganha o ordenado minimo e que já trabalhou em mais do que uma empresa e quando chega a data em que o contrato já não pode voltar a ser renovado é despedido.E como ele muitos mais se encontram nesta situação.E a razão deste procedimento nada tem a ver com problemas económicos das empresas onde ele tem trabalhado que são da area da distribuição.Depois de despedirem uns admitem de novo outros a contrato a termo para fazer o mesmo serviço.Dado o elevado número de trabalhadores que estão nestas empresas,mesmo que tivessemos tantos inspectores,tinhamos que por um em cada Empresa.

  3. Precário diz:

    O Tiago não sabe o que é um “incentivo”, quanto mais as regras elementares de economia do trabalho…

  4. Tiago Mota Saraiva diz:

    Cara Ana Costa, não me parece que nenhum Código resolvesse a situação que relata… talvez apenas um código de ética e de responsabilidade social das empresas.

  5. Tiago Mota Saraiva diz:

    O Precário foi tão precário nas palavras, que nem o percebo.

  6. Gavião Sadino diz:

    Meus amigos embora não seja este o assunto. Quero dizer-lhes que o Hotel Sheraton Algarve efectuo hoje mesmo (30/11) um despedimento colectivo encapotado com o pretexto de reestruturação e diminuição de custos. Todos os electricistas efectivos com mais de 40 anos foram despedidos.
    No principio do ano começaram pelo pessoal da Copa e das limpezas (portanto os que tinham menos formação e menos informação). De seguida tentaram fazer o mesmo nos jardins e campos de golfe, só que os trabalhadores uniram-se ameaçaram fazer greve em pleno verão, com o apoio dos sindicatos e a presença da comunicação social, eles arrepiaram caminho. Mas não desistiram, a partir daí começaram a aliciar quem já está à beira da reforma prometendo a declaração para o Fundo de Desemprego aos que queiram sair.
    Agora ainda foram mais subtis, alegando que iam encerrar o hotel para obras de 30 de Nov. até ao fim do ano, consumaram os objectivos que pretendiam.
    Hoje deixaram o pessoal entrar ao serviço começaram a convoca-los individualmente, entregavam-lhe a carta de despedimento e eram postos imediatamente na rua. Houve um que disse que se vim para trabalhar só saio no fim do dia, dois seguranças agrediram o homem e colocaram-no fora das instalações à bruta.
    O meu pai tem 64 anos, era lá técnico de frio e A.C.. Foi operado a um cancro, há ano e meio que estava com baixa, era para começar a trabalhar no dia 11 de Dez., telefonaram-lhe hoje de manhã, que comparece-se no hotel, para lhe dizerem que também está despedido.
    Moral da história? Quantos trabalhadores e suas famílias é preciso lixar a vida e quanto é preciso todos nós pagar-mos com os nossos impostos, para um magnata Árabe não ver baixar os lucros, e o nosso primeiríssimo não deixar de passar as suas merecidíssimas férias num hotel de luxo no conforto da requintada Suite Diplomática, pago em €, Dólares, Dirans, ou outra qualquer moeda (sim; para pagar qualquer dinheiro serve).

    Deixo a pergunta a estes “senhores” que por aqui pululam abnegados defensores do capital, se ficam felizes ao saberem que o dinheiro dos vossos impostos serve para custear estas manigâncias fraudulentas, e atirando com mais umas quantas famílias Portuguesas para o desespero?

  7. Luis Bacmar diz:

    Sr. Gavião,

    É necessário ter a atenção de ser correcto quando se relata uma situação. Alguns dos factos por si escritos na nota abaixo, não estão correctos. NUnca existiu qualquer ameaça de greve por parte dos colaboradores dos jardins do Sheraton Algarve. Sabemos que a direcção do Sheraton Algarve esteve a avaliar económica e financeiramente a actividade dos jardins, mas nunca abordou os colaboradores desse departamento quanto a eventuais saídas, nem sequer nunca os trabalhadores desse departamento ameaçaram qualquer greve. Nunca lá estiveram sindicatos e muito menos a comunicação social. Outro assunto é avaliar o cuidado que deixou de existir com as pessoas naquela empresa. É muito triste o que se passou com quem travou uma batalha dura como foi lutar e vencer o cancro para em vésperas de regresso ser convidado a abandonar a empresa.

  8. J.A.A diz:

    Pois foi o Sr Guisado…O sheraton Vai pagar caro, e o Magnata árabe n sabe de nada disto, quem se está a abotoar são os que lá mandam agora…

Os comentários estão fechados.