Soluções na ponta da língua

O 5 dias junta-se ao combate nacional em torno da competitividade e da qualificação, colocando aos seus leitores um problema matemático complexo.

Um carro desce a avenida da liberdade a 98km hora em direcção aos Restauradores, com destino ao Terreiro do Paço, onde deve tomar posse o Ministro da Administração Interna. Passa vários semáforos vermelhos, enquanto as suas luzes azuis protocolares piscam incessantemente.

Um outro carro desce a rua do telhal, segue para a rua das pretas, onde vira à esquerda, para descer a avenida da liberdade, em direção aos Restauradores. O seu destino é o Terreiro do Paço e a sua velocidade são os 87 km hora.

O primeiro carro é da secreta portuguesa. O segundo é da assembleia da república.

Ambos seguem para um evento importantissimo, do qual depende a segurança nacional.

Qual é a probabilidade de chocarem a alta velocidade colocando em perigo todas as pessoas que passam pelo local, apenas para não perderem os primeiros canapés do beberete?

Qual é a probabilidade de apenas ficarem feridos meia dúzia de idiotas do aparelho de Estado, alguns dos quais possuidores de identidades fictícias?

Quanto custa ao Estado, num período de crise e forçosa austeridade, a imbecilidade deste protocolo e as ridículas figurinhas que o protagonizam?

Quem se sente mais seguro tendo por protectores estes indivíduos obecados com a velocidade que o cargo lhes permite?

Qual o contributo do SIS para a «salvaguarda da segurança colectiva»?

Qual o grau de veracidade (de 1 a 10) da seguinte afirmação: “Pretende-se assegurar a possibilidade de o SIS ser servido por pessoas altamente qualificadas, com elevado nível intelectual e cultura superior, nos mais diversos campos das ciências sociais, dotadas de bom senso e de apurado sentido de equilíbrio, capazes de produzirem análises fundamentadas, isentas, objectivas e esclarecidas dos fenómenos que se inscrevem nas específicas atribuições do SIS.”

Envie a solução deste problema para o 5 Dias e habilite-se a ganhar prémios e menções honrosas oferecidas pelo sistema integrado de informações e segurança. Os primeiros a responder receberão um peluche em tamanho real de um agente secreto do SIS.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Soluções na ponta da língua

  1. Carlos Vidal diz:

    Eu tenho orgulho no SIS. Muito orgulho.

  2. estrábica diz:

    Eu que sou estrábica, vejo simultaneamente para cima e para baixo.
    O link que aqui deixo, mostra bem “US” (the powerful) versus “them”(the People) ao serviço de “US” – VIPs (very Indecent people).

    http://www.slq.qld.gov.au/__data/assets/image/0009/98271/Homeland_p.jpg

    PS: por favor, não me envie um peluche. Para além de ser estrábico, tenho azar de ser alérgica a peluches. Obrigada!

  3. ' diz:

    Para quando uma autoestrada, no coração de Lisboa, para uso exclusivo de políticos e VIPs?

    Quanto ao grau de veracidade da afirmacão dou nota negativa: -10

  4. Faltou perguntar quem paga os estragos.

  5. miguel duarte diz:

    pormenor sem importância, mas o acidente foi descrito de outra forma na rtp

  6. Jorge Pereira diz:

    Ó Manuel Gaio, quem paga os estragos é quem pagou os automóveis deles e quem paga os vencimentos daqueles idiotas todos.

    O anormal do Pinho não ia a 212 km/h na autoestrada?

    E o cidadão pouco mais pode fazer do que que desejar que o super-polícia fique cego dos dois olhos

  7. JB diz:

    Dominique de Roux (1977, Paris)
    “O quinto império”

    Mal chegou, Clément compreendeu a razão de ser de Portugal, precisamente a de não ter nenhuma (39)

    … nós somos púnicos, parecemo-nos com os mercenários de Amílcar e todos esses matreiros do mediterrâneo. Nós somos girinos… (49)

  8. Pelo que ouvi parece que querem atirar para cima dos motoristas a responsabilidade pelos prejuízos. Recebem ordens para não respeitar sinais e pagam?

  9. Pingback: cinco dias » Soluções na ponta da língua – achega

  10. nandrolone diz:

    Esta é uma vista fantástica sobre a situação , eu não acho que eu tenho visto bastante a partir dessa perspectiva antes.

Os comentários estão fechados.