A revolução perdida

 

25Novembro_EanesNevesLourenco[1]

Faz hoje anos que a contra-revolução venceu.
Acabou o PREC e com ele instalou-se o regime dos vencedores de Abril.
Não foi o povo, não foi a reforma agrária, não foi a nacionalização dos sectores estratégicos da economia, não foi a desvinculação de Portugal da Nato, não foram os impostos sobre as grandes fortunas.
Foi o regresso dos pides, foi a reintegração dos professores fascistas, foi a reforma Barreto, foi a privatização de todas as esferas da vida, foi a submissão ao imperialismo norte-americano e europeu, foi o socialismo na gaveta e a capitulação da maior parte dos partidos de esquerda.
A revolução não progrediu, porque a malta não quis que a revolução progredisse.
O resto são desculpas que não perdoam ninguém.

Está quase tudo dito nas palavras do José Mário Branco, no célebre FMI.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

30 Responses to A revolução perdida

Os comentários estão fechados.