Onde, quando e como esta gente parará?

“CAMPANHA NEGRA”

“CABALA”

“ESPIONAGEM POLÍTICA”

“HOMICÍDIO DE CARÁCTER”

…………………………………..

Fr.A

O último classificativo é do notável eurodeputado, na foto.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 Responses to Onde, quando e como esta gente parará?

  1. Cecília, aprendiz siciliana diz:

    Nós os mafiosos/as da Sicília queremos ir para Portugal, aprender como extorquir dinheiro em paz, nas barbas de todos, sem naifas, sem metralhadoras… Reconhecemos – humildemente – termos muito a aprender com as redes de Padrinhos portugueses… Ensinem-nos a legislar, queremos sacar dinheiro, estando protegidos pela lei, queremos os vossos brandos costumes…

  2. Street-art diz:

    Viva a Street-art: Graffittis de Banksy (inspirado em Portugal)

    Álbum de fotografias dos Padrinhos portugueses:

    http://img.photobucket.com/albums/v219/wolfcrunchies/toxic_banksy_rat.jpg

    Hollywood à Portuguesa, nos média perto de si:

    http://www.theradreport.com/wp-content/uploads/2006/11/2006_1_banksy31.jpg

    Seria deveras interessante cobrir o largo do Rato com graffittis destes:

    http://urbanizarte.files.wordpress.com/2009/06/banksy-stencil-guerilla-street-art.jpg

  3. lingrinhas diz:

    ó cecilia vem vem que eu dou-te um cartão do pacheco e outro do vidal

  4. Cecília, aprendiz siciliana diz:

    Muito obrigada, lingrinhas, é capaz de ser um bom começo… e já agora se não for pedir muito… apresenta-me a Sócrates, a Vara, ao Augusto SS a Silva Pereira…???
    Gostava muito! Pode ser?

  5. Zorro diz:

    Se o Pinto Marado e o Peçonha do Nascimento tivessem tanta confiança no Carácter do PM quanto S. Francisco de Assis, não tinham escondido o processo da Máfia Sucrateira antes das eleições nem ordenado a destruição das escutas.
    Ordeno, portanto, o arquivamento imediato dos Marados, Peçonhentos e Sanhudos da Sucata Sucrateira nos calabouços da Polícia Judiciária.
    Espero que a restauração da Pena de Morte no Tratado de Lisboa, inclua estes casos de corrupção de estado, mas não me parece…
    Sucrateiros pró alto forno da Siderurgia Nacional.
    A Bem da Nação!

  6. estes eleitos são todos parecidos e em belo aderente, como rostos do Nim lá estão numa piramide de norma cimentada por uma relação geral de implicação que poderemos chamar de imputação sem parança.

  7. Cecília, aprendiz siciliana diz:

    Pensando melhor, lingrinhas, com esses dois, que me quer apresentar, não me governo bem na minha terra.
    O que quero é poupar vidas, entende?
    Roubar à Grande e à Portuguesa, mas na Sicília, com a bênção da Lei, e do Supremo, à vista desarmada de todos… Aqui na Sicília não há a vossa Paz… andamos “à vista armada”, todos à “naifada”, há tiroteio a toda a hora… o povo siciliano escandaliza-se, reage… não temos brandos costumes…
    Enfim, admiro muito os Padrinhos portugueses!!
    Portucale é um exemplo para nós, sicilianos, 10% do povo Desempregado – cala – e os Padrinhos com milhares de Ordenado – na mala- é o nosso sonho.Nós também queremos um país Rosa… E é tudo!

  8. Antonio Costa diz:

    O rapaz da foto não é eurodeputado, é o lider da bancada do PS e por isso deputado à Assembleia da Republica………. um dos requisitos para se escreverem posts em blogs é não ser ignorante.

  9. Antonio Costa diz:

    Já agora o rapaz chama-se Francisco Assis.

  10. Carlos Vidal diz:

    Sr. António Costa, a figura que figura na foto é, para todos os efeitos, um notável eurodeputado. Uma vez que desempenhou esse cargo com o brilhantismo, o rasgo e o génio que se sabe, é e será sempre um eurodeputado. É-o também no presente, porque o foi de modo inesquecível.
    E apesar de eu o ver todos os dias na Assembleia da República (o nome da casa onde o senhor da foto agora trabalha, eu sei).
    Não me conteste, sr. António Costa, não me conteste (enfim, aqui mando eu).

  11. Espia política: Vai haver Apagão diz:

    “O procurador-geral da República, Fernando Pinto Monteiro, afirmou hoje que decidirá no sábado o desfecho das últimas seis certidões remetidas pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Aveiro com conversas entre Armando Vara e o primeiro-ministro José Sócrates.”

    Por quê esperar tantos dias pelo apagão?

  12. A partir de agora é que não vai sair mesmo mais nada nem de coimbra nem de florença, a minha raposa velha manhosa Beirã acautelará à priori todos os grossetestes e florezinhas de S. Francisco.

  13. toda a questão passa a incidir sobre a justiça imanente da autoridade e lá vamos, levados, levados sim. Vicariâncias das comunidades vindas e que veem, de grau em grau até ao reverso da medalha da disciplina mais dura.

Os comentários estão fechados.