As coisas que o senhor sabe senhor augusto


(É isto que eu aprecio : Paul Gerrior em  “Krapp’s Last Tape”, Beckett)

Augusto Santos Silva revelou sexta-feira, durante uma entrevista à SIC Notícias, que o primeiro-ministro, José Sócrates, foi alvo de escutas durante quatro meses e que o conteúdo das conversas enche 52 cassetes, um facto da investigação Face Oculta, em segredo de justiça, que alguma comunicação social garante que era desconhecido até agora.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a As coisas que o senhor sabe senhor augusto

  1. A semelhante entre este SS e um autêntico SS, é mais que uma coincidência…

  2. Ras diz:

    Vejam aqui:

    http://www.uruknet.info/index.php?p=m60051&hd=&size=1&l=e

    A coragem da jornalista Jackie Roland é exemplar.

    Isto é o que se chama interesse por uma causa séria que aqui neste espaço ninguém liga.

  3. moglia diz:

    Era desconhecido excepto para a sic que numa noticia em que Pinto Monteiro fala das imensas cassetes, fala das 50 cassetes e dos 4 meses. Isto no dia 9.

    http://videos.sapo.pt/OoQ9bPjzVze6W0fGpQPr

  4. rui david diz:

    a questão está bem colocada no post:
    é violação de segredo de justiça, não a divulgação por encomenda do conteúdo de documentos supostamente em segredo de justiça pela imprensa, mas a sua divulgação sem ser pela imprensa ou sem o seu conhecimento prévio. É também a tese que veio logo à mente do impoluto director do expresso, o tal que prefere “investigar primeiro”, ou tal das coisas que “ainda não estão bem contadas”, de forma tão célere que a “reflexão” foi logo espetada no twitter.
    Divulgar o conteúdo das cassettes em segredo de justiça não é violar o segredo de justiça. É-o sim, nitidamente, divulgar o número de cassettes. Como a SIC já tinha falado em 50 delas, parece que no meio disto tudo, o santos silva, o “ministro da propaganda”, violou o segredo de justiça por 2-cassettes-2. É grave. Sobretudo depois de tudo o que se tem “revelado” na imprensa sobre o caso… da contenção do que se tem escrito nas capas dos jornais, nos blogs, das ilações que se tem tirado do caso… realmente esta saída do Santos Silva é que é a gota que faz transbordar o copo. Intolerável. Foi como o ministro da economia. Não é que o homem falou de espionagem política ao Sócrates? Apenas por 52 cassettes? Pressão intolerável! Violação do segredo de justiça… Não o compararam logo os imbecis do 31 da armada ao fernando lima assim à laia de desagravo pacóvio para este último?
    Claro que para quem a Stasi era coisa pacífica, 50 cassettes, 52 que sejam, comem-se ao pequeno almoço…
    Há outras hipóteses: a imprensa está inocente, não sabe de nada, não ouviu nada, mas foi-lhe soprado aquilo que a imprensa quer ouvir e escrever, bastando-lhe o alibi moral da “fonte”… e a imprensa escreve e os bloggers deliciam-se. Imprensa burguesa? Qual quê! Isso é para patranhas de gulags e outras ninharias. Não se aplica neste caso. Se o correio da manhã (ou o crime, ou o diabo-já nem sei se existe mas fazia falta nesta fase…) titular amanhã (era giro fazer a experiência) : Sócrates é o Jack the Ripper, não vão faltar voluntários (uma voluntária não vai faltar de certeza, mas somente porque o Alzheimer já não lhe deixa dizer outra coisa) que lhe exijam que “clarifique”…

  5. os melhores amigos do gugu de quem gosta muito,
    Their main categories include self­ serving Narcissists, Hedonistic’ Antisocials, Exhausting Paranoids, and over-the-top Histrionic Drama Queens. As might be expected, Gugu
    also offers a range of defense strategies guaranteed to keep such blood­ sucking creatures of darkness from sucking you dry.

  6. Carlos Vidal diz:

    Um comentário / esclarecimento: não faz muito sentido pensar que o grande académico ASS lança números para o ar como fortes argumentos só porque os ouve a meros pivots de telejornal.

    Se, por outro lado, ASS apenas quis contrariar/caricaturar o relato do pivot, então devemos ser rigorosos: não foram feitas escutas a J Sócrates, mas a A Vara.

Os comentários estão fechados.