Sem Título

(Do Cantigueiro)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a Sem Título

  1. Adoro a RUA! diz:

    Ao contrário da Letra do Zeca, é com todo o gosto que vou para a: RUA!

    De facto, é tempo de ir para a RUA, não gritar, mas CANTAR:

    É já tempo de embalar a trouxa e Zarpar…
    Só nesta rusga não há lugar para os filhos da mãe…
    Na minha terra quem trepa no coqueiro é rei…

    Tiriririri buririririri, Tiriririri paraburibaie,
    Tiiiiiiiiiiiiii paraburibaie …
    Tiriririri buririririri, Tiriririri paraburibaie.

    http://www.youtube.com/watch?v=qHVT0LGriGs

    Alteração na letra:
    “Quando sabe mesmo a merda o pão que te dão…
    O que faz falta é virar as costas ao maldito cagão!!!
    Não lhe tocar, deixá-lo cair “ploffff” no meio do chão
    Quando a corja te insulta, vitupera e denigre em vão.”

    “Quando a Raiva nunca, nunca foi vencida
    O que faz falta é rejeitar a dita “comida”
    (Nunca aceitar a alimentação oferecida)
    O que faz falta é a juventude divertida
    Sua bela música é o ponto de partida…”

    A CANTAR ao som de:http://www.youtube.com/watch?v=uVTqO9xEYNs

  2. principalmente as figuras tutelares, as sabenças em purezas da língua e o imperialismo do referente.
    Rua!

Os comentários estão fechados.