Uma questão de transportes, 0

A F. anda de mota, e eu tenho medo de motas desde um dia das férias da Páscoa de 1976 em que ia na parte de trás de uma Yamaha 50 e vi a morte de perto (j’ai frolé la mort) na esquina do Carrossel, e mais ainda desde que na quinta-feira passada vi um tipo estendido na Praça de Espanha, cheio de sangue na cara, com a mota abalroada por um carro de matrícula estrangeira miraculosamente de pé ao seu lado (“para que é que me contas essas merdas?, sabes perfeitamente que eu não vou deixar de andar de mota por isso…”). A F. caiu uma vez de um cavalo e já bateu também com a mota; a mim, nos acidentes, o que mais me custa são aqueles instantes, fracções de instantes, em que eu percebo que vou bater mas não há nada a fazer e só me resta esperar pelo choque; nas batalhas navais, com os barcos que eu vejo da janela, é especialmente assim, porque os barcos grandes não travam em meia dúzia de metros, como as motas, e uma vez numa trajectória de colisão não têm maneira de evitá-la, tal qual aquelas pessoas que, guiadas uma mão oculta, correm para a sua desgraça sabendo que correm para ela mas não conseguindo ainda assim fugir (“não, nunca pensei nisso, acho que com as motas é tudo mais rápido, não há tempo para essas lamentações”).

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Uma questão de transportes, 0

  1. JMG diz:

    Boa alegoria do País, na parte do barco.

  2. Bg@gmail.com diz:

    é verdade! a mota é uma equação injusta entre aquela desprotecção toda do condutor e a velocidade imensa daquele foguetão terreno. isso, justamente , não está presente na bicicleta em que somos atirados mas sempre ‘mais protegidos’ pelo alcance do pedal Bom dá vontade mas a esta hora não nos vamos por a contar os ‘espectáculos’ os homens em a arco derradeiros oferecidos por Lisboa, pelos intrépidos que já vimos uma última/única vez por aí de mota

  3. jesus diz:

    ????Como está a Pipinha e a Bibá qq coisa?

Os comentários estão fechados.