CONFIA

O Ministério Público está convencido de que José Penedos conhecia, concordava e até estimulava o esquema de tráfico de influências que o empresário Manuel Godinho – o único arguido do processo “Face Oculta” que está preso – propôs ao filho Paulo Penedos. O filho Penedos é apanhado nas escutas feitas pelos investigadores da Judiciária a afirmar o seu poder de influência junto do pai, para que as empresas de Godinho acabassem favorecidas nos concursos e adjudicações promovidas pela REN, empresa de capitais públicos.
É verdade que José Godinho oferece a José Penedos presentes de Natal, “alguns de valor considerável”, entre 2002 e 2007, com a excepção do ano de 2005. Mas, no despacho do Ministério Público que autoriza as buscas, são as escutas ao filho Paulo que permitem concluir pelo eventual envolvimento do pai José no esquema de favorecimento.


O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, afirmou hoje que está a acompanhar o envolvimento de empresas públicas no processo “Face Oculta” e que compete ao presidente da REN-Redes eléctricas Nacionais a decisão quanto à sua demissão.
Questionado sobre se José Penedos, presidente da REN, se deveria manter no cargo, Teixeira dos Santos afirmou: “Não me pronuncio quanto a isso, é uma decisão que compete ao senhor presidente da REN”, afirmou.


(José Penedos – fotografia de José Sena Goulão retirada daqui)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a CONFIA

  1. Diogo diz:

    Eu penso que deveriam ser os cidadãos a arrancá-lo do cargo a murro e a pontapé.

  2. M. diz:

    Confia??
    Fia-te?? Ou Fiat??
    À cautela, sempre à cautela, e não só… dava-me muito jeito um Fiat! (nem que fosse em segunda mão…)

Os comentários estão fechados.