No dia em que o meno rock morreu


Nesse verão de são martinho
De belas tardes outonais
Tocámos pela última vez
Foi o fim dos samurais
Cantou baixinho no comboio
Ganhou uma força secreta
E nesse dia lá no bairro lembro-me eu
Falou-se da partida do berto poeta

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a No dia em que o meno rock morreu

  1. carlos graça diz:

    um GRANDE ser humano

  2. David diz:

    Boa musica (adequada entre mil outras)…
    Uma imensa minoria que atingiu a maioridade à escuta de um mundo de prazeres auditivos que o António nos dava, comnosco partilhava..

    O último dos duros…e não haverá outro igual.

    Bem hajas Bom lobo.

  3. antónio diz:

    Eu fazia parte dessa imensa minoria…

    R.I.P. pah.

    🙁

Os comentários estão fechados.