Novo Governo

Já foi anunciada a composição do novo governo (mudanças de pastas estão sublinhadas):

Primeiro Ministro: José Sócrates

Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros – Luís Amado

Ministro de Estado e das Finanças – Fernando Teixeira dos Santos

Ministro da Presidência – Pedro Silva Pereira

Ministro da Defesa Nacional – Augusto Santos Silva (ASS era Min. Assuntos Parlamentares no anterior governo;  o anterior ministro era Nuno Severiano Teixeira)

Ministro da Administração Interna – Rui Pereira

Ministro da Justiça – Alberto Martins (o anterior ministro era Alberto Costa)

Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento – Vieira da Silva (Vieira da Silva estava no MTSS; Teixeira dos Santos estava a assegurar também este Min.)

Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas – António Manuel Soares Serrano (substitui Jaime Silva)

Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações – António Augusto da Ascensão Mendonça (substitui Mário Lino)

Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território – Dulce dos Prazeres Fidalgo Álvaro Pássaro (substitui Francisco Nunes Correira)

Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social – Maria Helena dos Santos André (substitui José Viera da Silva)

Ministra da Saúde – Ana Maria Teodoro Jorge

Ministra da Educação – Isabel Alçada (substitui Maria de Lurdes Rodrigues)

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – Mariano Gago

Ministra da Cultura – Maria Gabriela da Silveira Ferreira Canavilhas (substitui José António Pinto Riberito)

Ministro dos Assuntos Parlamentares – Jorge Lacão (substitui Santos Silva)

Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros – João Tiago Silveira

Sobre André Levy

Sou bolseiro de pós-doutoramento em Biologia Evolutiva na Unidade de Investigação em Eco-Etologia do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Novo Governo

  1. Diogo diz:

    Mudam as moscas…

  2. WALTZ diz:

    Já há governo outra vez? Depois de dez santos dias, vou levar outra vez com centenas de dias de merda? Não há paciência, pá.

  3. Porque será que foi trocado um ex-comunista por outro, nas Obras Públicas?
    Será que mantiveram um stakanovismo que dê jeito quando misturado com novos amores capitalistas?

  4. BG diz:

    Já é conhecida a constituição do novo governo – Há alguns minutos – com uma grande injustiça, a meu ver para MAria de Lurdes Rodrigues – que as políticas me puseram na rua também – a quem os seus pares devem, de facto, muitos dos votos que por lá ainda cairam. Aliás pode ter-se a Ministra MLR como o fiel da balança do governo de Sócrates pois por ali os abandonaram mas – faça-se justiça – ali, está um Portugal dos que ficaram – dos que afinal, lhes permitiram mesmo em minoria, governar. Então… até já professora? Conheceu como conheceu os seus colegas!!!!… conhece agora tambem (a)ssim os seus pares. o ISCTE…aos cubos,, como sabe…

  5. Pingback: cinco dias » Da inutilidade do voto útil no PS

  6. Pingback: Novo Governo :: w a z z u p

  7. pvsp diz:

    Parece que o atual governo conseguiu a princípio calar a oposição.

    Pode-se discordar dos ministros, mas se olharmos a competência teórica daqueles que vão ocupar os ministérios não se pode criticar.

    Ao analisarmos o seu “CURRICULUM” é de invejar os títulos universitários e a capacidade comprovada dos ministros.

    Estou otimista que se dê bem esse governo, capacidade académica não há dúvidas.
    ESTÁ DE ACORDO COM O PORTUGAL MODERNO, CARACTERÍSTICA DOS ÚLTIMOS 35 ANOS.

  8. O Oliveira Salazar foi à universidade. Ou mais recentemente, Braga de Macedo é professor universitário. Não se deve confundir a competência académica dos indivíduos e a sua capaz de liderança política. Platão, o filosofo discípulo do Sócrates (do outro), tinha uma visão idílica que a Repúblico deveria ser liderada por homens sábios. Mas a sua tentativa de implementar essa utopia não funcionou, precisamente porque a sapiência académica não se traduz numa melhor a condução governativa. Poderá ajudar, mas nem sem se é essencial, na medida em que os agentes do governo estão rodeados de assessores e consultores. Quem me garante um um ex-operário não teria melhor sensibilidade para liderar o Ministério do Trabalho e Segurança Social.
    Além do mais: o que é isso de ser «Moderno»?

Os comentários estão fechados.