Uma breve nota sobre a noite eleitoral

Santana Lopes culpou a CDU pela sua derrota em Lisboa, 99% dos comentadores passaram as tradicionais certidões de óbito ao PCP e um editor político referiu-se a Ruben de Carvalho como um dinossauro na vereação da Câmara Municipal de Lisboa…
Não interessa nada que Sónia Sanfona (PS) tenha perdido a Câmara Municipal de Alpiarça. Não interessa que a CDU tenha estado à beira de vencer Évora e Cuba (por exemplo) e que em Beja tenha obtido mais votos do que em 2005. De qualquer forma, em Beja, a direita venceu.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

21 respostas a Uma breve nota sobre a noite eleitoral

  1. Pisca diz:

    E as avantesmas que passaram a noite toda a mudar Peniche ali para os lados de Odeceixe ou mais abaixo

  2. Joao diz:

    Esses comentadores vêm no PCP um fantasma que os atormenta… estejam descansados, atormentaremos cada vez mais e com mais força!

  3. Pisca diz:

    E agora a Sonia dactilografa (sem ofensa às ditas) vai fazer o quê ???

  4. pedro sousa diz:

    Boa tarde, o apoio de Carvalho da Silva a António Costa pode ser um prenúncio do fim para o pcp…será de facto uma certidão de óbito num futuro próximo…

  5. Pisca diz:

    Caro Pedro
    A sua senha é o numero 956.856.478, vai ter que por na fila, mas olhe que coisa pode demorar

  6. rui david diz:

    o apoio do carvalho da silva foi uma coisa sensata que poderá, julgo e espero eu, embora sem ter certezas de nada, estabelecer mais pontes para as preocupações já manifestadas pelo tiago noutros posts do que o palavriado pretensamente radical.
    quanto ao resto, não vale a pena insistir mais ou menos neste ou naquele pormenor porque o que é evidente é que o traço mais importante destas eleições foi o já inevitável “reforço” da CDU em todo o País.

  7. rafael diz:

    Acrescentando apenas alguns pontos:

    1) apesar de Carvalho da Silva ser uma figura imporante nas hostes do PCP mesmo que este retirasse o apoio ao PCP, coisa que nao aconteceu!, nao me parece que caísse o carmo e a trindade. quase 100 anos de existencia nao sao postos em causa por uma pessoa, por muito abalo que uma ruptura com essa pessoa possa significar.

    2) Em Beja e em um outro municipio alentejano que nao me recordo agora, a CDU sobe ligeiramente em numero de votos e percentagem e o que se assiste é ao esvaziamento eleitoral do PSD, passando para percentagens inferiores a 6%

    3) Noutros 2 municipios, creio, sao listas de indepedentes em ruptura com o pcp que conquistam as presidencias de câmara.

    Em síntese, para quem augura a morte do PCP no poder municipal, parecem demasiados cenários especificos para justificar um descontentamento generalizado com as posiçoes do PCP.

  8. a diz:

    Ser cego é não querer ver: a CDU no Alentejo perdeu tudo o que havia para perder. Ganhou Alvito (por 11 votos), um concelho que qualquer dos 3 partidos podia ter vencido. E o Crato. O resto por aqui foram derrotas e derrotas. Em Sines elegeu um vereador, em estremoz e no redondo, nenhum vereador. Seria bom seguirem o que se passou no alentejo no blog acincotons.blogspot.com a ver se percebiam o que se está a passar. acho que em lisboa está a ser feita alguma renovação. Mas no Alentejo, se isto continua como está, dentro de muito pouco tempo temos o PSD e o PS a bipolarizarem a situação e a CDU a quase não ter expressão eleitoral. Se o PCP não sobe agora, com a crise em que vivemos, quando é que espera crescer? Ou está mesmo morto e enterrado já, e só nós é que não sabemos?

    do alentejo

  9. Muengas diz:

    Quantas vezes é que estes cangalheiros já tiveram que mudar de farpela desde que esperam pela morte do PCP?

  10. Tem razão, Tiago. As notícias da morte da CDU sempre foram manifestamente exageradas. Desde a queda do muro, que ouvimos os comentadores dissertar sobre isso, numa espécie de gozo narcísico.
    Mas há que reconhecer que a CDU teve perdas importantes nestas eleições, Beja, Aljustrel e Marinha Grande (aqui por culpa própria, pois esta câmara tinha sido recuperada ao PS nas autárquicas anteriores; mas o PC decidiu substituir o presidente de câmara eleito…) aí estão para ilustrá-lo.
    É verdade que a CDU teve bons resultados em Évora (embora perdendo) e Alpiarça. Mantém Setúbal onde passou da maioria relativa à absoluta, paradoxalmente, com uma votação inferior à obtida há quatro anos atrás; mas método d’ Hondt e fraqueza endémica de algumas oposições conjugaram-se para dar à CDU a maioria absoluta. Aliás, no Distrito de Setúbal, a CDU continua a ser largamente a força dominante, gerindo vários municípios com mais de cem mil habitantes. Ora, perante este quadro, é manifestamente exagerado falar em morte da CDU. Mas os comentadores da TV são uns inimputáveis 😉

    P.S. No Distrito de Setúbal, a CDU perde Sines, tb, por culpa própria.

  11. antónio sousa diz:

    -Já alguém se preocupou em fazer uma analise séria sobre os resultados das eleições no contesto da grave crise económica e social que a pais e o mundo atravessa.
    Acham os senhores normal o que está acontecer. -Como é possível. Os povos darem da barato o poder a quem os tem arruinado.
    -É o mundo ao contrário. -Está tudo Louco, é.

  12. chico da tasca diz:

    Tiago Mota Saraiva

    de cada vez que ouço o patético Jerónimo a proclamar vitória em cada eleição, mesmo ficando invariávelmente em último, lembro-me sempre daquela máxima : de vitória em vitória até à derrota final.

    A gente olha para o mapa e verifica que o gulag alentejano encurta de eleição para eleição, embora não ao ritmo que (quase todos) desejamos.

    Daqui a uns aninhos vamos vê-los confinados numa espécie de Badoca Park, em pleno Alentejo, de braço no ar, a vociferarem contra as “politicas de direita”, e a apelarem à “luta dos trabalhadores”, para gáudio dos visitantes, provavelmente a caminho do Algarve.

  13. joão gaspar diz:

    o jerónimo vangloriar-se que teve mais votos em beja do que nas últimas autárquicas é o equivalente a dizer que é fixe ficar em segundo com mais pontos do que no ano passado em que se foi campeão.

    nada me move contra o pcp, mas daí a dizer que foi a direita que ganhou em beja é um disparate completo. sim, foram os habituais votantes do psd (seja lá isso o que for) que deram a maioria absoluta na câmara ao ps, mas às custas de perderem o vereador que lá tinham. se isto é vencer a direita, tenho os olhos trocados.

  14. Visitem este blogue novinho em folha. Obrigado.

  15. antónio sousa diz:

    Entre esses tais visitantes devem estar incluídos os quinhentos e tais, que a Qimonda hoje despediu – Que na sua ida à procura de trabalho precário para o Algarve ou mesmo para o Alentejo; terão oportunidade de se lamentar de não terem dado ouvidos ao PCP .

  16. Pingback: Uma breve nota sobre a noite eleitoral :: w a z z u p

  17. antónio sousa diz:

    -quem depois de todos estes anos de politica de direita dos governos ps ainda acha que o ps é um partido de esquerda;- não deve ter só os olhos trocados. Deve sofrer de outra deficiência física ou intelectual qualquer: que não vou especificar aqui

  18. ruy diz:

    António Costa ganhou Lisboa com os votos do PCP e do BE. Ambos perderam um vereador e cerca de 20.000 votos em relação às autárquicas de 2005. Foi uma severa derrota para estes dois partidos, que só podem lamentar-se e queixaram-se de si próprios. E perderem para um candidato que exprime uma inequívoca política de direita – uma nova direita mascarada de esquerda – neoliberal, de grandes negócios e de falta de transparência. São responsáveis pela sua derrota miserável por se mostrarem hesitantes ou mesmo solidários com a política de António Costa – Sócrates para Lisboa, por lhe darem objectivamente credibilidade de “esquerda”. Deixaram-se usar para o triunfo de uma política da cidade de Lisboa de direita e de negociatas. Torna-se assim penoso, ridículo mesmo, ver figuras como Carvalho da Silva e Carlos do Carmo, para não falar já de Helena Roseta e Manuel Alegre, associarem-se e a festejarem este obscuro, opaco, e reaccionário triunfo.

  19. maria monteiro diz:

    Em Portalegre a CDU recuperou um vereador e o PSD perdeu a maioria absoluta

  20. joão gaspar diz:

    antónio sousa,

    pode especificar à vontade a minha deficiência física ou intelectual qualquer. não se acanhe.
    mas não perceber que a orgânica autárquica é ligeiramente independente das políticas levadas a cabo pelos governos (discutíveis, discutíveis) é que é no mínimo de uma inteligência limitada ou, pelo menos, de quem tem os olhos a direito às custas de uma pala.

  21. antónio sousa diz:

    João Gaspar
    -É tal & qual, como diz, só ligeiramente… é isso mesmo!

Os comentários estão fechados.