Triste, triste, triste muito

Vou ser breve, pois o assunto nada merece. Quanto a vencedores, não parabenizo NENHUM.

Em Lisboa, tínhamos de escolher entre os concertos para violino de Chopin e os contentores de Jorge Coelho. No primeiro caso, Chopin é certo que nada escreveu para violino, nada, mas tem uma belíssima sonata para Cello e Piano. Ouçam. Quanto aos contentores de Costa e Coelho podem ter alguma utilidade: metam-se neles lisboetas (menos a Comissão de Honra de Costa, claro!!) e emigrem.

No Porto, Elisa Ferreira surpreendentemente e contra todas as previsões perdeu!! E disse ser COM MUITA TRISTEZA QUE PARTIA AGORA PARA BRUXELAS.

Ora, onde fica isso, que tão triste parte a triste que nunca tão triste vi?

(Sherman)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 respostas a Triste, triste, triste muito

  1. Iron diz:

    Triste é!
    Por mim, nem Jorge Coelho, nem Chopin.

    Prefiro:
    http://www.youtube.com/watch?v=RYkz30RL_GU&feature=related

    Y “Cositas Buenas”, claro!

  2. i.tavares diz:

    Por falar em violinos de Chopin,e contentores,vou ficar à espera,de quem vai cantar,desta vez,o fado dos contentores.Pelos discursos de ontem à noite, uma coisa tenho a certeza.A arrogância está de volta.

  3. pedro sousa diz:

    Boa tarde, de facto ainda podemos encontrar nos concertos de chopin partes escritas para violinos….e violoncelo é uma palavra tão bonita, porque não usá-la? Se me permitir deixar uma opinião, os violinos de Santana nunca irão fazer passar fome…os contentores e afins, sim…esperem mais uns tempos e outro pântano surgirá…

  4. Algarviu diz:

    Bruxelas rima com “gamelas”. Esta nunca ocorreria a Rosalia…

  5. Por amor dos Céus! diz:

    Santana tem violinos? Desde quando?
    O que Santana tem é uma dissonante voz de “cana rachada”.

  6. Roteia diz:

    Comparar Costa com Santana é totalmente ridículo. Bem se vê que para Vidal antes Santana que tal sorte. E Lisboa que se lixe, que se afunde em santanas e santanetes incompetentes, condomínios de luxo pr’a tias ppd, negociatas de toda a espécie, cultura populista a condizer. Por mim, antes Costa, com ou sem Coelho.
    E já agora, que coisa apoquenta Vidal no que respeita à comissão de honra do vitorioso Costa?

  7. Pingback: Triste, triste, triste muito :: w a z z u p

  8. Paulo diz:

    Carlos,

    Concordo consigo: entre um e outro venha o dito cujo e escolha.
    Apenas um pormenor de somenos: o discurso do candidato vencedor com aqueles «chistes» do «vai andar por aí…», «foi eleito.. para vereador», era desnecessário. Sou de direita, mas reconheço que há líderes políticos de esquerda bem superiores a isto.

    Bem haja,
    Paulo

  9. mais pluralismo não é possível, está quase quase na perfeição, gostei imenso de ver e ouvir na noite da vitória aquele senhor da camara de loures, a senhora da de cascais, o fadista imortal, o Zé, a filha do dono do papel fabriano e o grande Gregotti, tudo vultos do ps mais profundamente ideológico, volta velha raposa matreira e Beirã, não chores.
    A mala é de cartão?
    Adeus maezinha vou partir, nos contentores que vão para a china, pobrête mas alegrête.

Os comentários estão fechados.