A Poia

Para quem tem dificuldades de memória e já não se lembra o que foi a governação de Santana, em Lisboa e no país, aqui fica um cheirinho: Santana Lopes anunciou de manhã o apoio de Carmona Rodrigues à sua candidatura. Carmona desmente apoio.

[actualização] Vamos lá ver se percebi bem: afinal Carmona apoia o homem e amigo mas não a política. Se calhar tenho de pedir ao Carvalho da Silva que me explique o que se passou.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 respostas a A Poia

  1. Pingback: A poia :: w a z z u p

  2. Santiago diz:

    Uma história algo bizarra… já em 2007 aconteceu uma coisa semelhante: “«O PS recebeu hoje com choque a posição do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, dizendo que se mantém no cargo, porque todos ouvimos quarta-feira Marques Mendes dizer que tinha o consenso de Carmona Rodrigues e dos restantes vereadores do PSD para provocar eleições intercalares», declarou à agência Lusa o porta-voz do PS, Vitalino Canas.”

  3. Patricia diz:

    Tenho cá um palpite que as imagens de hoje de MFL num comicio de apoio a SL lhe tirou alguns votos.Quanto a Carmona Rodrigues logo que soube quem eram os candidatos disse que ainda não sabia em quem ia votar mas que sabia em quem não votaria,adivinhem lá quem é?

  4. ruy diz:

    Carmona entrevistado na RR esclarece que telefonou a Santana Lopes a desejar-lhe as maiores das sortes nas eleições. Até combinaram um encontro “casual” na Baixa à semelhança daquele de Carvalho da Silva com o Antonio Costa. Como à ultima da hora não pôde ir telefonou-lhe e desejou-lhe a melhores das sortes. Mas a título particular claro está, como Carvalho da Silva a António Costa.
    Por favor não brinquem com o pagode.

  5. E à tarde, depois do desmentido, esteve na arruada do Santana.

  6. Luis diz:

    Eu nunca embandeirei em arco com qualquer sondagem e continuo a não embandeirar. Mas o que constato é que todas as sondagens que saíram nos últimos dias provam que o risco em Lisboa não é Santana ganhar mas o PS ter maioria absoluta.

    E é este risco que é preciso evitar. E para evitar o risco da maioria absoluta em Lisboa é indispensável o reforço da CDU em Lisboa.

    Nesta campanha em Lisboa os pontos mais negativos foram as trapalhadas populistas da candidatura do PS: desde a carta do seu presidente aos funcionários da Autarquia sobre aumentos salariais, à oferta das bicicletas, à reunião clandestina com o seu colega Miguel Sousa Tavares, líder do suposto movimento anti-contentores para branquear a submissão de Costa ao governo do PS até à cena deprimente da pedinchice à saída do Metro.

    Eu francamente nunca antes tinha visto, o presidente da câmara de Lisboa e dirigente do PS, de RTP a tiracolo, de mão estendida, a pedir apoios à saída do Metro. Esta cena manhosa envergonhou democratas e embaraçou lisboetas, como me dei conta pelas reacções de colegas de trabalho e familiares.

    E dos pontos mais positivos saliento a dinâmica da campanha da CDU e a sua confiança de que Lisboa precisa da CDU na Câmara e nas Freguesias e que lhe vai dar mais força no Domingo. Pois a CDU é indispensável e necessária para fiscalizar a acção camarária e defender oi património municipal e os interesses dos lisboetas.

    Porque para quem quiser uma política de esquerda, o voto seguro e certo é o voto na CDU. Em Lisboa com o Ruben, no Porto com Luís Sá e nos restantes 301 concelhos e 2.275 freguesias, a CDU avança com toda a confiança, porque é a esquerda indispensável à construção de uma vida melhor.

  7. Este post e este embandeirar em arco, está desactualizado.

  8. jcd diz:

    Desmentiu como? Acabo de os ver juntos numa arruada.

  9. Saloio diz:

    Amigos,

    Acho estranho q não rectifiquem o vosso post porque, na verdade, o Prof. Carmona apoia o Santana Lopes.

    Digo eu…

  10. rui david diz:

    esta cena do santana e do carmona, não existe…
    ainda o santana não tomou posse e já surgem os casos, hilariantes…
    compreende-se assim que o ruy compare a rábula santana-carmona ao encontro costa-carvalho da silva… que o luis ache que o imperioso é derrotar o costa…
    quanto ao carvalho da silva… é interessante quando os tubarõezinhos cheiram o sangue. O homem é uma referência incontornável do movimento sindical português, goste-se ou não… ainda há poucos meses culpava o Vital Moreira por ter ido ser assediado numa manifestação sindical, mas bastou um pequeno “desvio”, e já os tubarõezinhos sugerem que ele está a …. “preparar o futuro”, o comparam ao carmona rodrigues… enfim, é isto que é bonito no pequeno mundo da militância política.
    Dog eats dog, o lema de um futuro mais igualitário, mais solidário… como dizia o outro (o Lenine, não era?) , “não há terceira via”.

  11. Luis diz:

    Mas quem é que mencionou o Carvalho da Silva, Rui David?

  12. Patricia diz:

    Nem todas as sondagens dão a maioria absoluta a António Costa.A da Eurosondagem que é a que se tem aproximado mais dos resultados reais só lhe atribui mais um vereador que a SL.E no caso desse personagem as sondagens não servem de muito ou já se esqueceram de quando ele ganhou á coligação que tinha como cabeça de lista joão Soares.

  13. Luis diz:

    “Nem todas as sondagens dão a maioria absoluta a António Costa” mas todas o dão à frente, certo, Patrícia? Portanto quando tentam assustar com a vitória do Santana, no fundo o que querem é maioria absoluta para o PS. E isso já não entusiasma mesmo ninguém, a não ser os socialistas. Não adianta pois insistirem na mentira do “perigo” do Santana ganhar.

  14. luis, leste o post todo até ao fim?

  15. Luis diz:

    Li Rui David, lá não se “ataca” o Carvalho da Silva. Lá fala-se com normalidade do Carvalho da Silva e ataca-se métodos idênticos do Santana e do Costa na pesca à linha trapalhona.

    Porque os candidatos são Santana e Costa. É nestes e noutros que hoje vamos vota, em todos os que encabeçam listas partidárias em Lisboa.

  16. rui david diz:

    luis, eu não quereria eternizar a conversa mas… o costa, qual santana, “pesca à linha”, uma pesca à linha “trapalhona” (eu não vejo nada de trapalhão no facto de a direita se unir toda, com excepção de algumas personalidades que se representam a si próprias, atrás do santana). O carvalho da silva exprime um apoio (mesmo que eventualmente não traduzido em voto) ao costa (o tal da “pesca à linha”). Será difícil, mesmo para quem não estudou lógica, concluir o raciocínio?

  17. Luis diz:

    “eu não vejo nada de trapalhão no facto de a direita se unir toda, com excepção de algumas personalidades que se representam a si próprias, atrás do santana” ??? Lá está o Rui David a entrar na desvalorização das forças políticas que concorrem à câmara de Lisboa. Olhe que não há apenas duas forças concorrentes, mas sim 9. Concretamente concorrem a Lisboa (e por esta ordem conforme edital assinado pelo actual presidente da autarquia): CDU, PS, BE, PSD/CDS/MPT/PPM, PNR,
    PTP, MRPP, MMS e MEP. E o Carvalho da Silva expressou apoio à CDU e não sendo candidato às autárquicos foi envolvido de modo no mínimo trapalhão na disputa eleitoral de Lisboa.

Os comentários estão fechados.