Ficções simplex

Telefonaram-lhe de um jornal para comentar o seu despedimento. Despedimento? Não sei de nada. Perguntaram-lhe se tinha estado envolvido na investigação de notícias pouco agradáveis para sua excelência. Claro, noticiar era o seu trabalho, não sabia que existiam notícias para agradar. Se queriam panegíricos deviam fazer folhetos de supermercado. A única coisa estranha é que não trabalhava naquele jornal. Será a realidade é que se engana?

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Ficções simplex

  1. Antónimo diz:

    Achei foi curioso que amanhã uma determinada excelência se prepare para fazer uma declaração “à comunicação social”.

    Daqui a uns dias fala só com mensageiros. Tadito, que anda tão confuso.

  2. WALTZ diz:

    Despedido eu? Estará a enganar-me?

  3. antónio diz:

    A realidade é as mais das vezes… uma ficção.

    Mas há excepções.

Os comentários estão fechados.