Análise sintética

À direita parece-me simples (CDS ganhou, PSD perdeu). À esquerda não consigo ver estas eleições pela perspectiva dos vencedores e vencidos.

O PS abdicou definitivamente de ser de esquerda, e ainda conseguiu levar muito dos seus votos. Para mim é inexplicável que o PS mais à direita da Europa e liderado por um primeiro ministro sobre o qual recaem graves suspeitas ainda tenha obtido a votação que obteve. Ainda mais inexplicável é que durante a campanha, surgiram novos dados e suspeitas sobre Sócrates e foram arrumadas todas as vozes que na comunicação social lhe eram aziagas, sem que isso tenha tido algum significado eleitoral expressivo.

O BE cresceu muito e conseguiu capitalizar parte do protesto contra o anterior governo. Pessoalmente esperava que subisse mais, tinha condições para o fazer com o claudicar do PS.

A CDU não subiu o que eu esperava, mas também não se afundou o que outros previam. Uma análise mais detalhada permitirá verificar se é verdade a nível nacional o que sucedeu nalgumas freguesias de Lisboa: a CDU desce nas mesas de eleitores mais antigos e sobe nas mesas dos residentes mais recentes.

Guardo uma análise mais detalhada para depois de se saber o resultados dos deputados da Europa.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Análise sintética

  1. Mir diz:

    Vi os resultados com alguém que votou no BE “quando era novo e andava na faculdade” mas que agora “cresceu” e é PSD porque “tem de se por este país na ordem”, com uma casal que se diz de esquerda, com particular apreço pelo Jerónimo, em que ele votou no PSD qual voto útil anti-Sócrates e ela votou PS porque “pode ter feito mal mas era preciso fazer alguma coisa”. Em comum apenas o maxilar caído face aos resuldados do CDS.

    Claro que a discussão foi renhida, mas eu só consegui retirar uma conclusão:
    Os portugueses têm “uma estranha forma de “voto!…

  2. Mir diz:

    Isto não dá para apagar e escrever sem erros? Pareço a Manela…(é do sono!) 🙂

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Esse “efeito” de quem votou no BE é diagnosticável em Lisboa. Num quadro em que o BE tem mais 200.000 votos a nível nacional, Lisboa apenas contribui com mais 962 votos.

  4. 5noites diz:

    Os portugueses são muito estupidos, só os portugueses que votram na esquerda imbecil é que não o são….

Os comentários estão fechados.