Jornalismo de pastel de nata

Existe no anedotário nacional uma interminável história sobre uma velhinha que acaba esganada por causa de um pastel de nata. A tragédia conta-se facilmente, a idosa começa por pedir um galão e um pastel de nata, o empregado diz-lhe que não há pastéis de nata. A senhora agradece e pede um chá e um pastel de nata. O funcionário volta a dizer-lhe que, de momento, não tem esse bolo. A velhinha sorri, pede desculpa, e diz definitiva: ‘então, quero um sumo de laranja natural e um pastel de nata’. Ao vigéssimo pedido, da criatura, de um pastel de nata, desta vez, acompanhado de um capilé. O digníssimo trabalhador perde a tramontana e esgana a velhinha. A doce parábola ilustra a demanda dos jornalistas pela as alegadas coligações do PCP e do BE com o PS. Apesar dos repetidos desmentidos de Jerónimo de Sousa e Louçã, as criaturas continuam a escrever, com toda a certeza, que ‘eles não fecham a porta às coligações com o PS’. O jornalista de plantão do Expresso, chega mesmo a escrever que há um pacto secreto ente BE e PS em negaram eventuais pactos….não se pode esganá-lo?

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Jornalismo de pastel de nata

Os comentários estão fechados.