Bloco Central

A três dias das eleições, está a dar um programa na televisão pública em que Marcelo Rebelo de Sousa e António Vitorino estão a comentar as eleições, com a moderação pastosa de Judite de Sousa. Trata-se de um comentário imparcial, sensato, equilibrado, em que ninguém se lembrou de perguntar por que raio é que não estão pessoas de outros partidos. Até porque dizem que é um especial de informação e de especial nada tem, já que o normal é termos que gramar o professor do PSD e o programador do PS todas as semaninhas.  Do que consegui apanhar, transcrevo os comentários de cada um acerca de cada um dos líderes dos cinco partidos. Sobre Jerónimo, diz Vitorino: “Igual a si próprio e calor humano”. Diz Marcelo: “Boa pessoa. Muito humano.” Sobre Portas, diz Vitorino: “Igual a si próprio. Sentido especial da sua colocação própria em relação a nichos. Aquela da lavoura é impagável”. Diz Marcelo: “Constrói o byte”. Sobre Louçã, diz Vitorino: “Irritou-se muito. Foi perdendo o auto-controlo”. Diz Marcelo: “Não recuperou”. Sobre Ferreira Leite, diz Vitorino: “Dificuldades anímicas e caracteriológicas”. Diz Marcelo: “Fez duas ou três arruadas, mas não têm nada das montagens de Sócrates”. Sobre Sócrates, diz Vitorino: “Fez o combate de uma vida e se ganhar é merecido”. Diz Marcelo: “agarrou-se à oportunidade da sua vida”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Bloco Central

  1. Cá por mim “apago a televisão” foi o que fiz;não posso fazer mais nada infelizmente! para esta rtv, é o centrão à força.

  2. Antónimo diz:

    Não esmoreça. A RTP de certeza que amanhã tem um especial informação com Octávio Teixeira, Fernando Rosas e Pires de Lima moderados pelo Jorge Gabriel.

  3. portela menos 1 diz:

    este debate entre PS e PSD não estava no programa, pois não?
    mas também, com tantos atropelos nesta campanha, não é mais esta contrafacção, batota e falta de respeito pelos eleitores que altera o sentido de voto nesta altura.

  4. O mais espantoso é que Marcelo a propósito das nacionalizações da Banca e do caso único do Bloco na Europa disse que até tinha ido ler o programa para ver se era verdade. Depois não foi o do Bloco que ele leu, mas sim o do Die Linke, o partido da esquerda alemão, onde diz que nem nesse está proposta a nacionalização da banca. Bastava ir ler o do Bloco, onde isso não está escrito.

Os comentários estão fechados.