ABJECÇÃO A MAIS… (ah, o Richter ficciona o futuro próximo)


GERHARD RICHTER

1. Em 1986, como escrevi em baixo, Mário Soares, sem méritos absolutamente nenhuns (o seu último governo tinha, pela primeira vez desde o 25 de Abril, posto na agenda o assunto “fome em Portugal”), foi eleito presidente da República. Em 1987, Carlos Melancia foi nomeado governador de Macau, cargo que conservaria até 1990, quando teve de se demitir por causa de um célebre fax ligado a prova de corrupção passiva de que seria ilibado (ah, pois não!) em 2002, suponho (não estou bem certo desta última data). No período de Melancia em Macau, Soares em Lisboa, responsável por Melancia e pelo governo de Macau, desenvolveu contactos enquanto presidente da República em busca de fundos para a sua reeleição (segundo Joaquim Vieira) com os maiores magnatas dos media mundias: Murdoch, Berlusconi, Robert Maxwell e Stanley Ho. Criou então Mário Soares vários grupos empresariais. Em 2005, Joaquim Vieira na Grande Reportagem publicou uma série de artigos sobre este tema intitulados «O Polvo», coisa célebre que levaria ao encerramento da revista, antes um nome prestigiado da imprensa portuguesa.

Muito antes, já um conhecido homem do aparelho socialista, Rui Mateus, tinha escrito um livro sobre tudo isto, o famosíssimo Contos Proibidos: Memórias de um PS Desconhecido (que o Aventar está neste momento a republicar). O Livro tem uma característica: desmistifica o presente e o passado supostamente heróico de Mário Soares. Resultado: do livro, venda record (ou apreensão??) de 30000 exemplares num só dia, o primeiro dia da distribuição. Na D. Quixote, a sua reedição está eternamente “congelada” e Rui Mateus vive hoje em parte incerta. Será este um livro indigno e pleno de falsidades? Ora, como sabê-lo, se o objecto está mais do que escondido!

2. Recentemente, J. Sócrates mostrou inflamado desagrado com o Jornal Nacional de sexta-feira da TVI, dirigido e apresentado por Manuela Moura Guedes. Resultado: o jornal saiu de cena (não se sabe como) e a campanha eleitoral socialista corre sobre rodas, efeito ainda reforçado pelo abandono anunciado de José Manuel Fernandes da direcção do Público.

3. Há dias, a TSF afastou da editoria de política uma sua jornalista que tinha tido um conflito com J. Sócrates.

4. Soube-se este fim-de-semana que o juiz Rui Teixeira que, no âmbito do processo “Casa Pia” tinha mandado prender Paulo Pedroso preventivamente, se encontra neste momento com evidentes dificuldades na sua avaliação de desempenho e promoção de carreira.

Enfim, coincidências? Não sei, não creio. Eles querem lixar todas as vozes incómodas, em vários sectores da vida pública (porque “isto” – Portugal – lhes pertence, PS=Portugal, etc.). Irão consegui-lo??


RICHTER. Kerze.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 Responses to ABJECÇÃO A MAIS… (ah, o Richter ficciona o futuro próximo)

Os comentários estão fechados.