Viva a liberdade, proibido voltar atrás

“Na sexta-feira, o provedor tomou conhecimento de que a sua correspondência electrónica, assim como a de jornalistas deste diário, fora vasculhada sem aviso prévio pelos responsáveis do PÚBLICO (certamente com a ajuda de técnicos informáticos), tendo estes procedido à detecção de envios e reenvios de e-mails entre membros da equipa do jornal (e presume-se que também de e para o exterior).”

Joaquim Vieira, A questão principal

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.