Às armas camaradas

Começa hoje à noite na TVI24 um anunciado c0mbate diário entre esquerda e direita. Se “Deus quiser” (citando José Sócrates) e o Zé Nuno ajudar vamos poder embeber (?) o debate por aqui. A lista dos ilustres participantes segue mais abaixo, embora ainda não se perceba bem quem se sentará do lado do Nuno e do Vítor:

Filipa Martins – Corta-fitas link externo

Helena Matos – Blasfémias link externo

João Gonçalves – Portugal dos Pequeninos link externo

Marta Rebelo – Blogue de Esquerda link externo

Miguel Morgado – O cachimbo de Magrite link externo

Nuno Ramos de Almeida – 5 dias link externo

Paulo Pinto Mascarenhas – ABC do PPM link externo

Rodrigo Moita de Deus – 31 da Armada link externo

Tomás Vasques – Hoje há Conquilhas link externo

Vítor Dias – O Tempo das Cerejas link externo

Os debates vão estar online aqui. E também nos blogues que resolverem colocar o debate.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a Às armas camaradas

  1. Maurício Latham diz:

    Mas o Nuno Ramos de Almeida não *trabalha* na informação da TVI? Também vai ser comentador?

  2. javali diz:

    “Embeber” parece uma adaptação à brazuca. Proponho “enleitar” para as mentes mais requintadas 😛 ou “encamar” para a populaça.

  3. Miguel diz:

    A Pulhice continua na TVI.
    Em 10 blogues não conseguiram encontrar nenhum que defenda o PS.

  4. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Marício,
    O Ricardo Costa e o José Gomes Ferreira comentam na SIC? O Ferreira Fernandes e a Câncio têm colunas de opinião no DN? Você é mesmo burro sem aspas?

    Miguel,
    A ignorância é uma coisa engraçada. Não sabia que o Tomás Vásques e a Marta Rebelo, pelos menos esses, não têm nada que ver com o PS? Este painel é bastante mais plural que os habituais que comentaram os debates nas TVs.

  5. manuel j. neto diz:

    podiam dizer a que horas vão ser esses debates?

  6. Tiago Mota Saraiva diz:

    Estes socráticos têm uma grande preocupação quando pensam que não colocaram ninguém ou quando não conseguem nomear todas as partes do debate.

  7. Miguel diz:

    “Não sabia que o Tomás Vásques e a Marta Rebelo, pelos menos esses, não têm nada que ver com o PS”.

    Acho que devo aqui voltar para lhe dar razão.
    É que nos distingue e não o quero perder

    miguel

  8. Maurício Latham diz:

    Caro Nuno, não percebo que parte da minha pergunta motivou esse miminho. Fica mal perguntar? Com toda a compreensão pelo exemplo que apontas, reconhecerás que esses jornalistas não costumam identificar-se com uma ideologia, e por isso mesmo também não aparecem nos “frente a frente”. Isto não quer dizer que não a tenham, evidentemente. O que quer dizer é que a TVI coloca “prata da casa” num debate “representativo” de tendências políticas, e não me dirás que é um procedimento habitual.

  9. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Maurício, Vamos então conversar seriamente, Irrita-me as aspas que colocaste no “trabalha”. Os jornalistas tb têm opinião e tb votam. A prova é que tens dezenas de jornalistas a opinar nos seus jornais e televisões. Ser-se bom jornalista não implica ser a virgem maria, mas ser sério e inteligente no trabalho. A ideia do jornalista “independente” da vida é falsa e totalitária. Tende a pretender fazer confundir a opinião do jornalista como uma verdade que paira sobre as partes.

  10. Nuno, não ligues às amélias. Como é que faz o tal embebido, que eu disso só sei de vinho tinto? Bom debate.

    abraço

  11. Augusto diz:

    Pois eu acho que tirando o Cinco Dias e o Tempo das Cerejas não vejo mais nenhum blogue de esquerda. assumidamente de esquerda.

    E há tantos na Blgosfera…..

    Assim temo um debate bastante desnivelado, faz lembrar o painel dos comentadores dos recentes debates nas televisões.

  12. Maurício Latham diz:

    Note-se que coloquei astericos e não aspas, o que pensava ser correntemente identificado como acréscimo enfático e não como metacomentário. Não tenho dúvidas sobre o que dizes, nem vejo o jornalista como vestal da imparcialidade. A minha dúvida é muito específica: é ou não uma novidade um jornalista, sem cartão partidário e trabalhando para o órgão que produz o programa de debate, apresentar-se como “representante” de um quadrante político? A questão de representação não é de somenos: é ela que tem vedado o acesso dos jornalistas a esse tipo de debates, mas também a não-políticos em geral.

  13. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Maurício,
    Eu não sou militante de nenhum partido, mas podia ser. Não represento nenhum quadrante partidário. Agora, acho natural que quando se organize num site de TV um debate entre bloggers se tente que as opiniões sejam plurais. É natural que quando eu participo num debate a outra pessoa não tenha a minha opinião. Sendo eu, reconhecidamente, um blogger de esquerda, é normal que discuta com bloggers de direita. Francamente, não vejo nenhuma questão polémica nisso. Mesmo em Portugal que há pouca tradição de assumir publicamente que os jornalistas defendem, em debate, uma opinião e não a verdade quimicamente pura.

  14. falso diz:

    e porque não foi convidado o melhor blog ? o doportugalprofundo ?

    um jornalista só tem que relatar factos . se opinar é manipulador confesso ..aí já não é jornalista ..mas sim comentador ..

Os comentários estão fechados.