Sondagens rascas ou com gente à rasca?

(Esclareço, a priori, que sou leitor assíduo do Margens de Erro e que tenho respeito e consideração pelo trabalho que o Pedro Magalhães desenvolve. Serve esta nota prévia apenas para o retirar da mole de astrólogos que dominam o sector)

Na sequência deste post, resolvi olhar para as sondagens do fim de semana.
Com o risco de uma enorme subida eleitoral das forças à esquerda do PS, durante este fim de semana, fomos inundados por um chuveirinho desesperado de sondagens para procurar colocar o país a discuti-las empurrando os problemas reais para segundo plano.
No geral e quando as sondagens são publicadas, nada de muito substancial se pode dizer sobre elas, pouco se sabe sobre os entrevistados, formulação das perguntas ou deontologia dos técnicos envolvidos.
Mas neste fim de semana a Eurosondagem – uma pretensa empresa de sondagens liderada por um dirigente do PS cujos resultados são invariavelmente condicionados pelas estratégias do Largo do Rato, revelou a face do seu “rigor” cruzando as percentagens com os mandatos. E, note-se, que falo da sondagem que dá um valor mais elevado à CDU e que a minha análise apenas se centra sobre os seus resultados.


A Eurosondagem dá 9,40%  entre 16/19 mandatos à CDU e 9,60% entre 18/20 deputados ao BE. Como todos os que conhecem minimamente o comportamento e o sistema eleitoral português esta extrapolação de deputados seria absolutamente inédita.
A CDU é uma força política com um voto concentrado nas áreas urbanas de Lisboa, Porto e Setúbal e no Alentejo. O BE, embora também tenha votações expressivas nas áreas urbanas tem uma votação muito mais pulverizada a nível nacional, ou seja não tem tantos altos e baixos como a CDU. Assim sendo, o sistema eleitoral por distritos beneficia a eleição de deputados da CDU. Uma diferença percentual de 0,2% entre os dois partidos significará, muito provavelmente, a eleição de mais deputados da CDU do que do BE.
Por outro lado, é interessante repescar os resultados das europeias, últimas eleições de carácter nacional. Aí a CDU obteve apenas mais 1,24% do que a sondagem lhe confere, tendo vencido os distritos de Beja, Évora e Setúbal. Contudo a Eurosondagem não hesita em afirmar que a CDU perde nestes três distritos e não consolida algumas subidas relevantes. Se assim não fosse, teria de considerar a hipótese da CDU obter mais 4 mandatos (1 em Beja, 1 em Évora e 2 em Setúbal) – já para não falar de outros 3 (Aveiro, Coimbra e Europa). Chegamos à conclusão que, para que a CDU atinja os 9,40%, a Eurosondagem deve estar a contabilizar uma espectacular subida em distritos em que a CDU tem pouca representatividade (Viseu, Bragança ou regiões autónomas), um declínio em função do resultado nas europeias em Aveiro, Coimbra e no círculo da Europa, e um desastre no Alentejo e Setúbal.
Também é curioso comparar esta extrapolação da Eurosondagem com as Legislativas de 1999, em que a CDU obteve o resultado mais aproximado de 9,02% dos votos. Num quadro de uma percentagem superior, para a Eurosondagem, a CDU teria dificuldade em eleger o 5º mandato em Setúbal (que em 1999 elegeu) e poderia não atingir os 17 mandatos de então.
Parabéns à Eurosondagem.

Outra explicação sobre o ridículo das sondagens, pelo Vítor Dias.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a Sondagens rascas ou com gente à rasca?

  1. Manuel da Mata diz:

    Vamos ter que viver com estes “engenhosos” até dia 27 e depois. Até um dia.
    O pior é que os “engenhosos” vão levando a água ao seu moinho, manipulando a consciência dos nossos concidadãos.

  2. Corvo diz:

    Desculpe o mau jeito mas não entendi nada, por acaso hoje no Semanario Economico , que publica uma sondagem da MarkTest , traz tambem uma apanhado das restantes sondagens e distribuição de deputados por distrito.

    O Porto , Aveiro , e Braga ficam com mais um deputado, Lisboa outros dois distritos perdem deputados.

    Há distritos em que o PCP deverá manter deputados, ou aumentar deputados Braga , Porto, Lisboa, Santarem , Setubal, Evora e Beja.

    O Bloco terá condições para alem de Lisboa Porto e Setubal, meter deputados por Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria , Santarem , e Faro.

    Talvez seja por isso , que a tal sondagem pretende dizer.

    No entanto diz que o Bloco pode eleger de 18 a 20 e o PCP de 16 a 19, até se pode dar o caso de por décimas o PCP meter 19 deputados e o Bloco só chegar aos 18.

    Nas legislativas de 2005, o Bloco não elegeu deputados por Aveiro e Braga por poucos votos.

    E por exemplo, o terceiro deputado do BE nas Europeias, o Rui Tavares , foi eleito pela margem minima.

    Mas isto são sondagens, são amostragens num determinado momento, não acredito que as empresas de sondagens sejam todas más, penso que até muitas fazem um trabalho bastante profissional, só que são só sondagens, e nada mais do que isso.

Os comentários estão fechados.