é tudo muito simples

Um depoimento corajoso no simplex, no que toca à identificação de problemas da sociedade portuguesa. Até nos permitimos ilustrá-lo, remetendo para exemplos reais:

O nosso atraso, em termos de percentagem de licenciados, ou de número de jovens que concluem o ensino secundário, ou da simples capacidade de preencher um formulário, é tão grande, que muitos dos nossos perenes problemas têm nele profundas raízes: a dependência do Estado para resolver os problemas através de subsídios, o mau funcionamento generalizado das repartições públicas (e de muitas instituições privadas), a baixa eficácia dos nossos trabalhadores, a falta de visão dos nossos empresários, a bur(r)ocracia reinante, o baixo nível cultural da população, a valorização da imagem relativamente ao saber, televisões com programação de nível rasteiro, e muitos outros. Como consequência, a Justiça não funciona, a Saúde tem problemas básicos, o país não tem saúde financeira, porque não produz o suficiente, nem inova para competir e ser melhor que os outros países de nível de riqueza semelhante.

Só surpreende ser publicado num blogue de apoio ao partido que, nos últimos 14 anos, governou 11.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.