Nada de censura

“Logo a seguir ao debate a SIC- Notícias explica aos inteligentes quem ganhou. Três comentadores de direita. Três. Sem contraditório. Um deles a inefável Inês Serra Lopes. Nem só de PRISA vive a censura.”

Na RTPN e na TVI24 o cenário não era muito diferente. Em Portugal o comentário político na televisão  assenta nuns quantos comentadores de direita e centro-direita cujas opiniões prefiguramos sem esforço. Convidados para assegurar a vetusta tranquilidade do hábito, estes comentadores são guardiões da serenidade do povo. Apesar de tudo são pessoas importantes. (replay)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 respostas a Nada de censura

  1. Luis Rainha diz:

    Que a Serra Lopes, depois daquele golpe do “sósia” do Carlos Cruz e da falência inundada de dívidas do “Independente”, tenha a lata de aparecer (para já nem falar de quem a convida) é daquelas pequenas coisas que nos define como país.

  2. Luis Moreira diz:

    É íncrivel como uma dita jornalista, que apanha um ano de prisão por tentar obstruir a Justiça, num caso de pedofilia, me entra em casa .Isto, realmente, define este país.

  3. WALTZ diz:

    sempre os mesmos. os cornos de lisboa.

  4. Jorge diz:

    As mesmas televisões que dão destaque à tentativa de controle da informação na Venezuela por parte de Chavez (mas omitindo conscientemente as manifestações nas Honduras contra o governo golpista), são aquelas que nos impõem uma censura subliminar. Ontem, por exemplo, Pedro Baldaia, João Duque e Inês Serra Lopes, todos de direita, trataram de amparar Manuela Ferreira Lopes e de minimizar as ideias de Francisco Louçã após o melhor debate entre líderes partidários, até ao momento. João Duque até fez de “fiscal de linha” (daqueles que inventam penaltis, ou que não os querem ver quando são evidentes, para não prejudicar a equipa do coração), anulando dois “golos” a Louçã por pretenso “fora-de-jogo” – foi ele que usou a linguagem futebolística. Baldaia já tinha aberto o festival, tentando colar Louçã a um passado de nacionalizações catastrófico para a economia – que como sabemos, com a febre das privatizações dos sectores estratégicos navega hoje em águas tranquilas e permite ao país usufruir de um desenvolvimento ímpar… De Inês Serra Lopes nem vale a pena falar. Não devia ser permitido a tal pessoa apresentar-se como comentadora na televisão. É um mau exemplo para todos, especialmente para os jovens.
    A direita que domina os meios de comunicação bem pode denunciar as mordaças “chavistas” sobre a liberdade de imprensa. Essa direita faz a mordaça parecer um lenço bonito para se colocar no pescoço, e vai apertando, apertando…

  5. Tiago Mota Saraiva diz:

    O mais à esquerda que Ricardo Costa autoriza são dirigentes do PS com responsabilidades na elaboração do seu programa.

  6. Pisca diz:

    Tiago
    Não só, não só,
    Foi delirante aquela entrevista feita por uma avantesma do Louçã no final do debate com o Jeronimo de Sousa, em que sucessivamente ia fazendo perguntas para que o Louçã repetisse ponto por ponto o que tinha acabado de dizer, acabado o tempo de antena suplementar, foi direito ao Jeronimo de Sousa e despachou tudo com um, “como lhe correu o debate”
    É o que faz entregar estas coisas a amadores

  7. órélio diz:

    Primeiro o debate. Mas aquilo foi um debate? Pareceu-me mais um monólogo – Louçã a massacrar Ferreira Leite.

    Porém – oh, inconsistência das coisas humanas – os nossos comentadores, os tais da liberdade de expressão e do ai jesus que asfixiamos!, quer do TVI24 quer da SICN, viram um debate que eu – e estou em crer que qualquer pessoa que não estivesse sobre o efeito de narcóticos mt potentes -, muito sinceramente, não sei onde aconteceu!

    viva a liberdade de expressão!

    E hoje os jornais? Nem grandes capas, nem grandes paragonas, nada, rien, niltz. Desde comentários incríveis como “Ferreira Leite marcou golo com a saúde (só se for golo na própria baliza), até “esteve melhor do que as minhas expectativas (se isso é critério para chegar a primeiro-ministro do país, então ponham lá o Dino Meira, ou o Fernando Girão… De tudo, do mais descarado, ao mais baixo, ao mais falacioso, se viu.

    curiosamente, ninguém arriscou aqueles comentários lapidares, estilo totobola, onde se apresenta um vencedor incontestável. Só pode ter sido por falta de comparância do adversário. Porque uma coisa é clara: MFL mente com quantos dentes tem, por isso não deve ter estado lá, mas sim uma “sósia”, ou uma clone, que nem se importa que as pessoas do mesmo sexo vivam juntinhas… desde que não procriem, bem entendido.

    depois disto, vc aí no 5dias ainda acham que o pior que aconteceu foi o mandar pó c… a Bouca Guedes?

    que haja alguma coisa que equilibre o prato da balança, mesmo que seja por meios pouco honestos, mesmo que a balança fique a pender para o PS.

    Asfixia democrática? Essa é a alcunha deste jornalismo, mas de há muito a esta parte…

  8. MP diz:

    O Baldaia da TSF de direita?

  9. i.tavares diz:

    É o contraditório, no seu expoente máximo.Quanto á senhora que quiz envolver alguém no processo de pedofilia 100% de acordo com o Sr. Rainha.

  10. José Manuel diz:

    O Baldaia da TSF é um dos zelotas socráticos. O pior é que na RTP-N e na TVI24 o panorama ainda era pior. Isto tem-se repetido em todos os debates, que são seguidos destes contra-debates, que se caracterizam por arranjarem 2 ou três comentadores identificados com o bloco central de interesses para debitarem o argumentário ideológico do bloco central e rebaterem (sem contraditório) os argumentos da esquerda. Os comentários são em geral completamente indigentes (veja-se a patética prestação da Marina Costa Lobo depois do debate Jerónimo/Sócrates) e puramente ideológicos.
    O objectivo desta ladaínha é assegurar que as pessoas não pensem pela sua cabeça e mantenham os votos no redil do PS e/ou PSD, que é o que realmente interessa à oligarquia financeira.

  11. órélio diz:

    E mais ainda: o problema é que os politólogos portugueses deixaram de pensar. A Marina Costa Lobo é um exemplo: só disse banalidades. Para dizer destas coisas por que raio precisa um tipo(tipa) ser “politólogo” juramentado???

  12. Pisca diz:

    Desculpem a minha ignorância, mas o que faz um Politologo ?

    Lê, (lerá ???), umas coisas, arranja umas avenças num canal qualquer e manda uma bocas ?

    Isso faz o meu vizinho de baixo mais uns amigos que jogam à sueca durante estas tardes de verão no café ao lado

Os comentários estão fechados.