A comissão fabriqueira?

foisse
Há uns tempos, alguém se lembrou de limitar o acesso dos partidos a fontes de rendimento mais ou menos opacas, como festas, rifas e outras invenções pedinchas. Tecnicamente a ideia fazia sentido, mas politicamente era inviável: as medidas subsequentes afectariam apenas o PCP e a sua Festa do Avante! Mais a mais, era um ataque míope: o fim do PCP talvez venha a nascer da própria Festa, quando esta tratar de engolir o partido que a gerou.
O sucesso destes três dias é cada vez mais crucial para um partido que encolhe em tudo menos em estrutura, dependentes e património. A Festa tende a ser menos um meio e mais um fim; o destino do próprio PCP é indissociável da fortuna da Festa. Os camaradas que ali dão o seu suor e o seu tempo fazem-no com um sentido de missão que em muito ultrapassa a criação de uma simples sala de visitas onde receber, entreter e convencer os transeuntes. Em breve, aquela vai ser a única acção relevante do partido; todos irão lá trabalhar para garantir os ordenados futuros, preocupando-se cada vez menos com ideologias, política e outras minudências.
Indícios? De ano para ano, as novas caras da JCP que por ali se vão vendo restringem-se cada vez mais a filhos de funcionários. E nem de todos: miúdos de pessoal menos “firme” já nem são organizados, embora lá andem a montar a festarola com os demais. Parece que já desistiram de um futuro em que continuem a ser uma força relevante. Mais: já se vêem militantes convertidos em cantores de ocasião, assim à laia daqueles restaurantes em que os empregados também massacram árias famosas.
Teme-se o pior. Daqui a uns anos, talvez PCP queira dizer “Produções, Comezainas e Pirotecnia”, sem esquecer o obrigatório “®”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a A comissão fabriqueira?

  1. António Figueira diz:

    Luís,
    Tu serás um louco porreiro, mas és um louco na mesma.
    Este teu post pertence à melhor categoria de posts do mundo: a dos que não merecem resposta.
    Abraço, AF

  2. ss@gmail.com diz:

    De qualquer modo aproveite-se esclarecer: o comício de Domingo não encerra a Festa do Avante como os canais noticiosos não se cansam de dizer. É o último comício da Festa (como há o de abertura) mas depois disso ainda resta um monte de programação até à meia noite onde aí si se despedem com um «Até p’r’ó Ano» . Mas não deixem de atravessar o tejo os que quiserem! – nem que seja para as ‘Produções, Comezainas e Pirotecnia’ de que se fala…

  3. Andas um pouco facho. Deves ter levado pancada em casa, nos últimos dias, e deu-te para ai.

  4. Pelos vistos, quem não é PC é facho. Tomei nota.

  5. i.tavares diz:

    Não sei se não merece resposta,pelo menos uma resposta divertida, muito ao gosto do Sr. Luís Rainha.Nos últimos anos quantos cangalheiros,já fizeram o funeral ao PCP?Eu respondo milhentos incluindo o próprio Sr. Rainha.O Sr. ainda não viu, que a força do PCP está na sua ideologia.
    O que me alegra,é que os cangalheiros vão certamente,desta para a melhor
    muito primeiro que o PCP. Mas esteja descansado Sr. Rainha, eu também vou primeiro.

  6. Morcego diz:

    Alucinas, meu!…e não é impressão minha…

  7. António Figueira diz:

    Gostava de ser mosca para conseguir ler o bloco de notas do arguto comentador Alves Pimenta: deve ser ainda mais divertido que os posts do LR “depois de ter levado pancada”, sources say.

  8. Ó Figueira, francamente, não esperava isso de si.
    Quem consultou o meu bloco de notas foi a PIDE, mas isso já aconteceu há mais de 35 anos, calcule!

  9. Luis diz:

    Pura dor de cotovelo do Luís Raínha. Há-de passar, com o tempo tudo passa.

  10. Luis Rainha diz:

    “funeral ao PCP”, “dor de cotovelo”??? Mas está tudo louco? Eu vou à Festa, eu emborracho-me lá, compro livros e discos lá, assisto a concertos giros por lá (alguém devia dizer aos Clã para despedirem o gajo da organeta, já agora), e até lá comprei roupa ontem. Iria agora querer que aquilo acabasse?

  11. Luis Rainha diz:

    Já agora, António: foste lá?

  12. i.tavares diz:

    A camisola do CHE.Talvez. Não essa já a comprou há muitos anos.

  13. Tiago Mota Saraiva diz:

    Luis, faltou-nos ir beber um copo pá! De qualquer forma, deixa-me dizer-te, que te cruzaste com malta estranha e não deves ter feito boas compras.

  14. António Figueira diz:

    Luís,
    Não corro o risco de responder a um gajo que pode ilustrar a minha resposta com a imagem de um escaravelho a empurrar uma bola de cócó (e pode ainda vir dizer que eu não sou um escaravelho).
    Abraço, AF

  15. Luis Rainha diz:

    Tiago,
    Tenho mixed feelings: comprei o “Ugly Beautiful” (que me tinham gamado) e o “Homem sem Qualidades”. O pior foi mesmo o jantar na Madeira: 12 euricos por 6 pedaços de vaca carbonizada e uma hora em filas. Ainda por cima, já não havia milho frito (o meu motivo para ali estar) quando fui finalmente servido.

    António,
    Ná. Tu merecerias sempre bicharoco bem mais nobre e exótico. Sei lá, um ornitorrinco?
    🙂

  16. Carlos Vidal diz:

    Luis Rainha, daqui a pouco estás a ser citado no coiso ….
    ….. eh pá, como é que se chama? ……….. naquele sítio que …….

  17. Luis Rainha diz:

    Aquele que começa quase por “cu” e acaba em algo parecido com “peidar”?

  18. Carlos Vidal diz:

    Também.
    Mas estava a pensar naquele que começa por sim e acaba em não.

  19. Tiago Mota Saraiva diz:

    Luis, espero que o “Ugly Beautiful” não tenha sido gamado na festa! Sobre a Madeira sei do que falas. Acho que o melhor conselho é chegar à festa antes das 12.00h e fazer um longo almoço que faça esquecer o jantar.

  20. João diz:

    A minha dica: vitela ou rojões em Santo Tirso. Menos de 5 minutos à espera a qualquer hora, e não é preciso senhas.

Os comentários estão fechados.