Camarada Jerónimo (com vodka não vai nada mal)

red-bull

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 respostas a Camarada Jerónimo (com vodka não vai nada mal)

  1. LAM diz:

    pois, ou isso…

  2. Manuel Resende diz:

    desculpe, camarada chico: isto é publicidade?

  3. LAM diz:

    Muito mau. Se um responsável da oposição de esquerda vai a um debate com o 1º ministro à defesa como o fez Jerónimo de Sousa pergunta-se para que raio pediu a oposição debates na tv.
    Se nos últimos minutos Sócrates apresentasse uma proposta para militante do PS a Jerónimo, este só não assinaria se não tivesse fotos tipo passe à mão.

  4. Não estou nada de acordo com LAM:
    Lutaram com armas desiguais – que o secretário-geral do PCP não pode cair na demagogia e no populismo – Jerónimo e Sócrates falam principalmente para eleitores diferentes e, em relação aos que ainda podem hesitar, o debate fez cair por terra os argumentos do voto útil para derrotar a direita e o slogan do PS como inimigo principal do PCP.
    Sempre com muita serenidade, Jerónimo de Sousa chamou Sócrates à realidade e com uma simples frase reduziu à verdadeira dimensão a tão aclamada política social deste governo: vocês correm atrás da pobreza!
    Será que esta nova imagem de José Sócrates faz esquecer a anterior e as malfeitorias deste governo contra o povo em geral e os trabalhadores em particular e a reafirmada continuação de rumo? Será que este novo hábito faz o monge?
    Na verdade, quem me pareceu mais nervoso e muito à defesa foi Sócrates, com a conversa habitual para adormecer incautos e sem a desenvoltura dos debates na AR.
    Para mim ficou a imagem de um Sócrates na defensiva e um Jerónimo muito tranquilo.

  5. Luis diz:

    “Jerónimo e Sócrates falam principalmente para eleitores diferentes e, em relação aos que ainda podem hesitar, o debate fez cair por terra os argumentos do voto útil para derrotar a direita e o slogan do PS como inimigo principal do PCP.
    Sempre com muita serenidade, Jerónimo de Sousa chamou Sócrates à realidade e com uma simples frase reduziu à verdadeira dimensão a tão aclamada política social deste governo: vocês correm atrás da pobreza!”

    Muito bem dito, Manuel Gaio. Jerónimo mostrou que a CDU é a força tranquila, a esquerda que não precisa nem de berros, nem de maledicência, nem de fulanização. Que a CDU é a esquerda serena, poderosa, séria, leal, frontal. A esquerda de confiança.

  6. Corvo diz:

    Falam para eleitores diferentes????

    Então ambos não se dirigem ao povo português.

    Muitos eleitores do PS, não são atingidos pelo desemprego, pela miséria.

    Jerónimo infelizmente esteve muito mal, um politico tem de se preparar e muito para estes debates, ou então mais vale ficar sem voz.

  7. LR diz:

    Esta malta consegue fechar os olhos a tudo e emigrar para um mundo alternativo à vontade. Jerónimo perdeu, esteve débil e apagado. Melhores dias virão. Qual o problema em admitir isto?

  8. Miguel diz:

    Não achei que Jerónimo estivesse apagado. Esteve igual aos outros debates. Aquilo que vocês chamam “apagado” é o facto de Jerónimo não ser mal educado, como o caso de Paulo Portas e interromper o seu interlocutor.
    No entanto, LR terá uma concepção diferente daquilo que é educação e modos de estar num debate. Provavelmente, concordará com aquele modelo de não deixar alguém falar, através da interrupção constante.

  9. O seguidismo é a mais infantil das doenças.
    Aquele debate não foi nada…o Jerónimo esteve muito mal.

  10. LM@yahoo.com diz:

    «preso por ter cão…» é um pouco o lugar comuna: ou condenados por garras à solta ou, enfim…

  11. Desculpem insistir mas não concordo com os critérios de avaliação. Está bem quem é mais rápido no argumento seja ele qual for? Quem diz aquilo que sabe que a maioria quer ouvir, mesmo que seja o contrário do que pensa ou de que faz e vai fazer?
    Os eleitores serão assim tão crédulos?
    O debate não foi entre Jerónimo e Sócrates, o que conhecemos, que governou e quer manter o rumo, mas um senhor que parece ter aparecido agora, que nunca foi primeiro-ministro ou governante de um outro governo qualquer.
    E se o Sócrates eleitoral aparece travestido de esquerda o que interessa é saber se convence alguém.
    Alguém está convencido que o Sócrates deste debate conseguiu retirar votos à CDU? E não terá Jerónimo demonstrado que o inimigo é a política de direita e que a CDU está determinada na luta contra esta política?

  12. LAM diz:

    “Esteve igual aos outros debates. Aquilo que vocês chamam “apagado” é o facto de Jerónimo não ser mal educado, como o caso de Paulo Portas e interromper o seu interlocutor.”

    Entre uma coisa e outra vai grande distância. Ninguém pedia a Jerónimo para ter um comportamento arruaceiro à Paulo Portas. O que se pedia, no mínimo, era que tivesse sido mais firme e objectivo na defesa das suas posições, e vez de ter passado o debate quase todo a desculpar-se da oposição que os trabalhadores fazem ao governo. Quem devia ter estado naquele debate a justificar-se era o 1º ministro de um governo de direita e não o Jerónimo de Sousa.

    P.S. Por sorteio cabe a um dos oponentes começar o debate e ao outro finalizá-lo. O início coube a José Sócrates, pelo que a intervenção final caberia (como foi de resto explicado por Judite de Sousa), a Jerónimo de Sousa. Ora não foi isso que aconteceu, mais uma vez com o estranho silêncio e falta de reacção de Jerónimo de Sousa: pegando na deixa de interpelar a entrevistadora acerca do que entenderia ela por “ser mais papista do que o Papa”, acabou por ser de Sócrates a intervenção final, contra as regras estabelecidas.

  13. Pingback: O debate Paulo Portas – Jerónimo de Sousa | Aventar

  14. Pingback: Debates: Sócrates – Louça | Aventar

  15. Pingback: O debate Paulo Portas – Jerónimo de Sousa « Aventar

  16. Pingback: Debates: Sócrates – Louça « Aventar

Os comentários estão fechados.