Análise correctíssima: o PS só tem a ganhar com o sucedido (ao contrário dos lamentos de muitos jagunços)


PIERRE HUYGHE. “Les Grands Ensembles” (vídeo). 2001.

A decisão de censurar o Jornal Nacional de 6ª (JN6ª) foi tudo menos estúpida. O núcleo político do PS-governo mediu friamente as vantagens e os custos de tomar esta medida protofascista. E terá concluído que era pior para o PS-governo a manutenção do JN6ª do que o ónus de o ter mandado censurar. Trata-se de mais um gravíssimo atentado do PS de Sócrates contra a liberdade de informar e opinar. Talvez o mais grave. O PS já ultrapassou de longe a acção de Santana Lopes, Luís Delgado e Gomes da Silva quando afastaram a direcção do DN e Marcelo da TVI.
(Eduardo Cintra Torres)

 A análise está correctíssima: é menos lesivo para o PS o barulho dos próximos dias (4 ou 5, não mais) do que a continuação do Jornal Nacional.

Alguém tem dúvidas?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

29 respostas a Análise correctíssima: o PS só tem a ganhar com o sucedido (ao contrário dos lamentos de muitos jagunços)

  1. chico da tasca diz:

    Carlos Vidal, isso é a sua opinião, moldada por sectarismo.

    Você tem é de provar o seguinte : o Sócrates mandou acabar com aquele cano de esgoto televisivo ? Se não mandou tudo isto só o prejudica. É só constatar do oportunismo e do aproveitamento, aliás miserável, de toda a oposição em torno disto.

    Você acha que o comum dos portugueses atribuia algum valor ao que saía da Bocarra Porca da Manuela Moura Guedes ?

    O Sócrates nem precisava de comentar aquele cano de esgoto televisivo, qualquer um via.

    Toda a sua análise é sectária e fundamentada neste ponto : o senhor como comunista não gosta do Sócrates, e como não gosta do Sócrates, tudo o que possa enporcalhar o homem para si é musica de harpa.

    Estão a procurar destruir o homem de forma nojenta, com julgamentos sumários, sem provas, com processos de intenções, e você é um dos que colabora nisso.

    O “jornalismo” da Moura Guedes era Miserável, era tudo menos informação, era um julgamento sumário, sectário, cheio de ódio, e ofendia tod a deontologia a que um verdadeiro jornalism de seve borigar.

    E você aqui está no mesmo caminho.

    E depois você como comunista não tem a mínima autoridade em falar de Liberdade de Imprensa, nem de Censura. E você sabe disso !

  2. Aparece mais um primo, já não é o Mestre de Kung-fu, agora é “o Gordo”, aprendiz de empresário que está nas Áfricas. Isto de ter uma família alargada dá que falar, afinal de contas, a bomba que terá feito o Primeiro Ministro perder a cabeça e pedir ao camarada Zapatero para dar instruções à PRISA, que terá ligado à Media Capital para mandar suspender o “Jornal Nacional”, não passa afinal da reedição do episódio “O primo II”. Até as fontes da investigação são as mesmas, Sir Charles Smith! Uma personagem incontornável cuja credibilidade é sobejamente conhecida

  3. chico da tasca diz:

    Você tem é de mostrar provas aqui de que o Sócrates censurou o que quer que seja.

    Se não o fizer. e continuar neste tom é tão miserável quanto a Moura Guedes e está ao nível dela.

  4. Pingback: wazzup » Blog Archive » Análise correctíssima: o PS só tem a ganhar com o sucedido (ao contrário dos lamentos de muitos jagunços)

  5. Eu. Uma pergunta, vistes o jornal da tvi hoje?

  6. Carlos Vidal diz:

    Tens dúvidas miguel?

    E quem te disse que a equipa do Jornal Nacional se dedicou apenas ao Freeport (pois parece julgares que a escassez de “bombas” hoje te dá razão para essas dúvidas)?
    Bom, e a Cova da Beira? Quem vai continuar a investigação? Porque é que o prof que deu 4 cadeiras 4 (tiveste alguma vez 4 disciplinas 4 com o mesmo professor-mestre e tal) a Sócrates era ou é um empreendedor magnífico lá pelas Beiras?
    E a vitória futura mais do que evidente, apesar do seu terceiro lugar, da Mota-Engil no TGV? E o contrato do sr. Coelho até 2042?
    Quem te disse que eu estava a falar (ou que o Cintra Torres estava a falar) apenas no Freeport?
    E o resto?
    Tudo isso vai desaparecer nas próximas semanas não vai?
    E quem ganha??

    É só responder a isto: vai ou não vai desaparecer?
    Depois, faz as contas e manda notícias (mas primeiro convém pensar).

  7. António Figueira diz:

    Chico da Tasca e Bruno – Planetas: testemunhos de uma política de abertura, crescentemente susceptível de mobilizar novos e amplos sectores da sociedade, de vitória em vitória até ao desastre anunciado.

  8. chico da tasca diz:

    Ó Vidal viste o Jornal da TVI de hoje meu sectário de merda ?

    Aonde é que está a censura ?

    És um sectário pá, e és desonesto intelectualmente.

    Não é por acaso que és Comunista.

    Viste alguma censura por parte do Governo ao que foi apresentado hoje no Jornal da TVI meu aldrabão de pacotilha ?

    Devias de ter vergonha nessa cara por andares a destruir o caracter de um homem só porque não é da tua cor politica.

    Gajos como tu metem nojo !

  9. Carlos Vidal diz:

    Valente chico!!

    Não percebes nada nem desistes!!

    Pareces o sr. Costa Pereira.

  10. João Pires diz:

    Já começou a preparação da noite das facas longas no PS.
    Basta ver o que já dizem os correligionários de JS acerca dele.. começa a debandada..
    http://bichos-carpinteiros.blogspot.com/2009/09/paga-o-justo-pelo-pecador.html

  11. WALTZ diz:

    Eu hoje gostei do Jornal da TVI. Tão rasca e alinhado. Foi um verdadeiro jornal. Comem merda… e gostam. Ide-vos foder.

  12. baudolino diz:

    ó chico, descarregue lá este livro e entretenha-se: http://rapidshare.com/files/23967307/Livro_Contos_Proibidos.pdf

    “Contos proibidos: memórias de um PS desconhecido”, Rui Mateus, Publicações Dom Quixote.

  13. E isto?
    “Candidatura de Assessor de Sócrates compra dois jornais”, in DN – 5 de Setembro
    http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1353547

  14. Brother Charles:

    Não me peças para pensar primeiro que isso é coisa muito difícil para mim. Bem sabes que o meu género é disparar primeiro e pensar depois.
    Mas, porque me pedes o esforço e apesar da hora tardia aqui vai (se fosse o teu colega Figueira não valia a pena o exercício).
    A tua pergunta era: ” A análise está correctíssima: é menos lesivo para o PS o barulho dos próximos dias (4 ou 5, não mais) do que a continuação do Jornal Nacional.
    Alguém tem dúvidas?”
    Isto está correcto ou há um problema com o copy paste?
    Posso duvidar, ou não?
    Deixas-me acrescentar que no café da baixa onde assisti ao dito telejornal, o pessoal que após uma jorna de trabalho, e que com a mão na cerveja, esperava o próximo autocarro para Rio Tinto ou Oliveira do Douro e outros subúrbios da Invicta que aqui não cabem, se indignava com o ar boçal do recém descoberto primo, e toda a merda acumulada que tu referes vinha ao de cima nos comentários deste pessoal. Mais, nenhum dos presentes se lembrava do canal emissor, que supostamente coisa e tal com o dito cujo.
    Deixa lá me duvidar que haja mais toucinho nesta feijoada. Toucinho mais grosso do que eu ou tu possamos conceber.
    Não me leves a mal, mas gosto mais da hipótese do meu colega de blog, o Sá, um gajo às direitas como eu. Se não leste faz-me o obséquio http://aventar.eu/2009/09/03/a-armadilha-da-prisa-ongoing/
    Ás vezes começo a pensar – vê lá tu- que por vezes (algumas, poucas) também te calhava bem pensar primeiro, ressalvando, claro está, que eu não frequento a tasca do chico, e essa coisa do carácter e o caralho não me diz nada.
    p.s.: o Brother Charles é por via do do nosso querido Cornel West.

  15. Pingback: cinco dias » Costa Pereira

  16. chico da tasca diz:

    Carlos Vidal

    Não precebo nada ? Pois não, ao pé de vocês não percebo nada, vocês em matéria de Censura e de repressão da Liberdade de Expressão e de Imprensa são doutorados. Por isso avaliam os outros pela vossa bitola.

    Vocês não sabem se o Sócrates teve alguma interferência neste caso, que não teve, em primeiro lugar porque não é burro, e em segundo lugar porque não precisava de ter porque aquela merda de telejornal falava por si, mas não têm pejo em acusá-lo de forma objectiva de fazer censura, tudo devido aos ódiozinhos politicos.

    Mas agora as pessoas são julgadas e condenadas na praça publica, aos poucos e poucos, e de acordo com o calendário politico ? É esse o vosso socialismo ?

  17. Justiniano diz:

    Caríssimo miguel dias. Também sou levado a concordar com o teu amigo Sá. Mas não posso concordar contigo, para Oliveira do Douro vai da Batalha na carreira da oliveira e fernandes.
    um abraço pela baixa e manda um por mim aos clérigos e aos leões.

  18. almajecta diz:

    Isso sim, uma amazona androfagica, a comunicação social acaba sempre por comer os seus rebentos. E estes rebentos são como a boga, vão a todas e depois queixam-se. Falta-lhes o: “a caravana passa e os cães ladram”. Levam a sério as ciências sociais moles e dão-se a gravidades inimagináveis, o já habitual vulgar de Lineu.

  19. Por acaso, este caso faz-me lembrar o fecho de televisões levadas a cabo por Chavez, ou a censura de Estaline…

  20. Nuno diz:

    Aqui entre nós, ainda bem que acabaram com aquela porcaria de noticiário. Aquilo envergonha um país. Ainda me lembro da Manela a tentar crucificar o Marinho Pinto sem perceber, sequer, um chavo sobre leis de Assembleias Gerais. A mulher é uma vergonha para a classe dos jornalistas – já para não dizer que é uma vergonha para quem tem dois dedos de testa.
    Acabou a peixeirada? Come-se caldeirada

  21. Não sei se Cintra Torres tem razão ou não, mas o artigo dele é um vómito absoluto. Acusa o PS e Sócrates de tudo e mais alguma coisa. Daqui a pouco começa a dizer que Sócrates vai reabrir o Tarrafal. E se calhar pode ter razão. Mas não se acusa ninguém, pelo menos no jornalismo decente, sem ter provas (ou no mínimo indícios fundamentados) e uma linha argumentativa. Cintra Torres tem apenas especulações. Fui contra os processos de Sócrates a Manuela Moura Guedes e a outros, mas se Sócrates (e as restantes pessoas mencionadas no artigo) o processarem, aplaudo completamente. Cintra Torres merece perder a carteira jornalista, pelo menos enquanto assinar estas coisas auto-intitulando.se de “jornalista”.

    PS (salvosseja, como diria um amigo meu) – não vou votar PS.

  22. Carlos Vidal diz:

    Ricardo Ferrreira, não faz lembrar Chavez. Ponto 1 e único!
    Informe-se sobre a Venezuela e não engravide pelos ouvidos!

    E Chico da Tasca, é verdade, você não “precebe” mesmo nada.

    Mas é e será cada vez mais bem recebido aqui.
    CV

  23. carlos graça diz:

    Sendo a PRISA uma empresa privada, com o objectivo de LUCRAR, por que razão iria acabar com um programa/noticiário com excelentes audiências, e que lhe traria mais-valias?

  24. almajecta diz:

    este CUF de Portugal até percebe umas coisas disto, o “boçês” é que estraga tudo, para mim não há pior, pois como o nosso povo sou mui pela essência, pureza, virgindade, pela Nª. Srª. de Fátima, os deveres, o direito, a justiça e assim.

  25. Carlos diz:

    Como crítico Carlos Vidal revelava (nao sei se ainda revela) o mesmo sectarismo alicercado nos dogmas do “realismo mediático”, cujos efeitos na produção artística poderiam ser interessantes em algum caso, mas normalmente – bastante – não iam mais longe do que toda a insipidez imaginável. As críticas que fazia(m) aos artísticas “romanticos” (diziam eles), eram normalmente um arrazoado de insultos polvilhado de citações de autores canónicos.
    Ele segue à risca os manuais das vanguardas comunistas, qualquer propaganda é boa, desde que seja contra o inimigo.
    Pode ser que Sócrates tenha censurado MMG. Se tal fosse, não adiantava dizer simplesmente que a mulher nao dá uma para a caixa, porque o caso era grave. Gostava no entanto, antes de tomar posição, que as provas, o raciocínio, o explicar como se chega de A a B, fosse um processo límpido e limpo.
    Assim, a propaganda é uma má propaganda, apenas reflecte a impotencia intelectual.

  26. Carlos Vidal diz:

    Caro Carlos,
    Pelo que escreve, vejo que conhece (ou conheceu, participando) a paisagem artística portuguesa de meados dos anos 90. Tudo o que diz é verdade: havia esse combate entre o “realismo mediático” e os “românticos”. As coisas complexificaram-se um pouco desde então: o Leonel Moura, por exemplo, está no SIMplex e eu estou por aqui – sectário como sempre.
    Portanto, o que descreveu mantém, vírgula a vírgula.
    Apareça sempre.
    CV

  27. almajecta diz:

    Nada melhor do que os percebes da Vila do Bispo em água salgada para revelar essa tua antiga profissão de promoções, divulgações, propaganda e crítica.

  28. Carlos diz:

    alma dejecta, exactamente quer dizer o quê?

  29. miguel dias diz:

    Justiniano
    Abraços a clérigos parece-me uma coisa um bocado desprositada e por vezes mal interpretada. Abraços a leões, só áquele que teria salvo a pátria que tanto o quer, não o tivessem sentado durante meio jogo.
    Aquele abraço para o Silva Muniz (e para ti também, é claro).

Os comentários estão fechados.