Afinal, a montanha vai mesmo parir um ratito

De acordo com um dos entusiastas da coisa, o programa do PSD «é normalíssimo». Haveria pior qualificativo para a obra? Quem é que precisa de receitas normais neste país e neste momento? E que raios será «um programa à escala dos eleitores»? Promete títulos para o Benfica e o quilo de percebes a dois euros? Se nem os apaniguados encontram elogio mais vibrante, teme-se mesmo o pior.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 respostas a Afinal, a montanha vai mesmo parir um ratito

  1. i.tavares diz:

    Do que estava à espera Sr. Luís Rainha. Alguma obra de arte.
    Deixe o Benfica em paz.Quem se mete com o Benfica “leva”.

  2. Uns cinco minutos serviram para ver as linhas da coisa, depois adormeci.

  3. Quem precisa de partidos de momento? Os membros dos mesmos?

  4. Zorro diz:

    Sem dúvida, as propostas de Programa de Governo do PSD andam a incomodar bastante os ratos e os seus comentadores de serviço. Uma constatação, é a menorização do mesmo, um esvaziar de conteúdo, pois os ratos preferem atirar aos olhos dos eleitores um punhado de mentiras e propostas suculentas, como se não tivessem tido tempo para as implementar durante os 4 anos e meio da sua legislatura.
    Toda a imediata agitação perante a divulgação do Programa do PSD, denota o pânico entre os ratos, que se desdobraram em comentários a partir da sua toca, usando para os mesmos, alguns Ministros-Rato, que são responsáveis pelo actual Estado da Nação.
    Com que autoridade podem eles criticar o Programa do PSD, se não honraram o programa que prometeram em 2005?
    Palhaços Hipócritas!
    PS, jamé!
    A Bem da Nação!

  5. LAM diz:

    Zorro,
    a montanha nem pariu um rato, a esterilidade física e política da líder e dos seus seguidores não davam para tanto. Abortou um feto ressequido.

  6. Sérgio diz:

    Zorro, mais tabaco…

  7. Caro LR,

    Ser normalíssimo é o melhor elogio que se pode fazer a um programa político; o PSD não é o Benfica, onde se prometem títulos com um plantel de mancos, apresentados como grandes vedetas.

  8. Um programa à escala dos eleitores passa por abordar as propostas numa linguagem concisa e concreta, com medidas que dizem algo aos cidadãos. Não há ali linguagens redondas, nem frases autocompreensivas, lindas, mas que não dizem nada. São compromissos claros, e sem rodeios.

    É esse o ponto.

  9. i.tavares diz:

    Peço desculpa ao Sr. Adão.Mas mancos ,por mancos,o PSD, segue na frente.

Os comentários estão fechados.