Eu também quero o meu!

Tomás Vasques responde a um texto do Nuno com a costumeira litania  dos nomes: Stalin, Fidel, blábláblá. How refreshing. Depois, queixa-se de que nunca o povo sujeito ao domínio de tal malta alguma vez cheirou «a distribuição do produto social.» Mas o que é isto? Haxixe a preços subsidiados? Coca subvencionada?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a Eu também quero o meu!

  1. antónimo diz:

    A Rússia e a China pré-Mao eram verdadeiros sóis. Aliás, tal como o são agora que acabaram com veleidades colectivistas

  2. Justiniano diz:

    Rainha! Sua ameba jurássica.
    Não. Só calda bordalesa, aquela, a mesma, a única que te tocou.
    Mas deixa lá o Vasques que temos aqui alguns levantados à procura do Santo Graal da esquerda.
    Os mesmos que já não dispensam o discurso liberal, que de marx apenas ficaram os irmãos e que até já desdenham o PC Chinês porque dispensa aquela construção tão marxista que são os sindicatos.

Os comentários estão fechados.