Conversas em família

A proposta de Sócrates só fazer debates, a dois, com Manuela Ferreira Leite é um remix das conversas em família de má memória. Os responsáveis pelo governo nos últimos 30 anos vão explicar, sem se rirem, as alternativas ao seu desgoverno. O bloco central tem mandado em Portugal. A alternância é uma espécie de governo com duas caras, mas com a mesma política de sempre. Quem estiver contente pode votar PS ou PSD e terá o tratamento do costume. Como dizia um célebre barão: ‘cada povo tem o governo que merece’

Em estéreo no Blogue de Esquerda

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Conversas em família

  1. Carlos Vidal diz:

    Há semanas, chamei “brigada do reumático” aos SIMPLEXES, logo, a sugestão das conversas em família bate certo!

    (e, se calhar, mudando de assunto, vou passar o mais possível a terminar frases e posts com pontos de exclamação por causa daquela campanha tonta contra os ditos! Um abraço. CV.)

  2. Se Sócrates gosta de conversar com o espelho, que o faça em casa.

  3. Fábio Dionísio diz:

    Nuno Ramos de Almeida, permita-me cagar no barão para dizer que, pelo contrário, cada povo tem o governo que quer. Assim, pelo menos, dá para deixar em aberto a hipótese do povo um dia se erguer para mandar à merda os célebres barões que até aqui o têm desgovernado: muitas vezes, apesar da aparente apatia (patente no voto), imerecidamente.

  4. Patricia diz:

    Podemos mudar de governos,deputados e presidentes,mas de povo não.Nós e os nossos concidadãos fazemos parte deste povo e desta sociedade,e não lhe fica nada bem pensar que há uns que são superiores aos outros.

  5. Patrícia, não percebo o que quer dizer. Acha que os povos acertam sempre? Lamento informar-la, mas como todas as pessoas, enganam-se muitas vezes. Para lhe lembrar um episódio histórico do passado, menos sujeito a paixões actuais, Hitler foi eleito duas vezes. De resto, o seu comentário não discute nada do que eu digo. Eu acho que o PS e o PSD governam há 30 anos. É um facto. Acho que dividem entre eles tachos, tachões e tachinhos. É um facto. Acho que concorrem mais partidos às eleições que o PS e o PSD. É um facto. Penso que a proposta do PS para debates é errada e limita o debate aos tipos do costume. Acho que um povo que escolhe sempre quem mal o governa, escolhe mal. Sobre tudo isto, não tem nenhum argumento. Só me diz que me fica mal, dizer que há gente que vota mal. Por amor de Deus.

  6. Patricia diz:

    Talvez eu me tenha expressado mal,aquilo que eu não gostei no seu post foi a forma como se referiu ao povo portugues,parecendo que existem os iluminados e os outros,os tótós que não sabem aquilo que fazem quando votam.Quanto ao resto desde já lhe digo que nunca dei nada para o peditório do PS e muito menos para o do PSD,mas não me considero superior aos que o fizeram.

Os comentários estão fechados.