Oh, sinto-me tão … tão … deputado. Oh Oh


( Douglas Gordon )

Ora o que nos revela um pobre de espíriro é o facto de J. Galamba (um produto linha “Câncio-jug”) ter chamado, sem contexto, “filho da puta” a um bloguer que sempre se opôs à miséria socratista, e tê-lo feito porque se sente escudado pelo cargo de deputado que julga certo.

Acha-se “deputado” mas poderá quiçá enganar-se, depois se calará, porque aí a valia e coragem será zero. Além disso, o episódio mostra-nos a qualidade da renovação parlamentar socratista (como diz o Tiago em baixo).

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a Oh, sinto-me tão … tão … deputado. Oh Oh

  1. Justiniano diz:

    Pelo contrário caro Vidal!
    Atravessa o Galamba o tirocíneo da grande escola Romantica, aquela mesma a que o Vidal recorre de quando em quando, dentro da boa tradição Republicana.
    E o J. Gonçalves é o seu preceptor, do Galamba, claro está.
    O arrufo é entre pupilo e tutor e será sanado, como costume, à laia da reguada.
    O que se não compreende é porque aqui os 5 dias libertam tantos iões de hidrogénio em odes a ex companheiros de albergue.

  2. Pingback: Se deputa ou não deputa é pouco importante para o caso | DoisPontoZero

Os comentários estão fechados.