Barbaridades urbanas

É sabido que PT, ZON e EDP são entidades públicas que beneficiam de um estatuto qualquer que lhes permite alterar fachadas de edifícios e intervir em propriedade alheia sem qualquer licença pública ou autorização. Contudo também a instalação de aparelhos de ar condicionado, e o seu respectivo esgoto, vivem na alegre bonomia liberal do salve-se quem puder.
Serei só eu que me irrito quando, em pleno dia ensolarado (corrigido), nos temos de proteger dos pingos que vertem sobre quem circula nos passeios?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Barbaridades urbanas

  1. Antónimo diz:

    os dias são soalheiros (de solar/sol), os edifícios é que são solarengos (de solar/palácio)

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Obrigado pela correcção

  3. António Figueira diz:

    Podes também usar solarento (distinto de solarengo, e com o mesmo sentido de soalheiro).

  4. Tiago Mota Saraiva diz:

    De qualquer forma parece-me que solarengo soa sempre melhor porque é uma palavra que foneticamente se arrasta e molenga.
    Ainda assim, prefiro ensolarado a soalheiro ou solarento.

  5. Pingback: cinco dias » Da javardice ao serviço do património

Os comentários estão fechados.