O proselitismo às moscas

Há uns dias, juntei-me a um coro de disseminadores do óbvio para escrever que «os blogues propagandísticos não têm qualquer interesse a não ser para os seus autores».  Confirma-se. Até um coito de malucos entretidos a discutir bunkers albaneses, as minudências intestinas do Bloco e os escritos de um tal de Queiroz consegue atrair mais incautos do que os simplexes. E o Jamais comete a proeza de ficar abaixo de algo chamado “Máfia da Cova”; o que se calhar até faz sentido.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 Responses to O proselitismo às moscas

Os comentários estão fechados.