Etiqueta literária

Há cada vez mais gente a usar o ponto de exclamação e a desculpar-se logo a seguir como se tivesse dado um traque, por deferência para com as Paulas Bobones da etiqueta & boas maneiras literárias. “Eu sei que não é de bom tom usar pontos de exclamação”, “eu punha aqui um ponto de exclamação mas é melhor não”, são frases que se vêem por essa blogosfera fora (não vou indicar links para não envergonhar ninguém) desde que a magna questão dos pontos de exclamação deu à costa. Esta ansiedade social com prontuários & formalismos é o equivalente daquelas criaturas que nos vêm cumprimentar no restaurante, não sem antes dizerem “eu sei que não se cumprimenta as pessoas quando estão a comer, mas é só para lhe dar um beijinho”, não vá a gente pensar que não têm maneiras, ou assim. De resto, tanto escarcéu com a exclamação (petições para acabar com a dita, atestados de BCBGice, palmadinhas nas costas aos blogues-que-concordam-com-o-nosso-blogue, alistamentos tardios de quem escreveu sobre o assunto sem nenhuma intenção de militância) trai uma maiúscula e, essa sim, tonta exclamação. O movimento que descobriu agora, com décadas de atraso, a pólvora das exclamações – e nos poria a todos a escrever, para o melhor e o pior, como o Francisco José Viegas – provocou reacções mais ou menos inflamadas e bocejos nos espíritos mais sensatos. Estou com os que bocejam. Mas tenho dias (os mesmos em que respondo conscienciosamente às sondagens da caralhada ou dou vivas à Monarquia), tenho dias em que, ao ver aquele “este é um blogue livre de pontos de exclamação“, me apetece sacar do marcador e rabiscar por baixo: “mas escravo das convenções. Pim!”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Etiqueta literária

  1. Antónimo diz:

    Uns imbecis! Os mesmos que nos querem convencer que é encarnado em vez de vermelho, presente em vez de prenda ou ténis em vez de sapatilha e que a verdade não devia estragar uma boa notícia!

    Puta que os pariu!!!

    Se soubesse onde vi esparramava aqui com uma página do Céline (sim do Céline fascista e racista que gostam de atirar como modelo de grande escritor e que sim era) que um blogger já digitalizou e que ia cheiinha de exclamações, para mostrar que sim, que se usam e que quem diz o contrário é analfabetinho de pai, mãe e até de padeiro!

  2. Morgada,
    Tu não fazes férias na pátria? É possível beberes um copo mesmo de tchador?

  3. zacatraca diz:

    já agora deixo o link para a opinião do manuel antónio pina sobre o assunto: http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?content_id=1324396&opiniao=Manuel%20Ant%F3nio%20Pina

  4. António Figueira diz:

    O link para as “sondagens da caralhada” (seja lá isso o que for) não funciona.

  5. Obrigada, António. O link era para uma sondagem de opinião determinante para os destinos da humanidade no A Causa Foi Modificada (entretanto apagada). Só vi agora, a internet rareia em G’O-s-M.

    Nuno, acho que não ficavas bem de tchador, e além disso tenho por princípio nunca beber copos com revolucionários (excepto se forem very odd people e o vinho for de qualidade).

    Obrigada pelo link, zacatraca, obrigada tb ao Antónimo pelo sentimento posto nos pontos de exclamação.

  6. Pingback: Fique por dentro Etiqueta » Blog Archive » cinco dias » Etiqueta literária

Os comentários estão fechados.