Os lulus continuam raivosos

Caiu uma bomba lá para os lados do Rato: «depois de a direita ter desistido do debate político, e mesmo blogosférico, assistimos agora – e com algum desplante – ao patrocino (sic) pelo desrespeito pelos símbolos das instituições da República, à pratica (sic) de roubo, e à glorificação da tontaria como elemento central do discurso e do combate político.» Esta visão apocalíptica de um simplexe de espírito cujo nome nem vale a pena anotar é espantosa: uma brincadeira quase inocente é promovida a epifenómeno do estado da direita; só falta ao homem escrever que entreviu as melenas de Manuela Ferreira Leite por baixo de uma máscara de lord Vader. Mas os pit-bull da coisa também não dormem – Eduardo Pitta é fero e definitivo: «em matéria de autoridade do Estado não há graçolas.» Sem esquecer a questão fulminante: «e se fosse uma bandeira nazi?»
Mas esta malta ficou tonta de todo ou é a proximidade espiritual com o quase-engenheiro que os afecta, obliterando as suas noções de realidade e fantasia?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Os lulus continuam raivosos

  1. A parvalheira foi ontem (algum vírus)… hoje parece-me melhor (bem melhor) neste e no outro post MFL.
    nota: longe de mim armar-me em avaliador da sua prosa (por muito idiotas que sejam as opiniões, é sempre bastante satisfatória) mas o contraste entre o despropósito e a acuidade parecem-me tão óbvios, que não resisti.

  2. Ouvir órgãos oficiais de partidos cansa!! Como não podem/querem lidar com problemas reais têm que empolar esta pseudo questões que não dizem nada a ninguém (se alguém conhecer uma pessoa que tenha perdido sono por casa da maldita bandeira eu peço já desculpas mas no meu circulo de conhecimentos a economia costuma ser mais preocupante que estes circos mediáticos todos juntos).

  3. Luis Rainha diz:

    Miguel,
    Quando quiser mudar de ramo, tem um emprego do caraças à espera…
    🙂

  4. Obrigado. Folgo em saber que tem contactos por essas bandas. Mas apesar de falido, continuo macaco e cada qual o seu ramo…

  5. subscrevo inteiramente; quanto ao «em matéria de autoridade do Estado não há graçolas.» não deve ter percebido ainda que, e ainda bem, há quem se recuse a levar a sério a autoridade do Estado. A não ser assim, ainda não tínhamos saído nem do Império Romano

  6. antónimo diz:

    Não vi foi em lado nenhum televisivo que Moita de Deus foi assessor da Leonor Beleza, conselheira de Estado, e que vem de um blogue de ex-assessores laranjas e outras figuras imputáveis.

    O moço é crescidinho e até deve julgar que pensa (?) pela sua dele cabeça. Estou-me absolutamente lixando para a bandeira mas confesso que balanço entre o gosto de o ignorar (maus, maus, maus) ou o de o ver umas horinhas detido nos calabouços da PJ, mais o cabelinho à foda-se (agora à fosga-se, cáfila de meninos mariquinhas) e os tipos das redes de imigração que campeiam pelo Alentejo e fazem maroscas aos vietnamitas.

    E só uma coisa: Uma bandeira municipal ainda não é um símbolo nacional, por muito que Santana – que no 31 da Armada deve contar com os votos de 38 autores, todos queria eu dizer – venha aproveitar para tentar sacar mais uns votos à conta da não detecção Costista.

  7. m diz:

    prendam-nos , prendam-nos!!! tendo em conta que as motivações dos 31 eram políticas… eram presos políticos , né? tinha muita , muita piada , presos politicos na era socras.

  8. antónimo diz:

    óh, m. esse é mesmo o único motivo contra esta detenção.

    mas como lembra o daniel oliveira, não faltou no 31 quem não mandasse prender os verdes eufémios com motivações políticas

    até gostava de ver o gualter verde com o moita de deus na mesma cela. o mário crespo não ia visitar um, mas talvez a leonor beleza fosse visitar o outro

Os comentários estão fechados.