O novo desporto dos secretários de Estado

Existem várias teorias sobre a razão que levou ao Secretário de Estado Paulo Campos a convidar para as listas do PS a Joana Amaral Dias, em troca de lugares na administração pública e presença no governo. As mais populares são as seguintes:
1. Motivados pelo plástico exemplo da Diana Chaves, o governo PS inaugurou uma espécie de programação de Verão. O modelo é os jogos sem fronteiras e a competição entre Secretários de Estado é renhida. Depois de desfilarem nas Novas Fronteiras vestidos de latex, cabe a cada secretário de Estado convidar o máximo de incautos para as listas do PS, sem o pobre primeiro-ministro saber de nada. Já lhe basta lá em casa, fazerem-lhe as listas por ele.
2. O secretário Campos sente-se só, ambiciona contactos “privados e íntimos”, tendo esgotado o truque de pedir às meninas que espreitem as gravuras lá de casa, passou a atacar prometendo lugares na lista do PS. Não há como a proximidade de Alberto Martins para as donzelas se sentirem coradas e afogueadas, o que facilita os desígnios do lúbrico Campos.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.