246.200.000 € – quando Sócrates falar da banca não devemos esquecer este número

Estes são os resultados líquidos (lucros) semestrais do BES. Nem durante a crise, os bancos têm algum pudor em obter lucros astronómicos.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a 246.200.000 € – quando Sócrates falar da banca não devemos esquecer este número

  1. Chico da Tasca diz:

    Mas qual é o problema de os bancos terem lucros ?

    Ficava feliz que tivessem prejuizos e fossem à falência ?

    Gostava que explicasse esta aversão doentia da esquerda extremista pelos lucros das empresas privadas.

  2. pedro diz:

    Tem toda a razão…Não se percebe..Isto de haver empresas a ter lucros n tem nada de português!!

    Eu, cá por mim, fazia uma lei qql a proibir isso..mas isso sou eu.

  3. anonimo diz:

    Proponho um novo nominativo para “esquerda caviar” e/ou “esquerda extremista” e suas variantes:

    Esquerda tablóide.

    O exemplo está patente neste blog.

  4. anonimo diz:

    Proponho um novo nominativo para “esquerda caviar” e/ou “esquerda extremista” e suas sub-variantes:

    Esquerda tablóide.

    O exemplo acabado é o actual BE e este mesmo blog.

  5. Tiago Mota Saraiva diz:

    Sim senhor, então para V. Exa. os lucros astronómicos da banca, realizados à custa do endividamento dos cidadãos com dificuldades e das benesses dadas pelo governo PS, deve ser elogiado. Para mim não.

  6. jcd diz:

    Desde quando é que ter um ROE de 10% é lucro astronómico?

  7. Chico da Tasca diz:

    Ó tiago isso é tudo demagogia

    Que benesses é que este governo deu à banca ?

    Os portugueses endividam-se ? se se endividam para comprar electrodomésticos, plasmas, ou para passarem férias em Cancun é um problema deles.

    Se se endividam para comprar casa porque não existe mercado de arrendamento, isso é já é um problema da esquerda trauliteira que sempre se opôs à actualização justa das rendas antigas, que toda a gente sabe que são miseráveis e que são um atentado ao direito dos proprietários gerirem livremente o que é deles, e à existência de uma verdadeira lei do arrendamento, justa para todos.

    Ou seja, se os bancos lucram milhões com o credito à habitação só têm de agradecer à demagogia e ao oportunismo politico da esquerda extremista, e à cobardia dos partidos com responsabilidade de governação.

Os comentários estão fechados.