autárquicas#1

autárquicas-copy

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a autárquicas#1

  1. Antónimo diz:

    é bonito, deve ter graça, não acho que o psd/cds seja melhor, mas

    talvez valesse a pena juntar a estes o umbigo do Sócrates, mais os dos seus cerca de 100% de apoiantes dentro do PS, que nunca lhe arranjaram uma alternativa – para além desta, ensaiada com o pinho.

    também não consigo entender pq acham mais bonitos os olhos do Costa do que os do Sócrates. É igualmente autoritário, igualmente manipulador e respeitador da comunicação social e ainda por cima acompanha com Pacheco Pereira

  2. Subscrevo, excepto na parte do umbigo do Costa. Substituiria o Louçã pelo Fazenda.

    Subscrevo principalmente o profético “quando” porque também eu tenho a certeza que o Santana vai ganhar (mas farei tudo para que tenha que suar a vitória).

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Jorge, não concordo nada com essa ideia salomónica.
    O problema não está no umbigo, mas nas políticas de fundo. A coligação do PS+BE que governa a CML (o acordo nunca foi denunciado, apesar da retirada de confiança política) tem posições diametralmente opostas às da CDU em matérias como o ordenamento do território, a gestão da relação entre poder central e local, a intervenção nas empresas públicas, a participação das freguesias nos processos decisórios e, praticamente, em todos os grandes projectos e prioridades que o actual executivo defende para a capital.
    Mais, poupando-te uma apreciação qualitativa sobre as propostas do actual executivo, é perfeitamente mensurável pelo trabalho nesta e na outra legislatura, o PS está muito mais próximo do PSD/CDS do que da CDU.
    Rejeito liminarmente esta camisa de forças mediática que se está a tentar criar em torno da CDU procurando provocar um casamento entre duas partes que não têm qualquer laço nem identidade comum e, em que uma delas (PS) vive em eterna união de facto com a direita.

  4. Concordo completamente. Ha coisas que só dão para rir realmente. Conheço bem a “cabeça” que gere o BE e alguns meninos do PCP, se algum dia na vida tivessem trabalhado a serio, talvez tivessem outra postura. É pena

  5. Jorge Mateus diz:

    Eu não acredito em maiorias absurdas. A esquerda passa a vida nisto. Estalinistas e Trotskistas desde a Guerra Civil Espanhola. Não há pachorra… e lá teremos o Santana!

  6. Filipe Diniz diz:

    O seu post gráfico corresponde a uma caricatura falseadora, mas é o seu comentário insultuoso que é particularmente significativo. O post distribui, como o Tiago diz salomonicamente, responsabilidades na não concretização de uma fantasiosa frente anti-Santana que andou por aí a criar ilusões. Não reparou, por acaso, que 3 dos 4 umbigos ilustrados estão efectivamente associados, neste momento, na CML? Nunca reparou que existem acordos PS/BE e PS/Roseta na CML? É certo que são acordos envergonhados, e com razão. O PS de hoje não é companhia que se apresente para quem queira ser, ou pelo menos parecer, de esquerda. E não é por Santana ser mau que este PS fica melhor.
    O desabafo sobre trotskistas e estalinistas, mais a Guerra de Espanha, é, como compreenderá se pensar duas vezes sobre o assunto, uma simples bacorada. E pode crer: o facto de não se ter concretizado a fábula dessa “unidade de esquerda” que preconiza não facilita mais a vida ao S. Lopes. Pelo contrário: o facto de as forças de esquerda se apresentarem com as suas próprias candidaturas e propostas, combatendo a direita mas não branqueando o PS à boleia desse combate, é que poderá ser determinante para uma solução democrática para a gestão de Lisboa.

  7. Carlos Vidal diz:

    O senhor em cima, à esquerda, é António Costa, não é?

    Então deduz-se do desenho que também António Costa terá “culpas” em relação à eleição de Santana?
    Se for isso, sim, estou de acordo.
    O PS tem de ser o principal culpado pela eleição vitoriosa de Santana.
    Mais do que os outros intervenientes, com certeza.

  8. O Sr. Tiago Mota Saraiva e o Sr. Filipe Diniz, que penso que seja aquele intelectual sectário que povoava o Sector Intelectual de Lisboa do PCP, mentem com quantos dentes têm. Sabem perfeitamente que o Bloco ao cortar com o seu vereador Sá Fernandes deixou de ter qualquer representação na vereação da Câmara. Que hoje as posições do Bloco só são aquelas que assume na Assembleia Municipal, onde se descobrir, em assuntos relevantes, qualquer diferença de votação entre o seus representantes na Assembleia (PCP e Verdes) e os representantes do Bloco, que venha aqui provar o que diz. Por exemplo a concessão das piscinas municipais a privados por uma série de anos teve da parte dos dois partidos igual votação, contra. Mas outros exemplos se poderiam dar. Os senhores escrevem para pessoas que não estão informadas e deliberadamente, para obter efeitos eleitorais, são capazes de enfiar uma série de petas sobre o assunto.

  9. José Manuel diz:

    Post perfeitamente hipócrita. O PS anda preocupado com a hipótese de perder a Câmara. Esquece-se contudo que foi o PS o principal responsável por se ter extinguido a coligação “Por Lisboa”. porque na altura acreditou que poderia ganhar a CML sózinho. O problema foi que a candidatura que arranjou, a do MMCarrilho, correu-lhe mal e perdeu a Câmara para o PSL. Ou seja, o PS só se lembra da “maioria de esquerda” quando está em dificuldades mas quando pensa que está na mó de cima manda logo à merda a “maioria de esquerda”. É óbvio que esta proposta não é séria, uma vez que apenas se pretende um agrupamento em torno do COsta sem discutir primeiro o essencial: um programa de acção comum. É um apelo desesperado de quem está em risco de perder os lugares.

  10. Tiago Mota Saraiva diz:

    Jorge Nascimento Fernandes nunca consegue escrever sem baixar o nível, sem transpirar ódios pessoais e, no fundo, sem deixar de aplicar a estafada técnica do assassínio de carácter.
    Que fique clara, a veracidade da afirmação que tive o cuidado de confirmar recentemente com um dirigente do BE. O BE retirou a confiança política a Sá Fernandes (e, na minha opinião, muito bem) mas nunca rompeu o acordo que tinha com o PS na CML.

  11. Luis diz:

    “foi o PS o principal responsável por se ter extinguido a coligação “Por Lisboa”. porque na altura acreditou que poderia ganhar a CML sózinho.” ????? E antes do Carrilho, ainda no tempo do João Soares, não foi a UDP que saltou da coligação para abrir caminho à candidatura do Miguel Portas pelo BE e deu a vitória ao Santana?

  12. Filipe Diniz diz:

    Caros co-comentadores: não vale a pena bater mais no ceguinho.
    Quanto ao Jorge Nascimento Fernandes, que nunca foi particularmente dotado, mesmo assim está a perder qualidades. Então a minha pessoa só lhe suscita o epíteto de “sectário”? Então perde-se assim uma oportunidade de falar no Stalin, nas purgas, no gulag? Francamente…

  13. Sr. Tiago Mota Saraiva primeira mentira: “A coligação do PS+BE que governa a CML (o acordo nunca foi denunciado, apesar da retirada de confiança política).” Sabe que presentemente não há nenhuma coligação entre PS e BE para governar a Câmara. Primeiro o BE não tem nenhum vereador no executivo Camarário, perdeu o único que tinha que era o Sá Fernandes, porque rompeu com ele. Segundo se na votação na Concelhia do Bloco que rompeu o acordo com o Sá Fernandes se votou favoravelmente a continuação do acordo com o PS, este há muito que o rompeu e disse-o publicamente. Veja-se a intervenção de António Costa no Congresso do PS. Portanto a única intervenção que o Bloco tem na autarquia é na Assembleia Municipal, onde normalmente vota ao lado do PCP e dos Verdes as propostas que são enviadas para a Assembleia. Tudo o que disser em contrário é mentira deliberada e própria para enganar quem não está informado.
    Segunda mentira decorrente da primeira e fácil de desmontar: como se fala da coligação PS mais Bloco, todas as opções da actual vereação seriam igualmente assumidas pelo Bloco, o que não é verdade, não só porque o acordo anteriormente estabelecido, e que hoje não existe, tinha uns pontos bem delimitados, como, já anteriormente foi dito, as votações na Assembleia Municipal do Bloco e do PCP têm sido semelhantes. Todo o resto do seu comentário são considerações políticas que me abstenho de comentar porque já são objecto de outro tipo de leitura. Resta portanto a mentirola que o Sr., porque é candidato da CDU, quer fazer passar de que o Bloco governa conjuntamente com o PS a Câmara de Lisboa. De facto faço aqui um assassinato de carácter dado que em política admito divergências políticas, não mentirolas para tentar convencer quem não está informado.
    Esta discussão já tínhamos tido quando o Sr. garantia que as forças políticas PS e Renovação Comunista “desempenham ou subscrevem as políticas do actual executivo”. Ou seja, o Sr. usa como argumento político a mentira para convencer os seus apaniguados que só a CDU é se opõe ao PS e que todos os outros estão feitos com ele. O Sr. não discute política inventa factos para depois os criticar. É portanto desonesto e mentiroso.
    Quanto a Sr. Filipe Diniz faço com ele o mesmo que fez comigo na última vez que me viu, considerou-me um ser não existente, apesar de termos sido anos e anos companheiros no sector intelectual do PCP, prática de facto muito comum aos estalinistas.

  14. Tiago Mota Saraiva diz:

    Jorge Nascimento Fernandes pode-lo-ia questionar, por exemplo, sobre o facto de ainda haver assessores do BE a trabalhar para o executivo. Mas não me apetece ler mais um dos seus textos intestinais.
    Pela parte que me toca, discussão encerrada.

  15. Tiago, o Bloco deveria ter denunciado politicamente o Acordo. Não o fez, por decisão maioritária do Plenário de militantes de Lisboa. A proposta que preconizava esse rompimento foi derrotada, democrática e livremente. Na minha opinião erradamente, mas num Partido democrático, a opinião da maioria, prevalece.
    Mas acaba aqui a parte correcta do teu comentário.

    Não há nenhuma coligação entre o PS e o BE (haveria um Acordo pós-eleitoral, não uma coligação – ou ter-te-ia que questionar se houve ou há coligações entre a CDU e o PSD, alguns, entretantos rompidos, muitos outros que se mantêm e se discordas da posição da CDU que sempre negou chamar Coligações a esses “acordos”); as posições políticas do BE defendidas na AM nada têm a ver com a actuação política do PS ou de JSF na Câmara (recoheces isso, ou não?), e não há assessores do BE a trabalhar com o Executivo. Há assessores de Jose Sá Fernandes, que continuaram a trabalhar com JSF, depois da retirada da confiança política do Bloco ao Vereador, e continuam a ser militantes do Bloco. Apenas isso.

    (Jorge, desculpe ter ocupado a sua caixa de comentários, a comentar um comentário do Tiago e não o seu post…detesto que me façam isto no Blog…mas, às vezes, caio no mesmo!).

  16. Tiago Mota Saraiva diz:

    Isabel, pelo respeito que me mereces, regresso a este post quebrando a promessa de discussão encerrada.
    Após as intercalares o PS fez um acordo, não com Sá Fernandes, mas com o BE. O motivo que levou o BE a não denunciar o acordo é algo que me transcende mas que tu, com a honestidade política que te caracteriza, assumes ainda que não concordes.
    Reconheço que, actualmente, as posições do BE na AM se distinguem das de Sá Fernandes (ou de António Costa), mas como concordarás, o BE não pode rejeitar o seu passado recente e responsabilidades no executivo de António Costa.
    Embora reconheça que o papel das JF’s, sobretudo em Lisboa, é extremamente limitado a questões de carácter administrativo, social e humano e em tese admitir que o executivo possa ser assumido por gente de diferentes cores políticas, em geral, não concordo com acordos, ainda que pontuais, com o PSD.
    De qualquer forma, agora sim, concluo a minha participação nesta discussão, que não nos levará muito mais longe e que não quero estimular.

  17. Que asas de anjo Sr. Tiago Mota Saraiva, primeiro a calúnia e depois a discussão séria. As suas afirmações não são inocentes, de quem não está bem informado ou tem divergências.
    Primeiro insinua-se para se ter efeito político. Se passa, muito bem, se não acusa–se o adversário de discussão de latrina.
    Da minha parte continuarei a não admitir que divergência política seja obtida por mentirolas pouco sérias.

  18. B Aranda diz:

    Tiago: Vai ler o acordo entre o BE e o PS e diz-me qual é a parte que rasgavas.

    Podes tentar argumentar que o PS+Sá Fernandes não estão a cumprir o acordo que assinaram, como faz o Bloco, mas dizeres que esse acordo tem más políticas ou políticas diamentralmente opostas às da CDU, não é acertado

    Dizer que a câmara é gerida pelo PS+BE é um delírio absoluto. Pés na terra, camarada!

Os comentários estão fechados.