Explicação a um amiguinho de golpes de estado militares

1246209225923detallegd

O Tomás Vasques resolveu acusar-me de usar truques dignos do NKVD. Garante que nas Honduras a democracia funcionou. O presidente foi legitimamente corrido pelo Parlamento e pelo Supremo Tribunal. Defende que o presidente pretendia fazer um referendo anti-constitucional para se prepetuar no poder. No meio de tanta falta de rigor, tem que ser o tipo do NKVD a exigir alguma seriedade na discussão:

1. O Supremo Tribunal Eleitoral não tem poderes para derrubar um presidente eleito, nem o Parlamento. De tal forma que é assim, que os militares forjaram uma falsa renúncia do presidente legítimo.

2. A consulta popular, não vinculativa, não abrangia o prolongamento de mandato deste presidente, apenas defendia a necessidade de num futuro próximo ser eleita uma Assembleia Constituinte para alterar a Constituição. Não me parece que defender a alteração democrática da Constituição seja um golpe de Estado. Mas, para o Tomás Vasques a democracia defende-se com militares a fechar rádios e a reprimir manifestações e a ditadura faz-se com a eleição de uma Assembleia Constituinte.

3. De tal forma este golpe foi completamente anti-democrático que nenhum país o reconheceu, nem os EUA.

4. Aquilo que Tomás Vasques defende é um golpe de Estado contra um presidente eleito que o único pecado é tentar lutar contra a oligarquia que vive à conta das Honduras. O seu anti-comunismo primário permite-lhe apoiar qualquer filho da puta, desde que seja um filho da puta do lado dele.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 respostas a Explicação a um amiguinho de golpes de estado militares

  1. miguel dias diz:

    ponto 3. Não se preocupe que o Obama só estava à espera da reacção da blogosfera portuguesa.
    ponto 4. Faltam Kissingers e Kirkpatricks nos dias de hoje.

  2. 9elo diz:

    A Radio Global das Hondural lançou um pedido de socorro.
    Quem estiver interessado em ajudar aqui vai o endereço.
    http://www.radioglobalhonduras.com

  3. Não dá abrir esse url! ” Erro – Não é possível encontrar o Servidor”….

    desculpe lá a ignorância, mas quem é Kirkpatricks?

    Bom esclarecimento, Nuno Ramos 🙂

    maria

  4. miguel dias diz:

    Cara Maria Ramalho:
    Foi a senhora que explicou porque é que um fulano pode ser um filho da puta mas é o “nosso” filho da puta, o que ficou conhecido (simplificando) como a doutrina Kirckpatrick.
    Google (do verbo googlar) Jeanne Kirckpatrick.

  5. antónimo diz:

    os amigos dos pinochets mentem descaradamente e gostam de acusar os outros. vale sempre a pena refercenciá-los em artigos onde se fala de filhadaputice.

  6. por Cfe in Arrastão

    Do ex-prefeito do RJ, Cesar Maia

    1. O presidente Zelaya foi eleito pelo Partido Liberal (direita) e algum tempo depois se tornou chavista. Com eleições convocadas para novembro deste ano, forçou o direito à reeleição. O Congresso rechaçou a proposta. Zelaya ignorou a decisão do Congresso e partiu para realizar o plebiscito de qualquer forma.
    2. O promotor e defensor dos direitos humanos considerou o plebiscito ilegal. O STF, o TSE e o MP o declararam inconstitucional. O parlamento votou lei impedindo. Os comandantes das Forças Armadas foram exonerados. O Supremo determinou que o general chefe do estado maior fosse restituído a seu posto (medida inusitada).
    3. A intervenção de Chávez foi alarmante. Mandou rodar as cédulas do plebiscito e fazer as urnas, e as enviou a Tegucigalpa. Insultou as autoridades constituídas hondurenhas – judiciais, militares e parlamentares. Chamou o chefe do estado maior, general Vásquez, de “gorila e traidor”. E colocou suas Forças Armadas de prontidão. O presidente Zelaya foi ao aeroporto, com seus correligionários, receber o material desde Caracas. As urnas foram distribuídas por uma frota de táxis contratados.
    4. O STF determinou a prisão de Zelaya. Este apresentou sua renúncia à presidência. Pela manhã, o Congresso aceitou a renúncia e nomeou presidente o presidente do Congresso, Roberto Micheletti. Zelaya foi detido pelo exército e transferido para Costa Rica. Negou a renúncia. Então Chávez o transferiu para Nicarágua e convocou reunião dos países do ALBA.
    5. Os EUA ainda não reconheceram o novo presidente, assim como o Brasil e o Chile. Entendem que o impasse, e mesmo os excessos inconstitucionais de Zelaya, não requereriam a destituição do mesmo. Brasil, Equador e Bolívia foram exemplos nos últimos 20 anos de presidentes destituídos constitucionalmente, sem uso do exército.

  7. kaganovitch diz:

    kissingers e kirkpatricks são democratas que espalharam a guerra e,so thatr morreram milhões de pessoas para q as almas santas da wall street ganhem este mundo e o outro.Ah! e não foram a tribunal

  8. “forçou o direito à reeleição”

    Esta parte é falsa.

  9. miguel dias diz:

    Jeane Kirckpatrick foi conselheira de Reagan e foi uma das mentoras teóricas do lema ” é um filho da puta mas é o nosso filho da puta” referindo-se aos ditadores e ditaduras de direita.

Os comentários estão fechados.