A situação no Irão vista por um Iraniano

Um recente artigo de Carlos Vidal sobre o Irão inspirou-me para fazer algumas perguntas a um colega de trabalho iraniano. Aqui vos deixo 3 perguntas e as respectivas respostas em forma de diálogo com o meu colega e amigo Farhad Firouzi sobre a actual situação no Irão. O diálogo foi em Francês e a tradução é da minha autoria.

– Será que a eleição de AhmadiNejad foi mesmo uma grande surpresa como afirma a imprensa ocidental? As ultimas sondagens não deixavam prever o resultado anunciado?

A re-eleição de AhmadiNejad foi uma surpresa mesmo para os apoiantes de AhmadiNejad. Os mais optimistas esperavam que Mousavi tivesse menos de 50% na primeira volta e a organização de uma segunda volta. A grande maioria acha que houve fraude, a prova está na incoerência dos resultados entre as várias grandes cidades o que, no contexto iraniano, é, no mínimo, estranho.

– Qual é o grau de popularidade de AhmadiNejad especialmente entre as classe populares?

AhmadiNejad é provavelmente popular entre o povo das pequenas aglomerações rurais com acesso restrito aos meios de informação pois, nos últimos 4 anos, viajou muito em todas as províncias, é também muito popular entre as pessoas «muito islamistas» que sonham fortemente com o retorno do 12º Imam dos xiitas, mas este último grupo representa um número reduzido de pessoas. Entre as camadas populares urbanas AhmadiNejad não tinha hipóteses de bater Mousavi, sobretudo porque a inflação passou de 10% a 25% nos últimos 4 anos e que a primeira prioridade do governo de Moussavi seria a diminuição da inflação.

-Qual é o teu sentimento sobre as actuais manifestações? Representam uma vontade de reforma da “juventude”? A vontade de reforma será num sentido da americanização da sociedade ou de uma forma especificamente Iraniana?

A maioria das pessoas que manifestam querem uma reforma própria ao Irão tal como esta é definida por Khatami e Mousavi. Ou seja, guardar as raízes islâmicas mas ao mesmo tempo reformar a sociedade de uma forma compatível com o mundo actual, este programa é aceite mesmo pelos não crentes.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a A situação no Irão vista por um Iraniano

  1. saloio_sou_eu diz:

    E isto,o que é?
    http://resistir.info/irao/meyssan_17jun09.html

    Um bolo rei?

  2. mj diz:

    que diabo, então uma das diferenças entre sunitas e xiitas não é a separação entre política e religião? poderá separa-se a questão da fraude eleitoral da agitação que tem sido provocada no sul do Irão onde estão as reservas de petróleo? quererá o ocidente um Irão do Norte e um Irão do Sul?

  3. xatoo diz:

    mesmo com essa pretensa fenomenal inflação
    as elites urbanas ainda pagam a gasolina pró pópó a 50 centimos o litro.
    uma situação abominável e ditatorial que lesa os interesses da democracia

  4. o sátiro diz:

    significativo como há quem defenda a barbárie dos Ayatollahs. Até inventam uma “intervenção” ocidental! Mas então os Ayatollahs não controlam TUDO, incluindo as campanhas contra o “satã” ocidental? O povo tem alguma ideia da vida ocidental? Mete dó… ou melhor, como sempre as selvajarias (stalinista e islâmica) de braço dado.

  5. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Excelente regresso, Pedro

  6. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Saloio Sou eu,
    o Thierry Meyssan não é aquele adepto da teoria da conspiração que defende que os aviões não cairam no Pentágono?

  7. Evaldo da Graça da Cruz diz:

    Porquê que moussavi não vai luta até a fim, visto que tudo aponta que ele venceu a eleição. Estamos em pleno século 21 e tipos de fraudes não podem acontecer, ainda mais deixar os povos iraninos completamente revoltados.

  8. Evaldo da Graça da Cruz diz:

    espero que vcs gritem para o mundo todo não esquecer da situaçõ do irão. Vamos lutar e só assim nós podemos vencer, envie mais notícias porque só assim a gente poda tirar aquele ditador no poder.
    evaldo da cruz
    praia gamboa
    s.tomé nºtlm:00239939321

  9. Evaldo da Graça da Cruz diz:

    Tanto irão como alguns país de Asia e África precisam mudar a sua politica mondial para poder igualar com países de Europa em termo de poência económica…

  10. Evaldo da Graça da Cruz diz:

    Tanto irão como alguns país de Asia e África precisam mudar a sua politica mondial para poder igualar com países de Europa em termo de potência económica…

Os comentários estão fechados.