Dos habilidosos erros da Lusa

O jornalismo da Lusa estará bem posicionado para os Prémios ERC. Ontem conseguiram colocar em todos os meios de comunicação a informação que a cabeça de lista da CDU ao Parlamento Europeu, Ilda Figueiredo, iria discursar na manifestação dos professores. Com este jornalismo de Estado penso que o governo podia poupar uns cobres com a sua agência de comunicação.
Aqui fica para memória futura:

Fenprof estima 70 mil pessoas, PSP indica menos de 55 mil
A Federação de Professores (Fenprof) estimou hoje em 70 mil as pessoas que percorrem a Avenida da Liberdade na manifestação dos docentes convocada pelos sindicatos do sector, mas a PSP aponta para 55 mil
Manuel Grilo, do secretariado da Fenprof, garantiu à Agência Lusa que 70 mil pessoas manifestam-se na Avenida da Liberdade, em Lisboa, percorrendo o trajecto Marquês de Pombal-Restauradores, em protesto contra a política educativa do Governo.
Manuel Grilo adiantou à Lusa que estão ainda a chegar ao Marquês de Pombal os professores de Lisboa e de outras zonas do país, que se atrasaram nesta marcha que se iniciou cerca das 15h30.
Estes números contrastam com uma estimativa avançada à Lusa pela PSP, que situa entre os 50 e os 55 mil o número de manifestantes.
A frente da manifestação estava, às 16h10, junto à Praça dos Restauradores, onde se encontra instalado um palco no qual Mário Nogueira, da Plataforma Sindical, e Ilda Figueiredo, cabeça de lista da CDU às Europeias, irão discursar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Dos habilidosos erros da Lusa

  1. A. Laurens diz:

    Muito giro. Espero que os senhores profs votem todos CDU. Depois criticam Vital Moreira exigir que MFL fale do caso BPN ( o que até acho graça – corruptos contra corruptos) Por tudo isto, se fosse aos tugas votavam no meu cão.

  2. Pedro diz:

    claro que sim, todos CDU…

  3. Paulo Ribeiro diz:

    vejamos o óbvio. 70% dos passeantes já lá tinham estado no passeio dos 85 mil, fácil era ver que alguns de professores só tinham, digamos, a experiência de vida. mas continuando. 20% eram agitadores do be, pctp e outros quejandos, divididos entre professores, párias e outras faunas. 10% eram realmente professores descontentes. ah! não esquecer as individualidades do cds e psd. presentes, sim senhor, mas apenas para receber banho de povo. nesta campanha tem sido difícil.

Os comentários estão fechados.