O povo é sereno…

Mais um processo “daqueles“.
A mim pouco me importa que seja o nome da mãe de Sócrates, o primo, o tio, o cão do tio ou a ex-presidente do Conselho Nacional de Disciplina da Ordem dos Arquitectos e ex-directora regional do Ambiente que tutelava a avaliação do Freeport Fernanda Vara que estejam envolvidos. O que é politicamente relevante e põe em causa o Estado de direito, são os sucessivos atrasos na clarificação dos processos e esta aparente sensação de impunidade dos principais nomeados que continuam a agir, mesmo partindo do princípio da sua inocência, como se nada fosse.
Este ambiente político de secundarização do esclarecimento de casos de corupção, permite que Fernanda Vara actual membro da Mesa da Assembleia Geral da Ordem dos Arquitectos e, pelo menos até há pouco tempo, Presidente do Conselho de Administração da Sociedade CostaPolis S.A. (não consigo confirmar se ainda ocupa esse cargo pois, estranhamente, na página não se encontra qualquer referência ao actual Presidente do Conselho de Administração ou ao nome Fernanda Vara), embora constituída arguida num processo de corrupção, não tenha sido suspensa de funções e continue a ser nomeada para altos cargos de direcção no ordenamento do nosso território.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.