Hoje senti na pele a estratégia do governo para diminuir a lista de espera para consultas de oftalmologia

– Se não tem nenhum seguro para ir ao privado, vá a uma loja para mudar de lentes. A oftalmologia já não aceita marcações de consulta.
A médica de família emprestada (a que foi atribuída há uns 5 anos, a mim e a toda a gente lá de casa, nunca a conseguimos apanhar nas intermitências entre as suas baixas).

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Hoje senti na pele a estratégia do governo para diminuir a lista de espera para consultas de oftalmologia

  1. Faz agora um ano marquei consulta no Hospital de Santa Maria (com uma credencial do meu médico de família, do Centro de Saúde, e sem cunhas de nenhuma espécie, garanto-te). Tinha a consulta menos de um mês depois. Experimenta.

  2. Quem te disse isso foi, portanto, a médica de família. Os médicos de família são uns nabos. Ou não sabem trabalhar com os computadores, ou não sei… O episódio (verídico) que te contei acima, completo, foi: o meu médico de família também me disse que não conseguia marcar; pedi-lhe uma credencial e fui eu mesmo à procura de consulta de oftalmologia (a Santa Maria), como se fazia antigamente. O “Simplex” ainda não chegou à saúde. Se esperasse que ele ma marcasse, se calhar ainda estaria à espera.

  3. ana cristina diz:

    Não são nabos. Pelo menos não serão todos. São avaliados pelo numero de consultas que “despacham”. Com este tipo de orientação, tudo é possível.

  4. “”São avaliados pelo numero de consultas que “despacham”.”

    Não vejo melhor maneira de os avaliar. Como queria a Ana Cristina que os médicos fossem avaliados? Pelo número de pacientes que morrem? Espero que não!

  5. ana cristina diz:

    pela parte que me toca, não me sinto segura a ser atendida por alguém que é avaliado tanto mais positivamente quanto menos tempo eu estiver à frente dele/a. diria que o avaliador e o cliente têm interesses antagónicos, o que não é bom para o bom funcionamento da actividade. A qualidade da resposta, da interacção e do acompanhamento talvez sejam factores mais importantes para os avaliar. eu, quando tenho de ir ter com algum, é assim que o avalio. mas evito o mais possivel ter materia para qualquer tipo de avaliação

  6. Tiago Mota Saraiva diz:

    Filipe, já agora um pouco de serviço público. O médico de família pode-se recusar a passar a credencial? O que me foi dito, e confirmado com um telefonema à minha frente, é que as listas de espera se encontravam fechadas. Não me podia inscrever, depreendi eu, em nenhum sítio.
    Em termos filosóficos, não consigo imaginar um sistema de avaliação pior, que um sistema baseado no número de atendimentos… Nem sabia e fico estupefacto!

Os comentários estão fechados.