Não há que ter vegonha de nada, pois não?

partido20socialista

Que o PS é um partido que bem maneja a provocação prova-o Canas, que Vital Moreira tem, ele e apenas ele, uma doença chamada “PCP” prova-o o prório; leia-se do seu “Causa Nossa” e depois conclua-se que credibilidade têm as acusações vindas deste pensamento vicioso:

Terça-feira, 22 de Abril de 2008
Que pretexto é que a CGTP invocará desta vez para rejeitar qualquer compromisso na revisão do Código do Trabalho, apesar das indesmentíveis vantagens que ela traz para os trabalhadores, sobretudo os mais desprotegidos?
Aditamento:
Afinal não é necessário pretexto nenhum. O PCP já estabeleceu a “linha justa” –, a da rejeição liminar, obviamente!

Domingo, 17 de Fevereiro de 2008
Intersindical
A recusa de adesão à Confederação Sindical Internacional e a hostilidade em relação à UE mostram que a CGTP continua sob controlo absoluto do PCP.

Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2007
“Correia de transmissão”
Se há questões em que a CGTP não passa de uma duplicata do PCP, entre elas conta-se à cabeça a oposição à UE, mesmo quando é evidente que a central sindical põe a obediência partidária à frente da verdade e da objectividade.

Hoje lemos de Vital, escrito sem tempo de reflexão e sem reserva nem análise sobre comportamentos de ninguém, nem do próprio – a rapidez é tudo (como quando Vital confundiu escatologia com teleologia – mas esse é outro assunto):
As “brigadas Brejnev” (como as designa um amigo meu) resolveram ontem fazer das suas na manifestação do 1º de Maio da CGTP, escolhendo-me como alvo das suas arruaças.
Estimulados com a complacência com que ao longo destes anos foram sendo recebidas — apesar de sempre ilegais e politicamente intoleráveis — as suas repetidas acções de flagelação do PS (“esperas” ao Primeiro-Ministro, lançamento de ovos contra a Ministra da Educação, manifestações à frente de sedes do partido), resolveram dar um passo em frente nos seus métodos de “acção directa”.
A tolerância com a intolerância só encoraja os actos de sectarismo violento.

Repare-se pois que os estudantes que lançam ovos contra a ministra integram as “Brigadas Brejnev”.

O que quer Vital Moreira, repito?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

27 respostas a Não há que ter vegonha de nada, pois não?

  1. rosarinho diz:

    O símbolo está excelente.
    Dúvidas:
    Essa mão fechada, que nada tem a oferecer, o que encerra?
    É um punhado de terra?
    Ou é dinheiro saído directamente do bolso dos contribuintes?

  2. Carlos Vidal diz:

    rosarinho, é dinheiro certamente, mas não sei (e se calhar nem me interessa) de onde veio.
    O partido “esponjoso” (F. Louçã) dos interesses tem de ter dinheiro.

  3. rosarinho diz:

    É quando leio e oiço coisas destas que me surgem muitas questões…
    Esta é uma delas:
    Das partes envolvidas quem terá sido mais violentado, humilhado e ofendido?
    (Nem é preciso responder… Vejo muita gente a sofrer…)

  4. almajecta diz:

    Posso?
    “Comme dans l’éponge il y a dans l’orange une aspiration à reprendre contenance après avoir subi l’épreuve de l’expression. Mais où l’éponge réussit toujours, l’orange jamais: car ses cellules ont éclaté, ses tissus se sont déchirés. Tandis que l’écorce seule se rétablit mollement dans sa forme grâce à son élasticité, un liquide d’ambre s’est répandu, accompagné de rafraîchissement, de parfums suaves, certes, — mais souvent aussi de la conscience amère d’une expulsion prématurée de pépins.
    Faut-il prendre parti entre ces deux manières de mal supporter l’oppression? — L’éponge n’est que muscle et se remplit de vent, d’eau propre ou d’eau sale selon: cette gymnastique est ignoble. L’orange a meilleurs goût, mais elle est trop passive, — et ce sacrifice odorant. . . c’est faire à l’opresseur trop bon compte vraiment.

    Mais ce n’est pas assez avoir dit de l’orange que d’avoir rappelé sa façon particulière de parfumer l’air et de réjouir son bourreau. Il faut mettre l’accent sur la coloration glorieuse du liquide qui en résulte et qui, mieux que le jus de citron, oblige le larynx à s’ouvrir largement pour la prononciation du mot comme pour l’ingestion du liquide, sans aucune moue appréhensive de l’avant-bouche dont il ne fait pas hérisser les papilles.

    Et l’on demeure au reste sans paroles pour avouer l’admiration que suscite l’enveloppe du tendre, fragile et rose ballon ovale dans cet épais tampon-buvard humide dont l’épiderme extrêmement mince mais très pigmenté, acerbement sapide, est juste assez rugueux pour accrocher dignement la lumière sur la parfaite forme du fruit.

    Mais à la fin d’une trop courte étude, menée aussi rondement que possible, — il faut en venir au pépin. Ce grain, de la forme d’un minuscule citron, offre à l’extérieur la couleur du bois blanc de citronnier, à l’intérieur un vert de pois ou de germe tendre. C’est en lui que se retrouvent, après l’explosion sensationnelle de la lanterne vénitienne de saveurs, couleurs, et parfums que constitue le ballon fruité lui-même, — la dureté relative et la verdeur (non d’ailleurs entièrement insipide) du bois, de la branche, de la feuille: somme toute petite quoique avec certitude la raison d’être du fruit.” FP

  5. Vitoriano diz:

    Para o Vidal,

    Ainda temos que aturar esta comunalha durante muitos anos?

    Não se pode exterminá-los?

    Eu, se fosse militante do PS abria um abaixo-assinado a pedir à Direcção do PS e ao seu Secretário-Geral, o imediato corte de relações institucionais e outras com o PCP.

    Está mais que provado que o PCP, não é um partido democrático e que tem grandes dificuldades em viver em democracia…

    Se não conseguem viver em democracia só têm é que emigrar para onde brilha o seu Sol…

    Ainda por cima estão cada vez mais raivosos, por não passarem dos 7% de eleitorado e vir outro bando de marginais a ultrapassá-los com a toda a facilidade… Coitados.

  6. Vitoriano diz:

    Só espero que esta Rosarinho, não seja quem estou a pensar…

    Porque se for, tenho muita coisa a contar…

  7. Carlos Vidal diz:

    Vitoriano, este último comentário é de baixo nível.
    Nem tente ir por aí.
    Não me interessa o que você sabe ou deixa de saber sobre a vida de ninguém.

  8. Enojado diz:

    O que quer Vital Moreira?
    Pelos vistos, quer mais.

  9. jeronimo diz:

    CV, sempre pensei que você era apenas um tolinho intelectual inofensivo que vive no seu mundo virtual composto de arte e de utopias políticas há muito desmascaradas. Mas como aparentemente a vida real lhe passa ao lado, nunca se apercebeu das inexequibilidades e dos dramas que as falhadas implementações dessas políticas provocaram. Mas cada um tem as suas crenças e convicções e temos que as respeitar a todas. Essa foi sempre a minha postura de ateu convicto e praticante.
    Mas reconheço agora que me enganei em relação a si. Você não é nada inofensivo. Você é um excelente exemplo dos instigadores da intolerância e do ódio que provocam a violência e que desprezam a correcta concepção de liberdade e democracia. E atrás de outros como você vêm os outros idiotas brutos, que acham que têm o direito de impõr aos outros pela força a sua restrita visão do mundo.
    Já vi (muitas vezes) este filme antes. Nunca acaba com um final feliz.

  10. rosarinho diz:

    Caro comentador Vitoriano: Estou certa de que nunca nos cruzámos.

  11. Pisca diz:

    Oh Vitorino, tire a senha a passe por cá daqui a 600 meses, a fila (bicha(, para a comissão liquidatária já vem desde os anos 20 do século passado, tá a ver

  12. Carlos Vidal diz:

    Caro Jerónimo, boa tirada:

    «Você é um excelente exemplo dos instigadores da intolerância e do ódio que provocam a violência e que desprezam a correcta concepção de liberdade e democracia.»

    É um elogio e um cumprimento.
    E se não o sou, pelo menos gostaria de o ser.

    (Mas há uma palavra que o trai: é a palavra «correcta» – ora, como pode você ter a «correcta concepção de democracia»? Diga lá)

  13. O desespero é tal, perante a probabilidade de perderam as eleições, mandam o candidato levar nas trombas…

  14. rosarinho diz:

    Lamento que face a críticas e a olhares interrogativos, haja gente que em vez de contra-argumentar de forma lógica e séria, optem por tentar baixar o nível e conspurcar tudo à volta.

  15. Ver 1ª pag. do Publico
    Como podem ver nesta fotografia, foi neste estado que ficou o candidato Vital Moreira depois de barbaramente agredido, por loucos e antidemocráticos comunistas, mais o gang dos apaniguados da CGTP, que queriam ter o direito de se manifestarem sem serem provocados por este senhor.

    Como podem ver o seu fato ficou todo esfarrapado, com a sua mão esquerda cobre a boca onde a horda de agressores lhe partiu vários dentes, com a sua mão direita segurando um telemóvel, tenta desesperadamente estancar uma hemorragia do seu ouvido.

    Mas o que verdadeiramente revolta nesta fotografia é a indiferença com que as pessoas em volta não acodem ao agredido, mais estranho isto passa-se nos Restauradores e esta gente assistia a uma manifestação da UGT.

    Por outro lado em contraste com a passividade destas pessoas a blogosfera truncava de encontro aos assassinos causadores desta barbárie

  16. LAM diz:

    Há coisas que se pedem ao comum dos mortais que só se poderiam pedir a Nuno Álvares Pereira, e só após canonização efectiva: Queriam o quê com esta provocação ou esperavam que tipo de reacção das pessoas que estavam naquele lugar EXACTAMENTE para protestar contra as políticas de um governo cujo candidato a próximas eleições é Vital Moreira? Que dessem a outra face? que se mostrassem agradecidos pela forma como o partido de que o senhor doutor Vital Moreira é candidato tem espezinhado os trabalhadores?
    Pretendiam o que? a humilhação dos trabalhadores no dia em que se juntam para reclamar os seus direitos?

    E depois a hipocrisia. A hipocrisia de partidos e de figuram relevantes desses partidos ao embarcarem numa coisa que sabem, porque têm experiência disso, que é impossível controlar cada uma das pessoas e as suas reacções em manifestações em que o número ascende às dezenas de milhares. (Em Fátima que é Fátima e em que as pessoas estão, supõe-se, com outros objectivos que não o de protestar ou insurgir-se contra o que quer que seja, acontece pancadaria e às vezes coisas piores.
    Pode-se a partir de agora dizer que em manifestações contra a globalização, em que estão representantes de partidos portugueses, as acções de quebra de montras, de incêndios, de pneus a arder e cocktails molotov, são da responsabilidade desse partido que envia militantes seus a essas manifestações e, por conseguinte, exigir-lhe pedido de desculpas por isso? Eu crei que não. Mas sempre quero ver próximas justificações.

    Cuidado senhores do BE (partido de que tenho sido votante até agora): a conquista de mais uma dúzia de votos à direita, que se sabe se esfumam na eleição seguinte, vai levar-vos a perder votos á esquerda e esses a maior parte das vezes são irrecuperáveis.

  17. Carlos Fernandes diz:

    È, o comentário acima do Vitoriano podia-se aplicar a ele mesmo; eu por mim posso discordar de pessoas e visões políticas e achar que são utópico-desastrosas e/ou estão cheias de erros, agora apelidar de “escumalha” quem pensa diferente acho no mínimo intolerante e antidemocrático…

  18. Carlos Fernandes diz:

    Mon cher Almajecta, en lisant le votre comentaire j´ai resté avec une grande soif d´oranges, jái besoin d´en boire au moins un litre et demi.

  19. jeronimo diz:

    CV,
    a correcta concepção de democracia é a que se devem respeitar todas as opiniões, mesmo aquelas com quais não se concorda. E aceitar que seja o povo, através do voto, que decida quais as visões com que se identifica mais.
    A sua visão é a de que há os bons e os maus, os “democratas” e os “outros”. Para si, se esses “outros” levarem uns murros de vez em quando, até lhes faz bem para perceber que estão errados. É a mesma visão maniqueista e redutora dos que dividiam a sociedade entre arianos e judeus, camaradas e inimigos da revolução, revolucionários e reaccionários, cristãos e hereges, tutsis e hutus.
    Quanto a achar que isto é elogio, isso só reflecte uma característica sua que me esqueci de acrescentar: é um perfeito irresponsável.

  20. maria monteiro diz:

    Já que falaram em Fátima lembro-me da confusão que foi (insultos, pancadaria,…) a inauguração da nova Igreja – “Em Fátima que é Fátima e em que as pessoas estão, supõe-se, com outros objectivos que não o de protestar ou insurgir-se contra o que quer que seja, acontece pancadaria e às vezes coisas piores”

  21. Carlos Vidal diz:

    “um perfeito irresponsável”, eu, caro jerónimo?
    Na blogosfera somos só dez ou vinte pessoas.
    Modere-se, homem.

  22. ezer diz:

    O caro jeronimo não está a falar duma fátima felgueiras,dum jorge coelho,dum mata cáceres de Setúbal,duns gajos do PS q enriquecem do dia para o outro?Não?Estou a ver q isso para si não é DEMOCRACIA,é democracia.
    Mas,acerca da violência,o que dizer de tão serôdias almas quando apoiam a invasão dum país soberano e onde assassinam 1.5 milhão de Iraquianos e destroiem um país inteiro com a vossa concupiscência democrática deveras.Não a fazem em casa,por enquanto,mas rstão-se treinando e com alta probabilidade,quando a vossa clientela se amanhar até isto ficar descontrolado,daí as criminalizações dos movimentos sociais.Sim,isto é uma questão de violência,só que a vossa é enorme e injusta ao serviço da Canalhagem.

  23. jmf diz:

    Para o comentador ‘democrático’ e de boas maneiras, jeronimo,certamente com punhos de rendas , bem pode ler aqui

    http://odiario.info/articulo.php?p=1138&more=1&c=1

    uma vitória do ‘humanismo’,das revoluções de veludo, e da pujança de nossas democracias de mercado livre,mui livre.Assim,sim,que respeitinho!porque antes eram gulags,agora,as janelas luminosas que hão-de fazer de cada um de nós,um empreendedor.Fica-lhe muito bem dizer essas baboseiras se for um miserável (comparado com o Grande Empresário da Rolhas ou o do Contraplacado)como qq cidadão comum e tem uma atração pelos que praticam a subtração mas não ‘mama’ nada(um idiota necessárioa fazer de verbo de encher),se for um propagandista orgânico,é certamente um canalha!

  24. Tiago Mota Saraiva diz:

    O independente Vital encabeçou a delegação do PS que foi a uma manifestação de uma organização sindical que, nas palavras de Vital, “não passa de uma duplicata do PCP”. Tentou ser o único candidato ao Parlamento Europeu a encabeçar a dita. Vendo-lhe negada esta pretensão, percorreu toda a manifestação de “aristocratas operários” quando podia ter ido directamente para a sua manifestação da UGT.
    Agora parece que Vital não gostou das declarações de Jerónimo de Sousa e de Carvalho da Silva. Acusa-os, a eles e às instituições que lideram, de terem mau carácter.
    As declarações de Vital começam a ser preocupantes para alguém que vai andar pelo país fora, e que poderá voltar a encontrar muitos daqueles a quem se dirige de uma forma insultuosa. Esperemos, que um assessor com bom senso ou a sua agência de comunicação, lhe recoloque o discurso político no léxico eleitoral.

  25. Pingback: cinco dias » E quando alguém não se respeita nem sequer a si próprio? É preciso repetir? E quando alguém não se respeita nem sequer a si próprio?

  26. almajecta diz:

    Caro Carlos Fernandes, como muito bem sabe não há bebidas grátis.

Os comentários estão fechados.