Na política não vale tudo

as únicas lutas sociais dignas desse nome são as da “aristocracia operária”

a ministra da Educação deve trabalhar para isolar os sectores radicais e conquistar pelo menos a compreensão dos sectores mais moderados.

o Governo só tem uma via a seguir, se não a quiser perder — tornar claro que não cede, aguentar firme e ganhar a população a seu favor contra a tentativa de boicote corporativo, invocando o interesse geral (e sobretudo o interesse da escola e dos alunos) contra os interesse sectoriais e profissionais.”

Os funcionários públicos gozavam de muitos privilégios face aos trabalhadores do sector privado, desde uma maior segurança no emprego até um sistema de aposentação e de pensões muito mais favorável

As greves da Fenprof são assim como as manifestações da CAP: criam uma irrestível predisposição para apoiar as políticas contra as quais eles protestam!

Mas o líder da Fenprof não poderia ter sido mais enfático na afirmação de que os professores não querem nenhuma avaliação que tenha repercussão na progressão profissional

Quem pode ter acreditado que era possível um compromisso com a Fenprof quanto à avaliação, quando é evidente que os sindicatos não querem nenhuma avaliação que sirva para efeitos da progressão na carreira e na remuneração dos professores e que estão apostados em todas as manobras dilatórias para adiar indefinidamente a avaliação?

Estas são algumas das afirmações que Vital Moreira fez sobre as pessoas que se manifestavam ontem entre o Martim Moniz e a Alameda. Declarações, por vezes, insultuosas, com artigos e escritos publicados por todo o lado, onde o contraditório nunca chega. Mas isso agora é irrelevante.
O que terá levado Vital Moreira à manifestação da CGTP? Quereria saudar a “aristocracia operária”? Porque é que a organização da manifestação não sabia e a comunicação social foi chamada para acompanhar o percurso de Vital ao longo de todo o cortejo da manifestação, em vez de atalhar pelo interior do Martim Moniz (onde já não se encontravam manifestantes), para ir ter com a manifestação da UGT no Rossio?
A pronta tentativa de colar os actos estúpidos e tresloucados de alguns, ao PCP, é um sinal do desespero de Vital, e sempre simpático a todos os sectores do anti-comunismo. Ex-PCP’s havia muitos nesta manifestação e por cada organização que Vital Moreira passava, da Solidariedade Imigrante ao May Day (insuspeitos, não são Daniel?), era assobiado e insultado.
Vital Moreira, sabia que algo sucederia entre tantos milhares, não por ter sido militante do PCP, mas por ser actualmente, uma face das políticas do governo, do ataque aos professores e à função pública, do código do trabalho ou dos patrões.
Parabéns Dr. Vital, no dia dos trabalhadores, conseguiu construir a imagem do dia e criar um acidente estúpido e evitável.
Mas na política vale tudo não é?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 Responses to Na política não vale tudo

  1. Joca diz:

    Não venhas contar histórias.
    Achas que só havia manifestantes leitores do “causa-nostra” e do “aba-da-causa”?
    E todos chateadíssimos com o Vital?

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Joca, acha que estas opiniões de Vital só circulam na blogosfera?

  3. Quais das afirmações acima transcritas são insultuosas e justificam as agressões???

    Mais uma vez, o PS foi convidado para se dirigir à manifestação da CGTP, mesmo que não tivessem sido, felizmente o 25 de Abril aconteceu e deu liberdade de circulação nas ruas, independentemente do dia, pois o 1º de Maio não é um exclusivo dos saudosistas soviéticos.

    Acho que este colaborador do 5 dias é mais razoável que o folclórico CV.

  4. jacuzzi diz:

    na mouche Tiago… é pouco surpreendente, mas ainda assim penoso, ver D.O. a assumir as funções de Vitalino Canas do B.E.

  5. luis lopes diz:

    E eu que pensava,que tudo o que tinha escrito no seu post,eram verdades. Ou não eram?

  6. Tiago, as suas palavras poderão, eventualmente, fazer algum sentido. No entanto, nada desculpabiliza as atitudes de um bando de arruaceiros pseudo-democratas.

    Além disso, não consigo perceber o que ganharia, a médio ou longo prazo, Vital Moreira com este incidente. Sim, a imagem transmitida ao país foi a de um ‘mártir às mãos de um bando de comunas malandros’. E daqui a uns tempos, quando este incidente se desvanecer nos cminhos da memória, o que restará?

  7. Chico da Tasca diz:

    Quer dizer você acha que se um individuo escrever o que o Vital Moreira escreve, e com toda a razão, porque tudo o que ele escreve é Verdadeiro, deve enfardar das forças “progressistas”!

    É essa a sua visão da Democracia, que aliás não me espanta, porque a Comunalhada é mesmo assim.

    Você acha que uma avaliação dos Professores sem implicações na carreira é uma avaliação séria ?

    Você acha que um governo democráticamente eleito não pode ousar tomar decisões sob pena de levar nas trombas dos comunas e seus braços armados ?

    Quanto aos professores digo-lhe : TEM DE HAVER UMA AVALIAÇÃO SÉRIA O QUE SIGNIFICA HAVER CONSEQUANCIAS NA CARREIRA E NOS ORDENADOS, SENÃO NÃO É AVALIAÇÃO !!!!

    E se o Vital Moreira afirma isto, deve continuar a afirmá-lo ainda mais alto.

    E digo-lhe mais : se os Comunas julgam que podem governar na sombra, usando a intimidação e o medo como arma , porque é isso que você defende, preparem-se porque o feitiço pode-se virar contra o feiticeiro.

    E digo-lhe ainda mais : o Sócrates está a ser alvo de uma campanha para o destruir precisamente porque está a lutar contra os privilégios de gente como os professores, e porque está a exigir-lhes trabalho e competência !!!!!!

  8. rosarinho diz:

    Sou contra a violência.

    Questão:
    Qual das partes envolvidas tem sido mais violentada e agredida?

    Outra questão:
    No “causa nossa” para além da causa própria, o “nossa” refere-se a mais quem? Ultrapassa a dúzia?

  9. Pingback: Se eu quiser levar uma coça, o que devo fazer? |

  10. autómatos provocadores do bloco no seu melhor diz:

    vejam esta imagem http://is.gd/w5Pc e comparem c/ o vídeo rapaz loiro entre os 16 e os 22s http://is.gd/vYO9

    parece q afinal nem só militantes do PCP agrediram o Vital Moreira http://is.gd/w5Sa Délio Figueiredo tb por lá andou http://is.gd/w5Su

    bloco de esquerda e seus boys no seu melhor!
    o ps saberá pagar este favor ao be, o futuro o mostrará

  11. Tiago Mota Saraiva diz:

    Patrícia, claro que nada justifica este incidente que qualifico de “actos estúpidos e tresloucados”. Mas como é óbvio, no meio de milhares de pessoas, ou a organização era informada e havia algumas preocupações para garantir a segurança ao candidato ou sabia-se que isso isto podia acontecer.
    Vital conseguiu o que queria.
    Numa altura de crise, despedimentos e de intenso protesto contra o governo e com a ajuda de poucos, repito POUCOS (quase todos assobiavam mas eram poucos os que dele se aproximaram) deu a imagem do dia, passando para segundo plano as reivindicações dos trabalhadores.
    Tal como refere Carvalho da Silva, é preciso retirar um ensinamento do que sucedeu: “Estamos às portas das campanhas eleitorais e estão aqui trabalhadores em grande sofrimento. É preciso que a campanha eleitoral respeite o que as pessoas estão a sentir e que se faça disto um ensinamento”.
    É preciso avisar toda a gente que, se esta estratégia de acção eleitoral do PS continuar, não será improvável que no dia 23 de Maio, Vital Moreira, apareça na marcha promovida pelo PCP, para “saudar” alguém – pois já se percebeu a quem é que Vital quis provocar.

  12. mc diz:

    Deixo um comentário que fiz no Arrastão (desculpem-me a falta de originalidade mas não queria deixar de partilhar a minha opinião), relativo a um post pateta do Pedro Vieira.

    Começo por condenar qualquer tipo de violência sobre seja quem for. De seguida, condeno a imaginação delirante de quem ali viu violência física explícita para falar em “agressões” e, sobretudo, quem produz notícias baseado em imaginação delirante – em nome da audiência, do pageview e, chamemos-lhe, “do que dá jeito”.

    Diz muito sobre muita gente esta redundância abusiva decorrente dos “insultos e agressões” expressa no tridente “manifestação/CGTP/PCP”. Caso tudo tivesse corrido sem incidentes, esta teria sido certamente uma “grande mobilização das forças de esquerda”, igual a ” manifestação/CGTP/BE/PCP/várias organizações e associações”.

    Parece-me que as pessoas – e não só acredito como espero que todos os quantos estiveram naquele 1º de Maio não são nem militantes do PC nem sindicalizados – estão profundamente desesperadas em face da situação actual e o facto de ter aparecido ali uma delegação partidária, encabeçada por um muito pouco partidário candidato às eleições, de um partido que, de nome Socialista e de orientação de esquerda, surge travestido no governo com políticas de direita, não terá sido grande ideia.

    Nada disso, claro, justifica por si só os “insultos e agressões” mas talvez o Pedro Vieira, como o Nuno Melo, não sejam, recriando uma frase do inolvidável Nuno Gomes, “humanos como os trabalhadores”, não tenham problemas como muitos trabalhadores deste país têm e passem pelas dificuldades e provações que muitos deles têm vindo a passar.

    Dizem-me que esta presença do PS nas manifestações é “histórica” mas o passado do PS, (como o do PC, aliás) não o qualifica para nada no momento em que é governo.

    Depois de um dia de regabofe opinativo e noticioso que chafurdou o nome do PC – reacendendo os bons e velhos ódios ao partido – esta é a altura de se provar, definitivamente e de modo claro, porque estes “insultos e agressões” são obra deste partido. Não é conversa fiada, nem bitates de café: é onde, como, quem e porquê. É que em Felgueiras, Matosinhos e na Lapa todos percebemos o que se passou. Ali nem por isso -mas o julgamento foi sumário.

    e assim, tenho dito.

  13. Vitoriano diz:

    Ainda temos que aturar esta comunalha durante muitos anos?

    Não se pode exterminá-los?

    Eu, se fosse militante do PS abria um abaixo-assinado a pedir à Direcção do PS e ao seu Secretário-Geral, o imediato corte de relações institucionais e outras com o PCP.

    Está mais que provado que o PCP, não é um partido democrático e que tem grandes dificuldades em viver em democracia…

    Se não conseguem viver em democracia só têm é que emigrar para onde brilha o seu Sol…

    Ainda por cima estão cada vez mais raivosos, por não passarem dos 7% de eleitorado e vir outro bando de marginais a ultrapassá-los com a toda a facilidade… Coitados.

    .

  14. quinta do infantado diz:

    Tiago Mota Saraiva, se em vez de tentar desculpar o seu partido o PCP , tentasse ao menos falar verdade, e com conhecimento.

    Na vêspera da manifestação a direcção da CGTP foi informada que fariam parte da delegação que iria apresentar cumprimentos á CGTP , Vital Moreira, Ana Gomes e Vitor Ramalho.

    Este é um hábito que tem anos , e nunca tinha até agora, estado sujeito ás cenas vergonhosas a que se assistiram.

    Qual a diferença este ano , a presença do dito TRAIDOR , como alto e bom som gritavam alguns manifestantes bem indentificados com o PCP, contra Vital Moreira.

    Aliás a delegação do PCP não ia participar na Manifestação, ia só cumprimentar num gesto de cortesia a direcção da CGTP.

    O combate politico tem regras, há partidos que fazem da arruaça do sectarismo empedernido, uma forma de estar na vida publica, e depois queixam-se que franjas dos seus militantes e simpatizantes tenham atitudes destas.

  15. Inteiramente de acordo. Mas a manobra foi um flop e há-de reverter contra os seus desajeitados ideólogos.

  16. Pata Negra diz:

    Quando era mais novo gostava de garraidas. Hoje pertenço a uma Associação Protectora dos Animais. No passado 1º de Maio, ao passar lá pela terra, havia uma garraida e eu não resiste a entrar para o recinto. Levei uma marrada. Vou processar a organização dos festejos.

  17. João Pedro diz:

    Será que os portugueses que chamaram a Miguel de Vasconcelos de traidor eram membros do PCP ou tão-somente patriotas como aqueles ?

  18. José Seabra diz:

    Hitler mandou incendiar o Reichtag, acusou os comunistas…,chegou ao poder ganhando eleições.
    Mario Soares pôs-se a geito na Marinha Grande(quando encerravam todos os dias empresas vidreiras)…, acusou os comunistas…, venceu as eleições presidenciais.
    Vital Moreira pôs-se a geito no desfile da CGTP(quando encerram empresas todos os dias, existe fome, existe miséria, existe desespero e precariedade laboral e social)…, acusa os comunistas… …
    Já agora lembrar que os vencedores do 25 de Novembro (PS,PSD e PP), é que (des)governam Portugal há 34 anos, responsáveis por tudo o que de mal hoje está a acontecer no País.

  19. José Seabra diz:

    Pois, pois, com isto tudo já se esqueceu a atitude de enorme espirito democrático e de transparência política do PS, como foi o tempo de antena com imágens das crianças de Castelo de Vide, captadas para o ME.
    Isto sim, um facto provado de como o PS usa e abusa dos meios do estado em proveito próprio.

  20. MJP diz:

    Aqui ninguém acredita na revolução? no grito genuíno do povo que é escravizado, enganado e gozado?
    Vital é o rosto do explorador. O verdadeiro não iria ao Martim Moniz sujar os sapatos.
    Quem condena as agressões pré-revolucionárias, mesmo que muitas tenham tido injustiças? Será que nos aburguesámos tanto que já não conseguimos ouvir o desespero?
    Já sei que os escritos sagrados dizem que o povo só se revolta contra fascistas mas o que se está a viver é uma exploração muito pouco própria de socialistas.

  21. Pingback: cinco dias » E quando alguém não se respeita nem sequer a si próprio? É preciso repetir? E quando alguém não se respeita nem sequer a si próprio?

  22. Manel da Rua diz:

    O Chico da Tasca estará borracho? Que sabe este xuxa, santa ignorância?!
    Anda à procura de tacho, está visto… ainda o promovem a secretário de estado da asneirola! eheh

  23. Pingback: Se eu quiser levar uma coça, o que devo fazer? « Aventar

Os comentários estão fechados.